“Esse dia ficará guardado para sempre em minha memória”, diz acreano que não embarcou no voo que matou 33 pessoas no Acre

Dell Pinheiro

Nesta segunda-feira, 28, completam 49 anos do acidente com o avião DC3, da empresa Cruzeiro do Sul, em Sena Madureira, após a aeronave apresentar problemas no motor e cair em uma área de mata fechada na comunidade Boca do Caeté, próximo ao município. A tragédia vitimou 33 pessoas, entre tripulação e passageiros.

Antes de cair ao solo, o avião bateu em uma árvore. O impacto foi tão forte que ninguém sobreviveu, todos foram carbonizados. O funcionário público, Ronaldo Queiroz, a época com cinco anos, fala do acidente. Por força do destino, ele não embarcou com seu tio no fatídico mês de setembro de 1971.

“O dia do acidente não dá para esquecer. Me recordo de detalhes, até no dia anterior quando eu arrumava a minha mala, uma mala pequena, verde. Estava vindo à Rio Branco para me encontrar com a minha mãe, que veio para a capital para um tratamento de saúde. Era menor, só tinha cinco anos, estava na companhia do meu tio, Oliveira”, lembra Queiroz.

Ronaldo disse que sua expectativa era embarcar nas ‘nuvens’, um sonho de criança. “Também queria rever minha mãe. Porém, no dia que eu iria embarcar, um soldado do 7º BEC tinha que vir a Rio Branco, pois estava passando mal. Um problema sério de saúde. Então, meu tio, que era um comunicar da Difusora Acreana, bastante conhecido, e também policial civil, se dispôs a sair do avião”.

O funcionário publico comentou que foi para sua casa, e, quando chegou, escutou um forte barulho, e a notícia de que o avião que iria viajar havia explodido. “A gente via perfeitamente a grande nuvem de fumaça negra. Esse dia ficará guardado para sempre em minha memória. A imagem que surgi em minha cabeça é sempre a mesma: eu saindo do avião e depois de alguns minutos ouvindo aquela explosão e o fogo que consumia toda a aeronave”.

Entre as vítimas estava o Bispo Dom Giocondo Maria Grotti, que a época chefiava a Diocese. O religioso, que era italiano, estava no Acre em substituição ao Bispo Fontenele de Castro.

 

 

 

 

 

 

 

Mais Lidas