Acre perdeu nesta sexta pra Covid o Lula da Dimel, pioneiro da venda de medicamentos

Morreu nesta sexta-feira, 22, de complicação do Covid, em São Paulo, o fazendeiro e pioneiro do ramo de medicamentos, Lula da Dimel. O nome dele de batismo era Luís Antônio Barbosa, tinha 75 anos, mas era conhecido mesmo como o Lula da DIMEL. Trabalhou muitos anos com distribuidora de medicamentos e quase todas as farmácias de Rio Branco chegaram a ser dele, num dado momento. Era extrovertido e não fazia diferença entre pobres e ricos. Sentava, brincava, discutia os assuntos com todos. Chegou a ser patrão do Roberto Moura, que depois virou um magnata dos remédios na Região Norte.
Aplicou parte do que ganhou na pecuaria. Adorava sua fazenda, no município de Capixaba, onde se “escondeu” do coronavirus. Não adiantou. Foi levado para São Paulo de UTI no ar, mas morreu nesta sexta.

Lula era pernambucano de Caruaru e acreano por opção, pois há 50 anos residia no Acre, onde teve três filhos homens, todos acreanos do pé rachado.

Mais Lidas