29 C
Rio Branco
domingo, janeiro 17, 2021

“É hora de refazer o Código Florestal de Jorge e Marina, discípulos de Chico Mendes”, diz empresário


 

 

A florestania, conceito criado pelo PT nos últimos 20 anos no Acre, nasceu pelas mãos do ex-governador Jorge Viana e da ex-senadora Marina Silva, inspirados pelo movimentos manipulados do “martir” Chico Mendes. E foi esse conceito, segundo o empresário Rodrigo Pires, um liberal conservador que saiu por ai a pregar novos tempos para a economia, que gerou um Código Florestal capaz de ingessar o progresso de um Estado. Pois segundo ele chegou a hora da “onça beber água”, até que esse código seja refeito.
Ele fez um apanhado apurado sobre o assunto que resultou no seguinte texto, que postou na rede social:

“Essa discussão sobre o papel de Chico Mendes na sociedade acreana é importante? Muito!
A atuação política de Chico Mendes, manipulado pelos interesses do movimento ambientalista internacional, suscitando uma nova pauta para o comunismo que perdia importância, atrasou o Acre em 30 anos.

Em que consistia a atuação político-ambientalista de Chico Mendes? Relativizar o direito de propriedade.

Nós liberais, temos como missão, para promover o desenvolvimento do Acre, restabelecer o direito de propriedade. Ninguém investe onde não há respeito ao direito de propriedade. Os fazendeiros que vieram investir no Acre, atraídos por Wanderley Dantas, foram para Rondônia.

Escutamos de um jornalista de Xapuri, que tinha treze anos quando o sindicalista foi morto. Ficou estarrecido com a movimentação de jornalistas estrangeiros. Isto é, desconhecia a importância de Chico Mendes (conhecido como jogador de dominó). Sua importância era para o estrangeiro, o que pode ser traduzida pelo que dizem os fazendeiros americanos: ” Fazendas aqui e florestas lá”.

Portanto, rediscutamos o nosso desenvolvimento sob o ângulo da conquista do direito de propriedade e da revisão do código Florestal.

Sem documento da terra o homem é pobre.
Sem espaço para produzir um nação toda fica refém do assistencialismo.

Enquanto tiver pessoas pensando no modelo de Chico Mendes o Acre continuará pobre.”





Mais Lidas