24 C
Rio Branco
terça-feira, janeiro 19, 2021

IMORAL “O poder público não pode pagar por erro de empresário”, diz vereador ao explicar essa confusão dos ônibus


O vereador João Marcos Luz (MDB) apresentou ao www.acrenews.com.br, de forma pormenorizada, tudo o que vem acontecendo em relação a prefeitura e as empresas de ônibus. Segundo ele, essa é a versão da Câmara Municipal, que não quis compactuar com aquilo que chama de imoral, que é o pode público pagar por erro de empresários. “A prefeitura querendo fazer gracinha com empresários. Não apoiamos”, diz Luz.
Segundo o vereador, a versão é a seguinte: “A prefeitura quando quis fazer esse acordo com o Sindcol e Sindpac indo até o o TJ levando o TCE e MP, a Câmara não participou. Eles começaram esse acordo em agosto. A Câmara não participou, nenhum vereador, nem a comissão de finanças, CCJ, ninguém. Aí o projeto chega na casa e pega todo mundo de surpresa, inclusive a base. Então não tinha como a gente votar, porque nós não participamos da negociação. No acordo lá, a desembargadora deixou muito claro: o caráter, a qualidade, a eficácia, a qualidade, a verdade desse acordo seria ser votado pela Câmara. Mas como nós iríamos votar se nós não participamos desse acordo? Segundo que o Síndcol abriria uma conta e esses R$ 2,4 milhões iriam para essa conta e os empresários ficariam responsáveis para administrar esse recurso. Segundo eles, para pagar funcionários. A Justiça não teria controle nenhum sobre esse recurso, a prefeitura também não, a Câmara também não, e o projeto dizia apenas que o RBtrans poderia solicitar informações pra onde estaria indo esse dinheiro. Então nós (vereadores) não confiamos porque uma vez com o dinheiro na conta os empresários faziam o que bem achar. Eles alegam prejuízo. E todo mundo sabe que prejuízo pode ser em qualquer coisa. Eles poderia usar esse dinheiro para comprar peças, qualquer outra coisa. Em nenhum momento ficou claro que era pra pagar funcionários. É importante ficar claro que a prefeitura tem um contrato com essas empresas. A prefeitura tem que fiscalizar para que essas empresas prestem bons serviços. Ônibus no horário, carros novos, motoristas bem treinados. A prefeitura não tem obrigação de arcar com prejuízo de empresa não. Se as empresas estão se achando com prejuízo, que entrem na justiça com as planilhas de forma legal, não por acordo. Que entre na justiça mostrando o prejuízo e ganhe. Se ganhar a prefeitura tem que pagar, mas não pode meio de acordo político. Outra coisa: os empresários é que são responsáveis pelo pagamento dos funcionários. Quem tem que pagar são eles. A responsabilidade é deles. Não pode ficar envolvendo o poder público, a Câmara, a prefeitura. Esses dois empresários ai, o Valdir e o Roger, eles tem negócios fora do Acre. São Paulo, Minas. Então eles podem pagar os funcionários e posteriormente pleitear na Justiça esse dito prejuízo. Portanto, o que está acontecendo nesse momento é um jogo para envolver todo mundo, prejudicando trabalhadores e usuários. Nós não podemos aceitar isso. É simples: os empresários arquem com as consequências. Esse atraso de salário deles já faz muito tempo. O desequilíbrio econômico dessa empresas já vem de muito tempo. Essas empresas não tem garagem aqui, os ônibus são velhos. Então não existe investimento dessas empresas aqui. A questão é essa. A prefeitura querendo fazer graça com empresários. Isso é imoral”.




Mais Lidas