Connect with us

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

A CARTA! Professor Mauro Sérgio se despede da SEE e acredita na inocência de acusados de corrupção investigados

Publicado

em

Da Redação do Acre News/ Foto: Reprodução

O Professor Mauro Sérgio Cruz, o agora ex-secretário de Educação Estadual do Acre, publicou uma extensa carta, nas redes sociais, onde agradece a oportunidade à frente da pasta, fez um balanço positivo de sua passagem pelo cargo concedido pelo Governador Gladson Cameli (PP) e diz acreditar na inocência dos acusados de corrupção que foram presos na operação “Pratos Limpos”.  

“Nesses dois anos à frente da SEE sempre buscamos trabalhar visando o melhor para as escolas e alunos da rede estadual. Em nenhum momento o foco foi outro! Durante este período sempre procurei atender com respeito, carinho e amizade a todos! Nunca coloquei o meu cargo acima dos valores que acredito! Por fim, gostaria de agradecer ao Governador Gladson Cameli pelo apoio e confiança pelo trabalho que realizamos a frente da SEE e aos demais Secretários (as). Saio da SEE, mas não do governo!”, escreveu.

Um dos pontos altos da carta, diz respeito ao processo que vem sendo investigado com relação a supostos atos de corrupção em contratos da SEE.  “Por isso, peço-lhes desculpas pelos fatos ocorridos! Tenho a plena certeza na inocência dos amigos que estão sendo investigados: Márcio Mourão, Javã, Cléber e Lane. Todos têm a minha solidariedade e amizade! O tempo é o senhor da verdade! (…)Deixo a SEE com a consciência tranquila! Pois trabalhei com planejamentos, com projetos educacionais e com a dedicação de uma equipe de profissionais nota dez!”, enfatizou.

 Após fazer uma lista de ações que executou enquanto esteve na pasta, Mauro Cruz, que também já foi padre, ressaltou: “Não fui um Secretário de gabinete, de protocolos e distante de todos. Fui um peregrino a serviço do ensino! Poderíamos avançar mais e obter bons resultados no futuro! Tarefa que será responsabilidade de todos nós que fazemos e acreditamos na educação!”.

Ele também mandou um recado à nova Secretária de Educação, a ex-prefeita Socorro Neri (PSB). “Saibam que agradeço a todos! Saio de cena, na torcida para que a nova Secretária, minha amiga querida e muito competente, com a sua nova equipe, possa fazer muito mais à frente da SEE! A torcida será grande!”,  

Concluindo, Mauro pede à sociedade que “não guardem mágoas de mim”. “Que o Bom Deus os abençoe! Estaremos juntos com a educação acreana, pois somos educadores e professores e em nossas escolas queremos sempre o melhor! Deus permaneça sempre com vocês! Não guardem mágoas de mim, apenas fiquem com a imagem de um ser humano que procurou fazer o bem e que acredita no poder transformador da educação!”, concluiu.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

ACRE

Motociclista que escorregou em canaleta de posto de gasolina deve ser indenizado em R$ 7 mil

Publicado

em

Por

Um motociclista que escorregou em canaleta de posto de gasolina deve receber R$7.637,50 de indenização por danos morais e estéticos. Na sentença da 5ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco foi considerado que o motorista teve parte da responsabilidade pelo acidente e ainda que o autor recebeu o seguro DPVAT (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vida Terrestre).

O autor relatou que, em 2015, ao sair do posto de gasolina sofreu um acidente, quando passou com sua motocicleta por uma canaleta, escorreu e caiu, fraturando o cotovelo esquerdo. Mas, por causa de problemas cardíacos só pode fazer a cirurgia um mês depois, por isso, ficou com sequela definitiva e limitações do movimento. Ele disse que precisou fazer empréstimos para pagar as contas, pois ficou afastado do trabalho.

Ao debruçar-se sobre caso, a juíza de Direito Olívia Ribeiro, titular da unidade judiciária, discorreu sobre a comprovação dos danos estéticos sofridos pelo autor. “Em depoimento colhido em audiência, o autor relatou as dores e as dificuldades enfrentadas pela limitação dos movimentos, mesmo após longo lapso temporal desde o acidente. A limitação dos movimentos restou confirmada pela perícia médica, atestando os danos à personalidade do autor”.

A magistrada pode constatar que as grades de proteção foram providenciadas depois do acidente do autor. “Neste ponto, destaco que, em audiência de instrução, quando ouvido o represente da parte demandada, restou claro que a sinalização do local (para evitar acidentes) e as grades de proteção somente foram providenciadas após o acidente”.

Culpa concorrente

Contudo, a magistrada verificou que a conduta do motociclista contribuiu para o acidente, utilizando um caminho diferente do mais adequado para sair do estabelecimento.

“(…) observo que as canaletas são obrigatórias pela legislação e são visíveis a qualquer cidadão que ali transita. E, conforme restou assentado nos depoimentos da parte autora, do representante legal da empresa requerida e da testemunha (ouvida como informante), o autor utilizou caminho diverso domais adequado para a saída do estabelecimento (nos termos do depoimento da parte autora, utilizou-se de “desvio”). Logo, tivesse se utilizado do fluxo normal de veículos poderia evitar o acidente”, registrou Ribeiro.

Dessa forma, a magistrada fixou a indenização em danos morais e estéticos no valor de R$ 10 mil. Mas, como o autor recebeu R$ 2.362,50, do seguro DPVAT, o montante foi estabelecido nos R$ 7 mil.

Pedido negado

Além disso, o pedido de indenização por danos materiais também foi negado. Conforme, Olívia verificou, os empréstimos contraídos pelo motorista foram feitos antes do acidente. A juíza também explicou que o autor não apresentou comprovações dos rendimentos para mostrar os valores que deixou de receber com o afastamento do trabalho.

“Em análise do depoimento do autor foi possível identificar que os empréstimos foram contraídos para fazer frente às despesas que o autor tinha contraído antes do acidente e que o benefício do INSS não conseguiu cobrir”, anotou a magistrada

Continue lendo

ACRE

MPF/AC divulga lista de candidatos, data e local da prova para estágio em Rio Branco

Publicado

em

Por

O Ministério Público Federal no Acre divulgou nesta terça-feira, 9, o Edital nº 20/2022 com o local de prova e a lista dos candidatos habilitados a participarem do 1º Processo Seletivo Público de 2022 para preenchimento de vagas e formação de cadastro de reserva de estágio de nível superior e de pós-graduação em Direito em Rio Branco.

As provas objetivas e discursivas serão realizadas dia 14 de agosto, das 8h às 12 h ( horário local). Os candidatos que disputarão as vagas em Rio Branco realizarão as provas na Universidade Federal do Acre (Ufac), nos blocos Wanderley Dantas e Jorge Kalume .

Os candidatos deverão apresentar-se no local das provas com antecedência mínima de 30 minutos munidos do comprovante de inscrição, documento de identificação com foto e caneta esferográfica de tinta azul ou preta e usando máscara, seguindo recomendação da Ufac nos locais abertos e fechados do campus.

Mais informações poderão ser obtidas pelo telefone (68) 3214 – 1414, no endereço eletrônico prac-nugep@mpf.mp.br ou no site www.mpf.mp.br/ac/estagie-conosco.

Confira aqui a lista completa dos candidatos habilitados

Assessoria de Comunicação MPF/AC

Continue lendo

POLÍCIA

Serraria que atuou em Sena Madureira é condenada por crime ambiental

Empresa tinha desmatado quase 500 hectares de área de preservação ambiental e ainda tinha guardada toras de madeira. Portanto, foi sentenciada a pagar 27 salários mínimos

Publicado

em

Por

Uma serraria que atuou em Sena Madureira é condenada por ter cometido os crimes de desmatamento ilegal e destruição da fauna e flora (artigos 46 e 50 da Lei 9.605/98). Dessa forma a empresa ré foi sentenciada pelo Juíza da Vara Criminal da Comarca de Sena Madureira a pagar pecúnia no valor 27 salários mínimos.

A empresa foi denunciada por desmatar 498,645 hectares de área de preservação ambiental, sem autorização. Ainda é relatado que a serraria tinha guardada 495 toras de madeira sem licença válida.

O caso foi analisado pelo juiz de Direito Fábio Farias, titular da unidade judiciária. Na sentença, o magistrado registrou que apesar da empresa ter feito o pedido de licenciamento, não poderia desmatar antes do processo ter sido concluído.

“No ponto, importa destacar que eventual demora do órgão para concluir o processo de licenciamento não é um salvo-conduto para que as empresas passem a explorar ilegalmente a área, sendo necessário aguardar a conclusão do processo de licenciamento, sob pena de incorrer em crime, assim como no caso concreto”, registrou Farias

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas