Governo anuncia pagamento de R$ 4,7 milhões em verbas rescisórias e indenizações

Demonstrando compromisso com os servidores públicos estaduais ativos e inativos, o governador Gladson Cameli confirmou, nesta quinta-feira, 4, o pagamento de verbas rescisórias e indenizações a servidores públicos aposentados, bem como a policiais militares que ainda estão ativa.

Ao todo, serão pagos 180 processos trabalhistas de ex-funcionários civis e militares até o próximo mês de março. No total, o montante soma R$ 3,7 milhões.

No caso dos militares, o governo fará a indenização de descontos realizados indevidamente em folha pagamento da gratificação de atividade penitenciária exercida pelos profissionais entre os anos de 2012 e 2016. Nesse caso específico, o ressarcimento, que é de R$ 1 milhão, será efetuado nos próximos 45 dias.

Gladson Cameli explicou que os pagamentos só estão sendo possíveis graças ao empenho e determinação das equipes da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) e do Instituto de Previdência do Acre (Acreprevidência). O chefe do Poder Executivo lembrou ainda o seu compromisso com a valorização dos servidores públicos.

“Parabenizo toda a equipe pelo esforço que está sendo realizado desde o início do nosso governo. Os servidores públicos têm o meu respeito e admiração, por isso, vamos trabalhar em prol de tudo o que for possível para valorizá-los. Mesmo em meio a uma crise financeira mundial, estamos provando que é possível fazer gestão com responsabilidade e transparência”, pontuou o governador.

Para o secretário de Planejamento e Gestão, Ricardo Brandão, o dinheiro que será colocado em circulação vai ajudar a economia local. “O governo do Estado tem sempre essa preocupação de valorizar seus servidores e, ao mesmo tempo, contribuir com o fortalecimento do comércio. Na pandemia, esse recurso a mais fará diferença”, disse.

A reunião contou ainda com a participação do secretário da Casa Civil, Flávio Silva; do secretário da Fazenda, Rômulo Grandidier; do diretor-presidente do Acreprevidência, Francisco de Assis Filho; e do diretor da Seplag, Guilherme Duarte

Mais Lidas