29 C
Rio Branco
quinta-feira, janeiro 21, 2021

Um breve relato feito pelo professor da Ufac, Isaac Melo, sobre o desembargador Araken, que acaba de morrer de Covid

 

O adeus ao grande Jorge Araken Faria da Silva
16.12.1936
12.12.2020
“Filho de Anacleto Rodrigues da Silva Júnior e Anna Faria da Silva, o jovem Jorge Araken, apesar da origem humilde, sempre foi um dos melhores alunos de todos os colégios por onde passou. Logo se formou em Direito pela Faculdade Nacional de Direito da Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro. Araken diz que sua história é muito simples “ela começa realmente com o Estado do Acre. Sou cidadão acreano. Eu era apenas um modesto bacharel em ciências jurídicas sociais. Fui trazido pelo Dr. Lourival Marques, um acreano, que me convidou. Nós fomos colegas de turma. E o Lourival disse ao governador José Augusto que eu era daqueles estudantes que só estudava, filho de família pobre. O governador José Augusto de Araújo me nomeou juiz temporário em Cruzeiro do Sul e em Feijó, ainda em 1963”, explica.
Em 1968, Araken tornou-se desembargador e, no ano seguinte, se tornou professor concursado da Universidade Federal do Acre. Como sintoma de sua imensa paixão pelos livros e pelas letras, possui dezenas de trabalhos publicados. Recebeu diversas homenagens e condecorações ao longo de sua carreira.”
Integrou também o Instituto Histórico e Geográfico do Acre, além da Academia Acreana de Letras.

Jorge Araken faleceu na madrugada desta sábado, 12, no Hospital Santa Juliana. A causa da morte foi falência pulmonar e renal, com choque séptico decorrente da COVID-19.

Mais Lidas