Ministro da Fazenda garante: Acre terá apoio financeiro total ante a calamidade

O ministro da Economia determinou à equipe econômica que busque uma solução emergencial, legal, para que a Secretaria Nacional de Defesa Civil receba recursos imediatamente para socorrer os municípios em estado de emergência e calamidade

Em audiência na tarde desta quinta-feira, 18, com o ministro da Economia, Paulo Guedes, em Brasília, o governador Gladson Cameli, acompanhado do senador Márcio Bittar e da senadora Mailza Gomes, pediu apoio do governo federal para solução dos graves problemas que o Estado do Acre tem enfrentado.

Cameli explicou a Guedes que, em virtude do agravamento de diversas situações, entre elas a enchente de rios em 10 municípios, foi obrigado a decretar na última terça-feira, 16, estado de emergência.

Um dos pontos considerados cruciais pelo governador Gladson Cameli é a prorrogação do auxílio emergencial para desempregados e trabalhadores informais. Foto: Cedida.

Gladson Cameli disse também ao ministro que, com o agravamento da situação e a notícia de um possível estrangulamento da BR-364 que liga o Acre ao resto do país, solicitou o reconhecimento do governo federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional, do Estado de Calamidade Pública. Explicou ainda ao ministro que os problemas no estado se acumularam com a pandemia do coronavírus, surto de dengue, conflito na fronteira com o Peru com a tentativa de saída de imigrantes e, por último, as cheias dos rios que estão desalojando e causando prejuízo a milhares de famílias.

Dívida com a União

Entre os itens apresentados ao ministro Paulo Guedes, Cameli deixou claro que somente com a renegociação da dívida com a União, o Estado poderá ter fôlego para promover ações de interesses sociais e pensar em obras de desenvolvimento.

Outro ponto considerado como crucial pelo governador é a prorrogação do auxílio emergencial para desempregados e trabalhadores informais. “Queremos salientar que, o que é considerado pouco para os outros estados mais ricos da federação, para o meu estado do Acre é muito. Nosso povo é pobre, mas é trabalhador. Temos que estender a mão para os que precisam, nesse período de sofrimento. Queremos fazer parte do novo momento do Brasil, com esperança e futuro para nossos filhos e netos”, frisou Cameli.

Gladson Cameli ainda enumerou como estritamente necessário nesse momento de crise, a reedição da Medida Provisória que suspende contratos trabalhistas, para evitar demissões nas empresas, e a prorrogação do decreto de calamidade pública nacional, especialmente para facilitar a liberação de recursos de enfrentamento ao coronavírus.

O ministro Paulo Guedes agradeceu a confiança e o apoio que os parlamentares e o governo do Acre tem tido para com o Governo Federal e explicou sobre a falta de orçamento na Defesa Civil, porém, diante da gravidade do momento, determinou à equipe da área econômica efetuar os levantamentos necessários para que os aportes de recursos sejam feitos em caráter emergencial. “Está sendo proposta pela equipe econômica a edição de uma Medida Provisória, no valor de R$ 450 milhões, com recursos extra orçamentários (não irão afetar o orçamento da União) para que todos os municípios atingidos por calamidade ou emergência possam ser socorridos, a exemplo do Acre”,  garantiu Guedes.

Com relação aos outros pleitos, o ministro disse que discutirá com a equipe de governo e com o parlamento, o que pode ser feito.

Ao término da reunião o governador Gladson Cameli agradeceu o empenho da bancada federal em torno dos assuntos pertinentes ao Acre. “Agradeço a todos os parlamentares do Acre, hoje em especial ao Márcio que agendou as reuniões e Mailza que puderam vir aqui comigo, pois, independente de qualquer coisa, quando o assunto envolve o povo do Acre, todos se irmanam para que se tenha uma solução rápida e satisfatória”, disse Cameli.

Mais Lidas