Connect with us

EVANDRO CORDEIRO

Gladson e Bittar celebram orçamento da União: R$ 18,5 bi

Publicado

em

Por Evandro Cordeiro/Foto: Júnior Aguiar/Secom

O governador Gladson Cameli (Progressistas) dormiu de ontem para hoje no Juruá se remexendo na cama toda hora. Aliás, quase nem dormiu. Preocupado com CPI? Com deputados que era para ser da base, mas não estão? Não! É porque foi informado que nesta sexta, 23, o orçamento da União, sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro seria publicado no Diário Oficial com uma notícia alvissareira: R$ 18,5 bilhões de emendas do relator, ninguém menos que seu maior aliado para a reeleição, o senador Márcio Bittar (MDB). Os dois quase não param de falar pelo telefone pela madrugada.

Dinheiro e MDB

Além dos R$ 18,5 bi de emendas do relator, no orçamento da União, que garantirá a Gladson Cameli a execução de todas as obras que tem planejadas, Márcio Bittar tem outra garantia pra ele: a de que o MDB estará em seu palanque. A rigor, isso agora é questão de honra.

Lepido

Com a aprovação popular nas nuvens, com obras para realizar, com dinheiro garantido, Cameli nem vai calcular valor de quem pede abaixo do que vale. Vai continuar percorrendo o Acre com seu “cartão do bem”, que chama de enche bucho, rindo 24h e se comunicando com as pessoas, como adora.

Gladson não é bobo

Márcio Bittar não quer falar sobre o orçamento e os R$ 18,5 bilhões que passam por ele nos próximos dois anos. Disse que vai anunciar oficialmente em coletiva. Mas deixou uma frase emblemática: “Quem acha que o Gladson é bobo é que é o grande idiota”.

MDB no palanque

Sobre o MDB, fica uma certeza: o partido estará no palanque de Gladson Cameli, pelo menos com a ala de Márcio Bittar e Flaviano Melo.

Indeciso

Nelsinho Santiago, o papai da vereadora Michele Melo (PDT), de Rio Branco, ligou para falar sobre notinha de ontem por meio da qual foi lembrado que um ex-deputado e um atual deputado ajudaram a filha dele a se eleger vereadora sob a promessa de ter a ajuda dela e do pai em 2022. Nelsinho não negou, mas também não confirmou e ainda reafirmou o desejo de colocar a moça na disputa para estadual em 2022.

Atuante

Nelsinho Santiago disse estar admirado com o trabalho que a filha vem fazendo na Câmara. “Ela é muito atuante”, diz o pai coruja.

De fato, a vereadora tem se destacado.

Uma pergunta

Porque em governos passados deputados “roleiros” se davam bem? Quando menos se esperava eles já estavam fotografando na Casa Rosada na maior felicidade.

Que tentação

Fui tentado a replicar uma notinha do meu colega Luís Carlos Moreira Jorge que lembra o seguinte: na Itália, a operação “Mãos Limpas” foi detonada pelo legislativo; a “Lava Jato”, no Brasil, pelo Judiciário. Mas registro uma diferença: aqui não mataram o Juiz que condenou os bandidos. Pelo menos ainda não.

Surreal

Pior de tudo é ficar vendo militante político aos berros pelas redes sociais louvaminhando seus líderes presos, como se não tivesse ocorrido nenhum tipo de corrupção no Brasil.

Esse é nosso Brasil.

Muchada

Nas últimas 24h a CPI da Educação deu uma muchada. Quando se ameaça mexer em coisa podre, principalmente envolvendo terceirizadas, pouca gente continua firme.

Difícil formar chapa

Até as convenções ano que vem, muito cenário político será modificado no Acre. É que não será fácil formar chapas. A rigor, formar chapas será tão ou mais difícil que se eleger.

Situação difícil

Um exemplo: caso decidam sair do MDB, os três deputados do partido que não acompanham Márcio Bittar e Flaviano Melo vão pra onde?

No PSD

Tem uma informação segundo a qual o prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim (MDB), se for mesmo disputar para federal, deverá ir para o PSD, do senador Sérgio Petecão, assim como sua esposa, a deputada Meire.

Sem mandato

Tem partido que já estampou na porta de sua sede o aviso: não aceita ninguém com mandato. Um exemplo: o PSL.

Mesmo tamanho

Pelo andar da carruagem, do mesmo jeito que Márcio Bittar tem o MDB na mão, Gladson Cameli tem seu Progressista.

Mão fechada

Alguém questionava ontem que, se quiser ganhar a eleição para senador ou federal, Jorge Viana (PT) terá que fazer algo que odeia: meter a mão no bolso. Como não está no poder, também não poderá esperar doação. Terá que se virar com a grana do partido, certamente pouca pra quem era acostumado com vultosas cifras. É a realidade da política.

Todo mundo calou

O prefeito de Plácido de Castro, Camilo da Silva, do PSD, chegou botando pra moer, tomando algumas decisões que assombraram vereadores. Passados três meses, nem o famoso “Charquiro”, o cri cri da Vila Campinas, que iniciou janeiro detonando o Camilo, falou mais.

Será o Boulos?

Esquisito esse ataque à fazenda do Ricardo Leite, dono da Uninorte. Porventura o Boulos, aquele radical do PSOL teria infiltrado alguém por aqui? Pareceu coisa dele.

Continuar lendo

EVANDRO CORDEIRO

COLUNA DO EVANDRO: Se não bastasse o já extenso número de candidatos a Senador para 2022, o PSOL tem dois

Publicado

em

Ao menos seis candidatos fortes devem disputar o Senado em 2022. Será a eleição com mais candidatos para esse cargo na história do Acre. E se isso não bastasse, o PSOL tem dois pretendentes. Do ponto de vista de bagagem acadêmica, um pelo outro não faz diferença, porque um é o advogado Sanderson Moura e o outro é o professor universitário Fortunato Martins, cientista político. O grupo deles garante que não segue o PT desta vez. Ou seja: não vão abrir mão dessa disputa ano que vem. Só que um dos dois vai precisar abrir, pelo menos segundo o bom senso.

Equipe da reeleição

Como antecipou essa coluna uma semana antes, o ex-chefe da Casa Civil da prefeitura de Rio Branco, Artur Neto, acabou nomeado esta semana pelo governo. Deverá estar na equipe do Alysson Bestene, que vai cuidar da reeleição. E ele é bom nisso.

Voz fina

Na reunião dessa semana entre partidos de oposição, coordenada pelo deputado estadual Edvaldo Magalhães (PCdoB), ninguém alterou a voz, como na época de hegemonia da Frente Popular. Sem poder até a voz afina. E isso vale para quem está no poder agora também.

Gladson no controle

Dia 28 próximo tem pagamento do Estado e metade do decimo terceiro. Uma demonstração do controle que o governador Cameli mantém sobre a economia do Estado, mesmo diante da pandemia.

Crime do lixão

Um TAC descumprido pela prefeitura de Xapuri em relação ao lixão da cidade, e que pode resultar em muita dor de cabeça para o prefeito Bira Vasconcelos (PT), iria passar despercebido, não fosse um ex-vereador. O assunto estava guardado a sete chaves.

Sucesso do mutirão

Não sei de quem foi a ideia, mas esse mutirão de vacinação em frente ao Palácio Rio Branco matou a pau. Logo o Acre estará totalmente imunizado.

Não existe isso

Nem a senadora Mailza Gomes, presidente do Progressistas, nem o vice-presidente, Tião Bocalom, vão peitar o governador Gladson Cameli em 2022. Tipo marcar de não dar legenda a ele, como andam insinuando nas redes sociais. Mesmo Bocalom apoiando Petecão (PSD), as portas do Progressistas estarão escancaradas para Cameli, caso ele queira, lógico.

Sem resposta

Perguntei ao ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, se a filha dele, Jéssica, deputada federal (MDB), poderá compor como vice na chapa encabeçada pelo governador Gladson Cameli. A resposta dele foi isso aí: “rsrsrsrs”. E não me atendeu mais.

Plácido da Michelle

Além da votação expressiva que teve em Rio Branco, na disputa para vereador, 3.576, sendo a mais votada, a médica Michelle Melo (PDT) caminha para a disputa de estadual rumo a novo escrutínio recorde, ser a primeira outra vez. No município de Plácido de Castro, onde o pai dela, Nelson Braz, elegeu o prefeito Professor Camilo (PSD), ela deve buiar, além da capital e mais em uns dois municípios.

Pronto para 2022

Quem está se preparando para 2022 é o vereador de Rio Branco Rutênio Sá (Progressistas). Está disposto tanto a atender ao chamado do partido para estadual quanto para federal.

Liso não disputa

Me perguntaram se disputo a eleição em 2022, uma vez que fui para as urnas nas duas últimas eleições para vereador (2016 e 2020) e Rio Branco me deu votações razoáveis. Minha resposta: de jeito nenhum. Liso não disputa eleição, a não ser para ajudar os endinheirados a garantir suas eleições.

Valente do Gladson

O vereador Dim “Bom que Dói”, do MDB de Plácido de Castro, é um dos valentes do governador Gladson Cameli no município. O resto é migué.

Primeira-dama

Ana Paula Cameli, a fina e discreta primeira-dama do Acre, é uma worklover nos bastidores. Trabalha o dia inteiro e nem faz questão de publicidade, sobretudo porque as ações dela são muito de cunho social.

Mudanças na Educação

Não vejo novidade nas mudanças em cargos de confiança na secretaria de Educação. A secretária Socorro Neri tem a equipe dela, o ex-secretário tinha a dele. Onde tem anormalidade nisso?

Parceria nova

Com pouca bala na agulha ainda para disputar uma eleição de estadual, o vereador Arnaldo Barros (Podemos) decidiu reforçar o grupo da ex-deputada federal Antônia Lúcia, que disputará as eleições ano que vem em dobradinha com a filha, Gabriela. Ele ajuda elas em 2022, elas ajudam ele em 2024. Pronto. 

Cenário novo

A terra arrasada herdada pelo governador Gladson Cameli do PT começa a mudar seu cenário. Além de muita reforma nos prédios públicos e as grandes obras que iniciam ainda esse ano, nos próximos dias ele reata em definitivo sua parceria com o esporte. O governo vai ajudar os clubes financeiramente para a disputa do campeonato estadual.

Vem aí

O AcreNews prepara uma novidade na área de vídeos com probabilidade de muito sucesso. Uma parceria entre o site, uma grande agência de comunicação da capital e o bacharel em Direito e policial civil Leandro Costa.

Continuar lendo

EVANDRO CORDEIRO

COLUNA DO EVANDRO: Irmãos vão deixar o Podemos porque não cabe eles e Ney Amorim na mesma sigla

Publicado

em

Os irmãos Raimundinho da Saúde, ex-deputado, e Railson Correia, ex-vereador de Rio Branco, devem deixar o Podemos nas próximas horas ou dias. Lideranças na Baixada da Sobral e com o ex-deputado se preparando para disputar a eleição em 2022, eles admitem que na sigla não cabe eles e Amorim, que também tem grande influência na mesma região. Mesmo com Ney disputando para federal.

Ópera bufa

Muito interessante as manifestações de políticos sobre a operação do Ministério da Agricultura na fazenda do Jorge Moura. Terminou em uma ópera bufa, um show de hipocrisia.

Disputa para federal

Ex-vereador, o médico Carlos Beirute, que controla uma clínica, a Santa Lúcia, e um dos hospitais privados mais completos do Acre, a Pronto Clínica, está sendo convencido a entrar de sola nas eleições de 2022. Quando nada, que lance sua esposa, dona Ana, deputada federal. Beirute pode porque ao longo das últimas três décadas não parou de fazer política, ajudando as pessoas.

Rompimento

Fontes da coluna informam que a parceria entre as Câmara (ex-deputada Antônia Lúcia e Gabriela Câmara) e a igreja Assembleia de Deus Madureira, mais especificamente com o pastor e deputado estadual Wagner Felipe (PL), estaria encerrada. Antônia e Gabriela, que elegeram Wagner em 2018, devem disputar as eleições em 2022 com a mãe para federal e a filha estadual.

Gabriela nega

A quase vereadora Gabriela Câmara, quinta mais votada em Rio Branco nas eleições de 2020, mas sem um mandato por falta de coeficiente de seu partido, disse desconhecer o fim da parceria com o pessoal da igreja Madureira. “Amigo a única informação que eu tenho é que a missionária Antônia Lúcia tem uma aliança inquebrável com os presidentes nacionais da Madureira e no Acre, Pastor Valter e Cida Moura, e consequentemente Pastor Wagner”, disse ela.

Sonho do Senado

Deputada federal Vanda Milani (SD), convencida a realizar seu sonho, o de disputar o Senado, continua correndo, como sugeriu o governador Gladson, para se viabilizar. Nessa mesma pegada está o também deputado federal Alan Rick (DEM), interessado em brigar por essa única cadeira no Senado em 2022.

Adversária a altura

O único problema de Vanda Milani, Alan Rick e Mailza Gomes, é que eles acabam de ser colocados diante de uma adversária de peso dentro do grupo, a Márcia Bittar, que além de ser ex-esposa do senador Márcio Bittar, seu principal apoiador, tem brilho próprio e está percorrendo o Acre de ponta a ponta.

Disputa de gigantes

É uma das maiores disputas por apenas uma cadeira no Senado na história do Acre pós emancipação política. Além de Márcia Bittar, Vanda Milani, Alan Rick e a própria senadora Mailza Gomes (Progressistas), ainda tem chances de vir para o grupo a deputada federal Jéssica Sales (MDB), cujo objetivo também é disputar o Senado.

Na esquerda

Claro que disputar o Senado dentro da chapa do governador Gladson Cameli, favorito na disputa pelo governo, é uma rica oportunidade, mas não custa lembrar que do lado da esquerda haverá um grupo forte querendo a mesma cadeira. Além de Jorge Viana (PT), tem o Sanderson Moura, do PSOL, e o policial Civil Leandro Costa, do Cidadania.

Diretor certo

Coronel Ulysses Araújo é o novo diretor da secretaria de Justiça e Segurança Pública. Ninguém vai questionar a nomeação, publicada no Diário Oficial desta quinta, 17, pela bagagem curricular do Ulisses.

Volta do Dindim

Dindim Pinheiro, ex-prefeito de Feijó, quer voltar à política, depois de ter se afastado totalmente em 2016. Está aguardando um telefonema do governador para cair em campo, me disse.

Elogio

A despeito de Feijó, o Weber Gonçalves, líder nas redes sociais, chegou ontem do município elogiando o prefeito Kiefer Cavalcante (Progressistas). “As ruas de Feijó estão um tapete”, diz.

Pronto. É o que o povo quer de um prefeito: rua sem buraco. Somente.

IPVA

Ao elastecer prazos até dezembro para pagamento de impostos como o IPVA, o governador Gladson Cameli subiu ainda mais seu conceito junto aqueles que acham a gestão dele ante à pandemia mais que positiva.

Emenda do Viga

Com relação ao pagamento do IPVA ter sido espichado para dezembro, há que se reconhecer a emenda do deputado Chico Viga (sem partido), uma vez que a primeira versão do projeto era um prazo até junho.

Prazo dos sonhos

Com quase todo mundo enrolado financeiramente devido a pandemia, essa decisão do governador de deixar os pagamentos de impostos para até dezembro foi um presente de Natal antecipado.

Senador do Petecão

Ainda sobre a disputa do Senado em 2022, resta saber quem será o candidato na chapa do senador Sérgio Petecão (PSD), que disputará o Governo. Vários convites foram disparados, mas o trato mais firme é com a deputada Jéssica Sales, caso o pai dela, Vagner Sales, ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, não se acerte com o governador Cameli.

Saem ou não?

As informações quentinhas asseguram que três prefeitos do PT (Fernanda Hassem, Brasileia, Jerry Correia, Assis Brasil, e Isaac Lima, Mâncio Lima) deixam a sigla para apoiar a reeleição de Gladson Cameli. O presidente do PT, Cesário Campelo Braga, garante que eles não saem. Vamos ver quem desce primeiro desse galamacho.

Continuar lendo

EVANDRO CORDEIRO

COLUNA DO EVANDRO: Filho de Edmundo Pinto pode disputar para federal ou até uma majoritária em 2022

Publicado

em

O ex-vereador por Rio Branco, Rodrigo Pinto, filho do governador Edmundo Pinto, assassinado em 1992, pode disputar as eleições em 2022 para deputado federal ou até encarar uma candidatura majoritária, segundo admitiu à coluna. O partido ele escolheu cedo, o PSL, presidido no Acre pelo Pedro Valério, que quer aproveitar Pinto, com o espólio do pai, para valorizar sua chapa.

Troca com os árabes

Rodrigo Pinto está morando em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, há quase uma década, para onde foi recompor sua vida, afetada pela desventura de ter perdido um pai que era um fenômeno político, com ambos ainda muitos jovens. Com os árabes, para quem emprestou seus dotes nas artes marciais, Rodrigo diz ter aprendido a ser realista distante das desventuras da vida. Eles são frios diante da morte, das adversidades. É isso que quer trazer para a política do Acre, agora bem mais maduro.

Aposta errada

Pretendentes a candidaturas majoritárias no Acre, entre eles o advogado Sanderson Moura, esse disposto a disputar o Senado pelo PSOL, estão apostando no antibolsonarismo. Podem até conseguir muita coisa, mas não o suficiente para alcançarem seus objetivos. Bolsonaro deve, inclusive, se reeleger. O presidente fala e faz bobagens, mas foi o que o Brasil conseguiu para frear a gatunagem dos clãs que dominam a política brasileira há 40 anos.

Bittar tem lado

A esquerda começa, também, a vomitar sobre a cabeça do senador Márcio Bittar (MDB) nas redes por razões óbvias: ele assumiu o bolsonarismo, sem nenhum receio. Atitude mais digna do que a de quem fica em cima do muro.

Na memória

Quanto às reuniões das lideranças petistas do Acre na tentativa de ressurgirem em 2022, Márcio Bittar foi direto: “O povo não esqueceu o que esse povo fez com nosso país e com o Acre. Gladson se reelege no primeiro turno e Bolsonaro ganha a eleição também”.

Empreendedores

Os irmãos Raimundinho da Saúde e Railson Correia, um ex-deputado, o outro ex-vereador, aproveitaram seus mandatos para continuarem líderes na Baixada da Sobral. Agora líderes em empreendimentos. Eles investiram em clínicas hospitalares e mais recentemente em uma grande oficina de troca de óleo e balanceamento de veículos. Fizeram o certo.

Grande novidade

Tem uma grande engenharia política em andamento. Vai deixar nego de boca aberta e potencializar a reeleição do governador Gladson Cameli. Questão de tempo.

Racha nos Santiago

Na família Santiago, em 2022, há grande chance de sair mais de um candidato pela primeira vez na história. Uma dessas candidaturas é a da vereadora Michele Melo (PDT) a deputada estadual. A outra ainda será anunciada.

Bairristas

Numa roda onde estão cruzeirenses, ninguém de fora pode criticar o governador Gladson Cameli (Progressistas). Só eles podem. Em 2022, pelo visto, os juruaenses vem em peso de novo com ele.

Comemoração

O vereador Emerson Jarude (MDB) está comemorando nas redes sociais a vacinação programada pela prefeitura de Rio Branco para acontecer no sábado e domingo no ginásio do Sesi, para pessoas acima de 40 anos.

Federal

Coronel PM da reserva, Ulisses Araújo é um dos nomes do PSL para deputado federal. E foi o primeiro a anunciar apoio à candidatura da ex-mulher de Márcio Bittar, Márcia Espinosa, ao Senado. Foi mais ligeiro que o presidente Pedro Valério, um bitarista de carteirinha desde as eleições passadas e que também vai disputar para federal.

Sumiu

Meu colega jornalista Rogério Wenceslau, que já foi referência em programas de entrevistas na imprensa do Acre, disputou as eleições de 2020 para vereador e, em seguida, desapareceu.

Idaf

Aprovados em concurso do Estado para o Idaf estão cobrando o governador Gladson Cameli para serem chamados. Alegam que o órgão está deficitário em mão de obra profissional.

Longa espera

Sem esperança de assumir mais uma cadeira na Assembleia Legislativa, o primeiro suplente do PDT, Gemil Júnior, já está praticamente decidindo por não mais militar na política. Vai cuidar do ministério de louvor da IBB.

Não cai

A esquerda tem jogado a isca para pegar o governador Gladson Cameli em movimentos grevistas. Não adiantou. Ele detona os espíritos mais exaltados ao entrar no meio dos protestos para mostrar a realidade econômica.

Chapa pronta

O Partido Cidadania já está com sua chapa majoritária pronta para 2022. Vai de David Hall para governador e Leandro Costa senador. Eles aproveitaram o feriado de aniversário do Estado para fecharem essa questão.

Continuar lendo

Trending

www.acrenews.com.br é uma publicação da Acrenews Comunicação

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Endereço: Área rural, 204, Setor Barro Vermelho - CEP 69.923-899

Os artigos assinados não expressam a opinião deste site.

contato@acrenews.com.br

Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas