Connect with us

ESPORTE

Acre perdeu essa semana um amante de nosso futebol, o ex-dirigente do Independência, Hélio Amaral

Publicado

em

Por Na Marca da Cal

A torcida do Independência está de luto. Morreu nesta quarta-feira (2) o ex-dirigente e atleta do clube, o economista Hélio Pereira do Amaral, 78 anos, vítima de ataque fulminante do coração, em Rio Branco-AC.
O corpo do economista foi velado durante essa quinta-feira (3) na capela “Morada da Paz” e foi sepultado no mesmo local no período da tarde. Hélio Amaral era divorciado e deixa quatro filhos.

A vida de atleta na década 1960

Rio Branco – 1966. Em pé, da esquerda para a direita: Tião Lustosa, Nabor, Benevides, Escurinho, Pedro Pereira e Zé Palito. Agachados: Dadão, Hélio Amaral, Jangito, Dadinho e Madureira. Acervo Benevides.

Querido no meio esportivo, principalmente no Marinho Monte, CT do Independência, o então ponta direita amazonense Hélio Amaral iniciou a vida esportiva em meados dos anos de 1960 vestindo a camisa do rival Rio Branco. Na temporada de 1966, ele figurou numa formação estrelada ao lado de craques como Dadão, Jangito, Escurinho e Benevides e mais outros bons jogadores da época.
Logo depois, Hélio Amaral migrou para o Tricolor de Aço, o Independência, clube do coração. Lá jogou com atletas que foram considerados lendas do Independência, como é o caso do paraense Escapulário, do amazonense Palheta, do amapaense Jangito e do acreano Bico-Bico, isso na temporada de 1969, quando o time do Marinho Monte conquistou o vice-campeonato acreano.

Independência – 1969. Em pé, da esquerda para a direita: Pedro Louro, Zé Maria, Praxedes, Raimundinho Kelé, Hélio Pinho e Escapulário. Agachados: Hélio Amaral, Jangito, Mário Duarte, Otacílio e Dimiro. Foto/Acervo Paulo Edson.

Os estudos, a vida de dirigente e homenagem

Na década de 1970, Hélio Amaral trocou as chuteiras pelos estudos e o trabalho. No entanto, o amor pelo Independência era tanto que ele passou a figurar entre os diretores do clube e, posteriormente, assumindo a função de diretor de futebol.

Mesmo afastado nos últimos anos do dia-a-dia do Independência, Hélio Amaral contribuía financeiramente com o clube. O ex-dirigente, ao lado de José Eugênio Leão Braga, o Macapá, e alguns outros abnegados tricolores, durante décadas, realizam a chamada “vaquinha” tricolor, principalmente durante as disputas do Campeonato Acreano.

Na temporada de 2008, Hélio Amaral esteve entre as personalidades esportivas que homenageadas pelo III Prêmio Destaque Esportivo Campos Pereira, em premiação organizada pela Associação do Cronistas Esportivos do Acre (Acea). Na mesma lista de homenageados constavam os nomes de Raimundo Nonato (Pepino), Américo de Melo, Dona Iolanda, Valdemir Canizio, Aldel Derze, Carlos Xepa e Arináua Lustosa Leão.

A vida profissional

Hélio Amaral tinha formação na área de economia, fez parte das fileiras do Banco do Brasil e, posteriormente, da extinta Ceag-Acre, empresa estatal a qual foi nomeado diretor por vários anos. Logo depois, ele foi aprovado em concurso público para o cargo de auditor no Tribunal de Contas do Estado do Acre (TCE) e, posteriormente, aposentou-se pelo órgão fiscalizador.

Na vida política, Hélio Amaral chegou a presidir o PFL, partido que daria origem ao atual DEM.

Ex-craques lamentam a perda; Macapá fala de legado deixado

O ex-meia amazonense Valdir Silva, 72 anos, hoje aposentado e residindo na cidade de Manaus-AM, lamentou profundamente a morte de Hélio Amaral. “O Hélio Amaral era um ser humano excepcional. Um ser humano bastante inteligente e um grande parceiro”, disse Valdir Silva.

O ex-craque Artur de Oliveira também lamentou durante o “Lance Esportivo”, da Rádio Difusora Acreana, programa levado ao ar no início da tarde desta quinta-feira (3), a morte do ex-dirigente. “Estou muito triste com a partida do professor Hélio Amaral. Foi graças a ele e ao Campos Pereira que eu fui contratado para defender o Independência na disputa do Campeonato Brasileiro da Série B. Se eu venci na vida, tudo começou naquele jogo contra o Paysandu, ocorrido em 1991”, lembrou Artur de Oliveira.

Emocionado com a perda do amigo de longas datas, o presidente do Independência, José Eugênio de Leão Braga, o Macapá, disse, através da assessoria de imprensa do clube, que a morte do economista Hélio Amaral irá deixar um grande vazio no Independência, assim como no futebol local. “Só tenho a lamentar pela sua partida, pois durante décadas foi um dos dirigentes mais ativos do Independência, contribuindo com ideais e financeiramente com o clube”, comentou o dirigente.

No primeiro trimestre deste ano, o Independência realizou eleições para o biênio 2021/2022. O presidente José Eugênio de Leão Braga, o Macapá, foi reeleito para o cargo, mas Hélio Amaral, antes vice-presidente do clube (2018/2019), preferiu optar em não disputar o pleito e ficar apenas como um dos conselheiros do clube.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ESPORTE

Foto inédita do Jogador Garrincha em evento no Acre é divulgada após 41 anos

Publicado

em

Por

Um registro inédito do ex-craque do Botafogo e da Seleção Brasileira, Mané Garrincha, foi divulgado nessa quinta-feira (23), na rede social do desportista Afrânio Moura. Na imagem, o ex-jogador aparece ao lado de outros ex-atletas durante evento festivo em 1980, na antiga Fundação Bem-Estar de Assistência Social do Acre (Funbesa), em Rio Branco (AC).

Garricha veio à capital acreana naquela época representando a Legião Brasileira de Assistência (LBA), que tinha programas sociais voltados ao assistencialismo e à juventude. A Funbesa era um dos núcleos para projetos sociais, principalmente voltado ao esporte.

– Foi a inauguração, se eu não estou equivocado, da quadra poliesportiva que tinha na Funbesa naquele ano, onde era um espaço de atividades físicas. Eram desenvolvidas muitas atividades e ele estava presente – disse Afrânio Moura, que é o terceiro jogador agachado da esquerda para direita, em entrevista ao ‘ge’.

Na ocasião, Garrincha visitou a capital do Acre a pedido da Legião Brasileira de Assistência (LBA), que tinha núcleos sociais voltados ao esporte e à juventude.

– Nesse dia uma das atividades foi um torneio de futsal da comunidade local e nós, que estamos presentes nesse registro fotográfico, fizemos uma equipe e participamos e fizemos esse registro com o Garrincha. Na verdade ele jogou nesse evento, ele veio representando os programas sociais e abrilhantou essa atividade – completou.

Em 1982, Mané Garrincha já estava aposentado há quase oito anos. Ídolo do futebol, o desportista relatou ao ‘ge’ que a ida do ex-jogador foi um marco para a cidade.

Maior nome da história do Botafogo, o camisa 7 foi bicampeão mundial pela Seleção Brasileira.

Com infomações GE Acre.

Continue lendo

ESPORTE

Em virada surpreendente, Rio Branco bate o Galo por 4×3

Publicado

em

Por

O Rio Branco-AC conseguiu superar o Atlético-AC de virada por 4 a 3, neste domingo (26), no estádio Florestão, na capital, e tem vantagem do empate na última rodada para garantir vaga na decisão do estadual contra o Humaitá.

O Estrelão ficou quase todo jogo atrás do marcador e só conseguiu virar aos 42 minutos do segundo tempo. O meia Gabriel Ceará, do Estrelão, foi o principal destaque da partida com três gols marcados. Wanderson também balançou as redes, de pênalti. O Galo Carijó marcou com Thomas, Digão e Daniego.

PRÓXIMOS COMPROMISSOS


As duas equipes voltam a campo na quinta-feira (30), no estádio Florestão. O Atlético-AC encara o Humaitá, às 17h, e o Rio Branco-AC enfrenta o Galvez, a partir das 19h. Confrontos válidos para terceira rodada do segundo turno.

Continue lendo

ESPORTE

3ª Corrida do BOPE vai reunir mais de trezentos atletas no próximo domingo, 26

Publicado

em

Por

No próximo domingo (26), Rio Branco vai sediar a Terceira Edição da Corrida do Batalhão de Operações Especiais, BOPE, da Polícia Milita do Acre. Apesar de ser uma prova com o título de “ militar”, a competição é aberta a comunidade.

Promovida e organizada pela Acre Running, maior expoente em organização de eventos esportivos da região, a corrida terá a participação de mais de trezentos atletas, do Acre e de outros estados. Será um percurso de 5 km, sendo 3 em terreno de asfalto e 2 em trilha, com vários obstáculos.

Ao logo desses dois mil metros, os atletas irão encarar parte alguns dos obstáculos que os militares do BOPE utilizam em seus treinos, como o rastejo e a rampa.

A largada e a chegada acontecem no pátio do BOPE, no residencial IPÊ, em Rio Branco, a partir das 7h da manhã.

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Engenharia e Tecnologia