Minoru Kinpara cumpre agenda no bairro São Francisco

“É preciso ter respeito aos recursos públicos”, destacou o candidato a prefeito de Rio Branco, Minoru Kinpara (PSDB), durante caminhada no bairro São Francisco. Acompanhado do candidato a vice-prefeito, Celestino Bento (PSL), de apoiadores e simpatizantes; Minoru percorreu as principais ruas do bairro, conversou com moradores e apresentou propostas de governo para a melhoria dos bairros da capital.

Rio Branco passa por um processo de evolução demográfica acelerado. Em 2000, de acordo com o censo populacional, a cidade tinha aproximadamente 252 mil habitantes. Esse número evoluiu cerca de 60%, chegando à estimativa de 413 mil pessoas morando na capital em 2020, conforme dados Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo Minoru Kinpara, o crescimento desordenado da cidade trouxe muitos problemas. Por exemplo, Rio Branco possui uma das mais altas taxa de urbanização da região norte, com aproximadamente 90% da população morando na área urbana.

O crescimento populacional não foi acompanhado pelo desenvolvimento da infraestrutura capaz de suportar todo esse processo. Rio Branco ocupa apenas a 24ª posição entre as capitais em número de pessoas. Em contrapartida, conforme o ex-reitor da Universidade Federal do Acre (Ufac), a capital apresenta problemas de infraestrutura que a colocam na dianteira em vários indicadores negativos.

Segundo dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS, 2018), por exemplo, quase 80% da população da capital não tem coleta de esgoto e cerca de 48% não possui acesso à água potável. Esses dados consolidados situam Rio Branco na 93ª posição no Ranking de Saneamento incluindo as 100 maiores cidades do Brasil em termos populacionais, segundo o Instituto Trata Brasil.

Rio Branco é uma das poucas capitais do Brasil que ainda não possuem o Plano Municipal de Saneamento, que é uma exigência legal (Lei 11.445/2007 e Decreto nº 10.203, de 22 de janeiro de 2020). O Instituto Trata Brasil aponta que dos 22 municípios do estado do Acre, apenas dois não possuem Plano de Saneamento aprovado, um deles é a capital Rio Branco, que responde sozinha por 47% da população.

Obras planejadas e integradas

Durante visita ao bairro São Francisco, Minoru Kinpara destacou a necessidade de planejamento e integração das obras públicas. “É preciso ter respeito aos recursos públicos. E isso exige planejamento, projeto e investimento. Não tem sentido asfaltar uma rua e logo em seguida danificar o serviço para colocar rede de esgoto, água e drenagem. O serviço deve ser feito de forma organizada, com planejamento estratégico das ações, transparência, responsabilidade fiscal, desempenho e avaliação dos resultados”, frisou o candidato. (Assessoria)

 

 

 

 

 

Mais Lidas