Connect with us

ACRE

Tratamento de ramais feito pelo governo em Epitaciolândia irá aquecer a produção agrícola da região

Publicado

em

Por Agência AC

“Na história de Epitaciolândia, jamais foi feito um trabalho tão completo nos ramais como esse que o governo do Estado está realizando através do Deracre, em 2021”. A frase é do prefeito do município Sérgio Lopes (PSDB) entusiasmado com o processo iniciado há alguns dias. Será um tratamento de base e sub-base em 76 quilômetros de ramais, beneficiando centenas de pequenos e grandes produtores rurais em Epitaciolândia.

O governador Gladson Cameli tem dito reiteradamente que após o período de pandemia é preciso que o governo retome os investimentos em infraestrutura para dar condições aos produtores de escoamento dos seus produtos.

“O agronegócio é um dos carros chefes do nosso governo. O Acre tem condições de melhorar enormemente a sua produção agrícola, pecuária e suína. Isso gera empregabilidade no campo e a melhoria do abastecimento interno de alimentos. Estamos fazendo parcerias com todas as prefeituras do Acre para através da união melhorarmos as condições de vida das nossas famílias que vivem na zona rural”, afirmou o governador.

Agronegócio é tido como um dos carros chefes do governo do Estado  Foto: Marcos Vicentti/Secom

Segundo o diretor presidente do Departamento de Estradas de Rodagem (Deracre), Petrônio Antunes, o programa de recuperação de ramais do governo do Estado ainda não foi lançado oficialmente. Mas algumas empresas contratadas já iniciaram o trabalho, como é o caso de Epitaciolândia.

“O investimento será em torno de R$ 20 milhões no município. No seu programa de ramais em todo o Acre o governo irá aplicar R$ 150 milhões em dois anos, com o objetivo de fortalecer as comunidades rurais que produzem as riquezas agrícolas e pecuárias, proporcionando milhares de empregos para a nossa população e fomentando desenvolvimento”, salientou.

Gerando riquezas e bem estar social

O prefeito Sérgio Lopes, de Epitaciolândia, está acompanhando de perto o trabalho da empresa Patriarca, contratada pelo governo para realizar o serviço nos ramais. Ele explica os benefícios gerados aos produtores com a melhoria da trafegabilidade nas vias vicinais.

Prefeito de Epitaciolândia Sérgio Lopes acompanha de perto trabalho feito pela empresa contratada Foto: Marcos Vicentti/Secom.

“Contando os três ramais que receberão o tratamento de base e sub-base, Estrada Velha, Ramal da Torre e Ramal do Sete, mais de 500 famílias serão beneficiadas. Temos ao longo desse percurso o Frigorifico JP, com um grande volume de abate de animais, além do assentamento Quintal Florestal, onde vivem e produzem hortaliças, cerca de 70 famílias. Principalmente na Estrada Velha existe uma grande produção de cereais, sorgo, milho, soja e também de criação de suínos. Então, toda essa cadeia produtiva será beneficiada com a melhoria dos ramais que está sendo realizada pelo governo do Estado”, comemora o prefeito.

Sérgio Lopes destaca ainda o aspecto social proporcionado pela melhoria dos ramais.

“Os produtores utilizam esse caminho para escoar a produção, levando as suas mercadorias para as feiras livres todos os dias. Mas as famílias que vivem na zona rural têm crianças e jovens estudantes que utilizam essa rota para acessar as escolas na cidade”, salientou.

Produtores utilizam esse caminho para escoar a produção Foto: Marcos Vicentti/Secom.

Apesar de não haver uma contrapartida financeira da prefeitura, Sérgio está empenhado em ajudar naquilo que estiver ao alcance do poder municipal.

“Nos colocamos à disposição para auxiliar a equipe que está trabalhando nos ramais fazendo o acompanhamento da obra. É um trabalho de muita qualidade e nós nunca tivemos uma melhoria de ramais nesse nível, com a construção de base e sub-base em Epitaciolândia. Isso será toda uma preparação estrutural para esses ramais no futuro, quem sabe, receberem uma camada asfáltica que é o sonho de todos”, disse ele .

Um dos maiores polos produtivos do Acre

Os produtores de agricultura familiar do Polo Agroflorestal avaliam a importância da intervenção nos ramais pelo governo. Fábio Júnior Fortes de Oliveira disse que com a melhoria da trafegabilidade já é possível pensar em aumentar a produção de hortaliças.

Fábio Júnior Fortes de Oliveira, agricultor familiar, avaliou a importância da intervenção nos ramais pelo governo Foto: Marcos Vicentti/Secom.

“Com a melhoria no ramal poderemos vender toda a nossa produção no município. Com certeza vamos produzir muito mais devido à facilidade que teremos para sairmos com a verdura aqui de dentro. Precisamos de ramais rápidos porque trabalhamos com um produto perecível que tem que ser vendido no mesmo dia. No caso de uma chuva forte a gente pode perder o produto, como já aconteceu, porque o ramal fica intrafegável”, lembrou.

A presidente da Associação do Polo Quintal Agroflorestal, Devanir Ramiro Vieira da Silva, também comemorou o inicio das obras.

Devanir Ramiro Vieira da Silva, presidente do Polo Quintal Agroflorestal, também comemorou o inicio das obras Foto: Marcos Vicentti/Secom.

“Isso que está acontecendo é um sonho porque nós mexemos com horticultura e poderemos levar os nossos produtos de maneira rápida para vendermos nas feiras, supermercados e restaurantes da região. Nós já sofremos muito nessa estrada durante o inverno. A gente saía às 3 horas da manhã para chegarmos às 10 horas nas feiras, num trajeto de apenas 8 quilômetros de ramal porque fazíamos essa distância andando em tempos de chuva. Essa melhoria permitirá aumentarmos a nossa produção e as nossas vendas”, explicou a produtora rural.

Celeiro do agronegócio do Acre

Mário Maffi é o maior produtor de grãos da região do Alto Acre. As suas lavouras de milho e soja modernizadas são exemplos de que o agronegócio é produtivo e viável no estado. Ele avaliou o significado da melhoria dos ramais para os grandes produtores.

Mário Maffi, maior produtor de grãos do Alto Acre, disse que melhorias renovam as esperanças dos produtores da região. Foto: Marcos Vicentti/Secom.

“O que está acontecendo é mais que um sonho, é a renovação da nossa esperança. A parte mais difícil do nosso negócio é o escoamento da produção. Esse ano já tivemos o nosso prefeito ajudando no começo da colheita e agora temos a notícia do trabalho que o governo vai realizar na Estrada Velha. Esse é um dos ramais mais produtivos do Acre porque além da agricultura e das criações de frango, suíno e pecuária temos uma grande habitação de produtores da agricultura familiar”, afirmou.

Atualmente, lavoura de Mário possui 500 hectares de milho e mais 70 de soja Foto: Marcos Vicentti/Secom.

A fazenda do Mário gera 15 empregos diretos e uma infinidade de outros indiretos ligados à cadeia produtiva.

“Atualmente estamos plantando 500 hectares de milho e mais 70 de soja. Esse negócio gera muitas oportunidades econômicas porque a agricultura antecipa a riqueza mais rápido do que a pecuária. O milho que produzimos é praticamente todo consumido pelas Indústrias Dom Porquito e Acreaves, aqui na região do Alto Acre, que têm uma demanda grande. Mas o nosso estado está caminhando para a revolução da produção agropecuária e vamos um dia ser autossuficientes em alimento. A melhoria dos ramais baixa o custo do nosso transporte e nos estimula a aumentar o investimento”, salientou Mário.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

ACRE

Edição especial do Projeto Cidadão será voltada ao atendimento de pessoas em situação de rua

Documentação, atendimento médico, odontológico, jurídico e previdenciário integram a edição do projeto “Acolher para Transformar”

Publicado

em

Por

Nos próximos dias 2 e 3 de junho será realizado o projeto “Acolher para Transformar”, no Fórum Barão de Rio Branco. O mutirão de atendimentos é uma edição especial do Projeto Cidadão, voltado às pessoas em situação de rua da capital acreana.

O acesso a documentação civil é uma forma de garantir direitos e promover cidadania, reduzindo a invisibilidade desse público. A primeira etapa desta atividade ocorreu até o dia 4 de maio, quando encerrava o prazo para expedição, regularização e transferência dos títulos de eleitor.

Quem está em situação de rua tem maior dificuldade em ter acesso a direitos constitucionais fundamentais. Assim, o direito a identificação civil é o caminho para acessar outras políticas públicas, como um atendimento de saúde, por exemplo. Deste modo, o Tribunal de Justiça do Acre tem priorizado o fomento de ações inclusivas, a fim de contribuir na superação de barreiras impostas por múltiplas vulnerabilidades sobrepostas.

Com a sensibilidade de quem está  há 46 servindo à Justiça, a decana da Corte, a desembargadora Eva Evangelista liderou a tessitura de uma rede de colaborativa. Foram realizadas rodadas de reuniões para articular a participação das instituições e sensibilização quanto à demanda.

O diálogo se iniciou com os representantes dos órgãos integrantes do Sistema de Justiça (Justiça Federal, Ministério Público Federal, Defensoria Pública da União, Ministério Público do Acre, Defensoria Pública do Acre), Estado e Município de Rio Branco, por meio de suas secretárias da área de assistência social (Secretaria de Estado de Assistência Social, Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres; Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos).

Andarilhos, mendigos, guardadores de carros e outros empregos precários compõem os rótulos dessas pessoas. Isto se soma a falta de uma habitação convencional regular, ou seja, dormem em praças, calçadas, prédios abandonados e até ao relento. A complexidade desse contexto social exige o aceite em adotar posturas frente ao preconceito, estigmas e marginalização. A pobreza e a heterogeneidade desse público justificam a necessidade dos direitos humanos, medidas para garantia da dignidade e construção de uma sociedade mais solidária.

Deste modo, o planejamento seguiu com nova reunião com SASDH,  Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro POP), Polícia Civil, Sesc-AC e Ordem dos Advogados Brasileiros, seccional Acre (OAB-AC).

Por fim, a mobilização contatou Álvaro Mendes, representante do Movimento Nacional de população de rua, Hudson Nunes, representante do Movimento Acreano das Pessoas em Situação de Rua (MAPSI) e a Elizangela Maffi, representante da Associação de Redução de Danos do Acre (Aredacre), organização sem fins lucrativos, voltada ao trabalho preventivo contra a disseminação de doenças de condições crônicas e infecções sexualmente transmissíveis.

A juíza-auxiliar da Presidência, Andrea Brito, enfatizou que a iniciativa contribui com o objetivo de garantir o acesso à Justiça, conforme previsto na  Resolução do CNJ n° 425/2021. “O nome do evento reflete então o lema dessa política institucional: acolher para transformar”, enfatizou a magistrada.

Continue lendo

ACRE

Senado coloca na pauta de votação MP que libera crédito para reconstruir a BR-364

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

Entrou hoje (26) na pauta de votação do Plenário do Senado Federal, a Medida Provisória (MP) 1.097/2022 que destina R$ 418 milhões de reais para o Ministério da Infraestrutura. O dinheiro será usado para reconstruir as rodovias destruídas pela chuva.  O crédito extraordinário será empregado em 14 estados.

Segundo a MP, para a região Norte será liberado o valor de R$ 133 milhões que será injetado nos estados do Acre, Amazonas, Pará, Rondônia e Tocantins. Já para o Centro-Oeste, R$ 36 milhões; para o Sudeste, R$ 191 milhões; e para o Nordeste, R$ 58 milhões.

De acordo com o Ministério da Infraestrutura, o valor destinado ao norte vai servir para os serviços de reconstrução da BR-364, no Acre. Alguns trechos estão praticamente intrafegáveis e tal situação pautou inúmeras agendas da bancada federal, governo do estado e entidades sociais junto à autarquia.

Continue lendo

ACRE

Cidades do Acre sentiram a terra tremer após terremoto de 7,2 de magnitude no Peru

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

Um tremor de terra de 7,2 de magnitude que teve seu epicentro no Peru foi sentido na Bolívia e no Brasil, na manhã de hoje (26). Moradores de cidades do Acre como Feijó, Santa Rosa do Purus, Tarauacá e Manoel Urbano reportaram o fenômeno.

Em consulta ao Monitor dos Abalos Sísmicos do Brasil, o território acreano chacoalhou exatamente às 7h02m (horário local). “55 abalos sísmicos foram reportados nas últimas 48 horas. Do total, 49 eventos foram classificados como de leve intensidade enquanto 5 receberam o status de moderados. Apenas um dos tremores foi classificado entre forte e muito forte. Dos 55 eventos, o de maior intensidade ocorreu às 07:02 do dia 26/05 e foi localizado no Peru, 13 km a oeste-noroeste de Azangaro, a 217 km de profundidade. O abalo foi calculado em 7.2 magnitudes”, informou o boletim.

No mapa do portal Apolo 11, destaque para o tremor no Peru que também foi sentido nos países vizinhos. “O poderoso abalo sísmico de magnitude 7.2 registrado no sudeste do Peru na manhã desta quinta-feira foi sentido no Brasil. Pessoas que estavam em vários prédios em Porto Velho (RO) e em Manaus (AM) relataram ter sentido o tremor por volta das 8h e alguns edifícios chegaram a ser esvaziados. Também houve relatos pelas redes sociais de moradores do Chile, Equador e Bolívia. O evento foi profundo e não há informações sobre vítimas no Peru”, acrescentou.

O portal Painel Global que destacou a magnitude dos tremores calculados em a 13 km a oeste-noroeste de Azangaro. “O violento abalo teve seu hipocentro localizado sob as coordenadas 14.86S e 70.30W, a 217 km de profundidade. Apesar da grande intensidade do abalo, a profundidade em que ocorreu o evento favorece a dissipação da energia antes de chegar à superfície”, informou a plataforma.

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas