ARTIGO Intolerância religiosa existe?

* Thiago Elias

 

A intolerância religiosa, ainda persiste em nossa sociedade contemporânea. De acordo com os dados da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, há um aumento de denúncias ligadas a este tema, sendo que a maior parte das vítimas são as praticantes das crenças de matrizes africanas.

Tudo que é novo pode assustar, porém deve ser respeitado. Frequentamos todo e qualquer espaço religioso, para construir uma cultura de paz, conviver com outras pessoas que tenham a mesma crença e claro, fazer parte daquela família.

Vivemos em um país, onde segundo a Constituição Federal nos diz que o Estado é laico, ou seja, não há uma religião padronizada.
Art 19 inciso I: “É vedado a União, aos Estados, Distrito Federal e aos Municípios:
I – estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público.

Em tempos difíceis como uma época de pandemia, a nível mundial, juntar as forças também espirituais, fortalecem a cada um de nós. Que nesse dia 21 de janeiro, possamos fazer uma reflexão de respeito a todos que escolhem seus caminhos religiosos, sem qualquer discriminação psicológica e/ou física. Ser diferente não é feio, escolher uma religião que aos olhos dos outros é “incomum” não é errado. Feio e errado, é não respeitar as escolhas das pessoas. Que reine a paz, e acabe as fronteiras!

* Thiago Elias é administrador, ex-coordenador de juventude da prefeitura de Rio Branco e presidente da Juventude do PSB

Mais Lidas