Connect with us

POLÍCIA

Polícia Militar intensifica ações preventivas e repressivas de enfrentamento à alta incidência de furtos no centro de Rio Branco.

Avatar

Publicado

em

Ascom Pmac

Com o aumento considerável da concentração de drogadictos (usuários de entorpecentes), em situação de rua, tem crescido a incidência dos crimes contra o patrimônio, principalmente, de furtos a bens públicos e privados.

Para os criminosos, não basta apenas subtrair os objetos. Por onde passam, deixam um rastro dilapidado dos estabelecimentos violados, com a destruição de vidraças, portas, janelas etc, aumentando ainda mais os prejuízos de comerciantes e lojistas, instalados na região. Sem contar o dano ao erário, quando se trata de bens públicos afetados.

Há de se pontuar que essas pessoas em situação de rua, envolvidas em práticas criminosas, estão nessa condição, não porque não tenham onde morar, mas em decorrência de conflitos familiares, causados pelo abuso de drogas dependência química, abandonam ou são expulsos dos lares pela própria família. Consequentemente, a existência de um número significativo de imóveis abandonados ou que estejam sem uso na região central acabam se tornando abrigo coletivo ocupados provisoriamente por essas pessoas. Destarte, a origem da problemática é uma questão social e de saúde pública e não policial.

No que diz respeito à prática de furto, em especial de fios elétricos, o alto valor de mercado do cobre (componente dos cabos elétricos), em média R$ 30,00 (trinta reais) o quilo, torna o metal ainda mais atrativo e cobiçado para os drogadictos de rua, aumentando ainda mais inclinação desses indivíduos a cometerem delitos para manter o vício em crack, o que agrava muito mais a problemática.

O crime de furto é um delito de oportunidade, em que o perpetrador vive nas ruas e, por isso, tem toda vantagem a seu favor, uma vez que o policiamento ostensivo é serviço de emergência e por diversas vezes, necessita interromper o patrulhamento para atender ocorrências policiais das mais diversas naturezas. Diante disso, o policiamento tem maior dificuldade para flagrantear, de forma mais contundente, a prática do delito, uma vez que não há predileção, os alvos das ações criminosas são atacados aleatoriamente.

Outrossim, vale ressaltar que nos períodos da noite e madrugada as viaturas abordam em média 30 (trinta) drogadictos na subárea central. Além disso, entre os objetos que costumam ser recolhidos com eles estão: alicates, barras de ferro, facas e martelos. Com esses objetos eles extraem fios, tanto da rede elétrica pública, como também dos comércios e, assim, mantém o vício.

Os flagrantes não têm nenhum resultado prático, pelo contrário, o tempo que equipes perdem na delegacia entre a confecção dos boletins e aguardando os demais encaminhamentos da Polícia Judiciária, só amplia as possibilidades de que outros usuários cometam os delitos. Ressalte-se que os drogadictos, compreendem recentemente a uma faixa etária cada vez mais jovem, com a presença cada vez maior de mulheres.

Por fim, convém pontuar que nos últimos 9 dias, ou seja, entre os dias 25 de março e 4 de abril, foram registrados 23 (vinte e três) furtos na região central, através do CIOSP (190). Dentre esses registros, em 8 (oito) situações distintas, houve a prisão dos autores e a condução deles à Delegacia de Flagrantes. Dos indivíduos conduzidos, apenas 1 (um) não era morador de rua. No que concerne à totalidade dos registros, em 18 (dezoito) aparece a expressão “morador de rua”, no histórico da geração da ocorrência, apontando esse tipo de indivíduo como autor do crime.

Neste curto período, um mesmo indivíduo foi preso em flagrante pela Polícia Militar e, menos de 24 horas depois, foi preso novamente pela mesma prática criminosa também pela Polícia Militar. Tendo o autor sido liberado após uma segunda prisão, foi flagrado pelo sistema de monitoramento de um estabelecimento já numa terceira ação delitiva de furto. Um outro indivíduo foi preso novamente 48 horas depois de ter furtado uma agência da Caixa Econômica Federal, desta vez, fios elétricos furtados possivelmente do Mercado Velho.

Continuar lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POLÍCIA

Ação conjunta das forças de segurança interceptam quase 200 quilos de cocaína na Br-364

Avatar

Publicado

em

Por


A ação policial foi realizada em conjunto pela Polícia Federal, o 6º Batalhão, o Rotam e o Gefron.
O carregamento da droga, que tinha como destino Rio Branco, era transportado numa caminhonete.
Durante a operação três pessoas foram presas e dois veículos foram apreendidos. “ As forças de segurança estão intensificando as ações de combate ao tráfico de drogas em todas as regiões”, disse o Delegado Rêmullo Diniz, coordenador do Gefron.

Continuar lendo

POLÍCIA

Câmara Criminal mantem pena de mais de 400 anos a quarteto envolvido em duplo homicídio

Avatar

Publicado

em

Por

Na apelação criminal a defesa de três dos quatro envolvidos no duplo homicídio da Praia do Amapá, pediu a anulação, pediu anulação do júri.


Os advogados, argumentaram a ausência de provas e também que a decisão dos jurados foi contaria ao que consta nos autos.


Mas ao analisar o recurso o Desembargador Samoel Evangelista, disse que o conselho de sentença optou por uma das teses que constam no processo.


O voto do relator foi acompanhado pelos outros desembargadores.


Em 14 de dezembro do ano passado, Everton de Assis Melo foi condenado a 91 anos e 4 meses, Gilsicley Ferreira Monteiro a 107 anos e 3 meses, Gabriel de Souza Lima a 107 anos e 3 meses e Ivan de Souza Silva 101 anos e 4 meses.


O quarteto foi considerado culpado pelos os assassinatos dos cunhados: Fernando do Nascimento da Silva e Cristina Reis de Souza.

Continuar lendo

POLÍCIA

Bombeiros resgatam cadáver no igarapé Judia, em Rio Branco

Avatar

Publicado

em

Por

O cadáver de um jovem foi encontrado no fim da tarde deste domingo, 11, no Igarapé Judia, no Conjunto Habitacional Cidade do Povo.
O corpo, já em elevado estado de composição, foi resgatado por uma equipe de Bombeiros do 2º Batalhão.
A vítima, que não teve o nome revelado, estava presa em galhos, o que dificultou a ação de resgate.
De acordo com peritos do Instituto de Criminalística da Polícia Civil, o jovem foi torturado e depois executado.
Uma perfuração de arma de fogo foi encontrada na cabeça da vítima, além de ferimentos por arma branca pelo corpo.
A suspeita é que o jovem seja irmão de um policial militar, mas a investigação preliminar, descarta que o crime seja motivado pela profissão do familiar da vítima.
O caso será investigado na Delegacia de Homicídios da Polícia Civil.

Continuar lendo

Trending

www.acrenews.com.br é uma publicação da Acrenews Comunicação

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Endereço: Área rural, 204, Setor Barro Vermelho - CEP 69.923-899

Os artigos assinados não expressam a opinião deste site.

contato@acrenews.com.br

Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados.