URGENTE: Acre poderá decretar toque de recolher das 22h às 6h da manhã, diz Gladson

Mesmo com início da campanha de imunização após a chegada de 41 mil doses da CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan de São Paulo em parceria com o laboratório chinês Sinovac, e distribuída pelo Ministério da Saúde nesta semana, o governador Gladson Cameli teme pelos próximos dias a saúde pública do Estado entrar em colapso devido a alta de registro de novos casos de infectados que nesta quarta-feira, 20, já chegou 45.429 e 840 óbitos.

Ao ac24horas, Cameli informou na manhã desta quinta-feira, 21, que não descarta decretar toque de recolher caso a população não se conscientize e o número de novos casos e óbitos continuem elevados. “Sinceramente, eu não estou querendo isso, mas não estou vendo outra saída. Não adianta fazermos todo um esforço para trazer a vacina e a população não entender que ela precisa fazer a parte dela também. A pandemia não acabou e peço para que os nossos irmãos acreanos entendam isso e se unam conosco contra isso, senão serei obrigado a tomar essa decisão de decretar toque de recolher assim como acontece em Manaus (Amazonas)”, disse.

O chefe do Palácio Rio Branco afirmou que na próxima sexta-feira, 22, se reunirá com o Comitê Acre Sem Covid-19 para receber novos dados para embasar uma possível decisão. “Caso isso ocorra, a ideia é que o toque de recolher ocorra das 22h às 6h da manhã”, revelou.

A preocupação de Cameli leva em conta também que dos 40 leitos de Unidade Tratamento Intensivo (UTI) destinados à Covid-19 no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia no Acre (Into), unidade referência para atendimentos, 36 estão ocupados. Isso significa que a taxa de ocupação das UTIs subiu para 90%, de acordo com a última atualização feita pelo Governo do Estado, na tarde desta quarta-feira (20). A taxa geral de ocupação de leitos de UTI, exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Acre, está em torno de 76,9% e a tendência é que esses números continuem subindo.

A reportagem apurou que a situação mais crítica encontra-se na região do Alto Acre. A expectativa é que a regional passe para a bandeira vermelha na próxima análise do Comitê Acre Sem Covid-19.

Mais Lidas