Flaviano admite que MDB conversa sobre aderir governo Gladson, mas diz que não recebeu telefonema ainda

Evandro Cordeiro para o Acrenews 

 

O deputado federal Flaviano Melo, figura maior do MDB no Acre, reage simpático quando o assunto é uma conversa com o governador Gladson Cameli (Progressistas) sobre uma adesão a atual gestão. Aliado importante na eleição de 2018, o MDB acabou fora da gestão por vontade própria, pelo menos segundo Cameli. O partido tentou um vôo solo esse ano com a candiatura a prefeito em Rio Branco do deputado estadual Roberto Duarte. Não logrou êxito. Deve se aliar com o atual governo. Pela forma como tem falado sobre o assunto, o governador estaria disposto a assentar os emedebistas numa poltrona bem fofa.
Macaco velho, passado na casca do alho, vivido como poucos na política, o xerife Flaviano reage simpático ao assunto, mas como sempre, fala pouquíssimo. “Não houve nenhuma conversa”, diz. “Pelo menos comigo”, completa Melo, como se tivesse alguém mais graduado que ele nas fileiras do MDB, para conversar esse assunto com o governador. Além do mais, Cameli foi enfático. “Quero falar com o Flaviano”, disse ao jornalista Luis Carlos Moreira Jorge. Flaviano está esperando o telefone tocar, sem ansiedade. “O MDB conversa com todos, somos democráticos, por isso temos longevidade. Tá vendo a nível nacional, nosso presidente será o candidato de 12 partidos a presidente da Câmara”, conclui.

Mais Lidas