Connect with us

ACRE

“Ainda volto para o rádio e retomo minha audiência”, promete Reginaldo Cordeiro, o “Rei do Brega”

Publicado

em

Evandro Cordeiro

Reginaldo da Silva Cordeiro era um relojoeiro que, antes de ser relojoeiro, engraxou sapatos nas ruas de Rio Branco, vendeu picolé, lavou carros, foi torrador de café e atendeu como garçom no bar Brotinho, quando no Acre ainda nem existiam os garçons, como na atualidade. Tudo isso antes dele se tornar celebridade, ao entrar para o rádio, assumindo a identidade de Reginaldo Cordeiro, o “Rei do Brega”. Como ele fez sucesso em uma época que a rádio Difusora Acreana já transmitia em cadeia para todo o Estado, sua fama foi até o cafundó do judas. É conhecido em todos os municípios e vilarejos, e até fora do Acre. Adquirir toda essa bagagem, contudo, levou um tempo e tem uma história e tanto. A mais recente envergou o “rei”, mas não quebrou. Ele perdeu a perna esquerda há pouco mais de um ano, numa briga medonha contra o diabetes, uma doença crônica na qual o corpo não produz insulina ou não consegue empregar adequadamente a insulina que produz. “O golpe foi duro, mas não me derrubou, nem vai derrubar. Ainda volto para continuar minha história no rádio”, disse ele ao Acrenews nesta sexta-feira, 4, feriado de Corpus Christi, ao nos receber em casa, uma bela residência cercada de muitas árvores na cidade velha de Porto Acre, próximo às margens do rio Acre.

Reginaldo Cordeiro é um cidadão do Acre, nascido no município de Tarauacá. Foi pego pela parteira no dia 6 de julho de 1953. Filho do Delegado de Polícia Chiquim Rezende e da dona Nidinha, tem 33 irmãos. Isso mesmo. Uma maioria ainda vivos. “Brega” ficou em Tarauacá até seus 11 anos, quando se mudou para Rio Branco. Na capital a vida não foi fácil até o estrelato, ao passo que precisou ralar em atividades marginalizadas ainda hoje, casos de engraxates, vendedores de picolés e lavadores de carro. A coisa só deu uma aliviada quando ele teve a oportunidade de trabalhar na fábrica do guaraná Libertador, a grife da época, quando o assunto era bebida.

Nosso “Rei” trabalhou muito, mas também se divertiu com tudo isso e ainda estudou pra caramba, mesmo em meio às dificuldades da época. Foi aluno do período noturno do colégio Maria Angélica de Castro. Perto de concluir o ensino primário, como era chamado o ensino básico de então, o Cordeiro mais famoso do rádio foi trabalhar de relojoeiro.

A vida no mercado de uma capital, mesmo sendo a Rio Branco do início dos anos 1970, bucólica, já não era tão fácil. Nos mercados estão os poetas, mas também muitos malandros e trapaceiros, escrevia sempre o poeta Jorge Naylor (in memoriam). Reginaldo Cordeiro, mesmo assim, conquistou seu espaço. Era um ótimo relojoeiro, segundo testemunho ele mesmo, por falta de depoimentos de terceiros. Ganhou um pouco de dinheiro com aquele trabalho e até gostava daquilo, mas sentia que Deus havia reservado algo a mais, segundo o próprio. Pois certo dia foi ao estúdio da rádio Difusora Acreana para dar um alô no horário de um programa de grande audiência, o Anoitecer no Seringal, animado pelo lendário radialista “Compadre Lico”. Cordeiro deu aquele alô, achou aquilo tudo muito mágico, e voltou para dar outras palhinhas naquele horário. “Daqui a pouco eu passei do alôzinho para anunciar música, já bem entremetido no programa do Lico”, conta. Certo dia, o velho “Lico” precisou se afastar por uma semana. O diretor da emissora era o “paizão” de todos os radialistas contemporâneos, Pedro Paulo Menezes de Campos Pereira, o Campos Pereira, um sujeito generoso, principalmente quando pressentia que alguém precisava apenas de uma oportunidade. O próprio Campos convidou Reginaldo para ficar aqueles dias no lugar do “Lico”. Foi suficiente. Cordeiro nunca mais saiu do ar. Melhor: virou campeão de audiência ao criar e apresentar, nas tardes de sábado, o programa Carrossel Musical.

Naquela época o rádio transformava seus locutores em verdadeiras entidades, celebridades de um instrumento de comunicação mágico, como ainda é, mesmo com a chegada da internet. Reginaldo ainda traz essa magia até hoje. Ele é a cara do rádio, sobretudo porque conversa com a gente como se estivesse falando com seus “súditos” pelas ondas médias que percorrem o infinito.

Aos 68 anos de idade, Reginaldo Cordeiro ainda é uma figura forte do rádio, um galanteador nato. Mesmo sem parte da perna, continua esbanjando o dom da conquista, evidentemente da amizade das pessoas. Recebe gente em casa como poucos, um gentleman por natureza. “Isso é, também, um tipo que os radialistas fazem para ‘cantar’ seus ouvintes. De forma respeitosa, claro. Cantar no sentido de conquistar para a audiência”, explica o soberano. Do ponto de vista das conquistas afetivas, o “Rei” nega a fama de mulherengo, embora admita algumas aventuras e as desventuras, tanto que casou apenas duas vezes. Com a primeira mulher, dona Gercina, tiveram três filhos. Separou e casou novamente, agora com a Lenny Cordeiro, com quem tem um filho, o Leonardo. O casamento já dura 25 anos. Hoje Reginaldo é um senhor garoto, mesmo perto dos 70 anos. Ainda que sem a perna, o astral continua na altura das ondas do rádio. A rigor, é para o rádio que ele quer voltar –  e urgente. “Só esperando a pandemia terminar para voltar. Não vivo sem aquilo”, diz ele, bem-humorado e elogiado pela esposa. “Reginaldo para mim hoje é um bom pai e um excelente marido, um bom companheiro”, diz a Lenny.

MOMENTO DA TRAGÉDIA, A PERDA DA PERNA

A indesejável relação do Reginaldo Cordeiro com o diabetes é antiga, mas ele não sabia. Segundo conta, há pouco tempo é que soube da presença em seu organismo de um mal tão devastador, por meio de exames de rotina. “Quando descobri já estava muito forte”, diz ele, que nem gosta de lembrar os infortúnios. Ele acha que não ter mais uma das pernas é drama suficiente para martelar o quengo de qualquer um até o fim da vida. “Basta ver que perdi minha perna. E isso a gente supera. Não é tão fácil assim, mas supera. Ainda hoje, mais de ano depois, ainda tenho muitas dificuldades. Mesmo com a proteste, ainda ando com as muletas, porque ainda falta confiança”, diz nosso “Rei do Brega”.

Até perder a perna foram dias de muitas dificuldades, a começar pelas internações para tratar de ferimentos que teimam em não cicatrizar. Aquilo tudo é um “inferno”. A sorte é que algumas pessoas ainda são sensíveis. Ele lembra, por exemplo, quando apareceu em sua epopeia o secretário de Saúde do Acre, Alysson Bestene. “Tenho muito a agradecer esse rapaz, porque fui tratado como um rei. Nunca tinha visto a Saúde tão organizada, como sob as ordens dele, com aquele jeito delicado, amigo”, conta, agradecido.

Essa passagem da vida Reginaldo não conseguirá apagar de vez, mas ele promete que fará de tudo para olhar só para a frente. Ele acha bem melhor relembrar as coisas boas que viveu para trás, como as cinco eleições que disputou, algumas batendo na trave, outras, sofrendo derrotas acachapantes. Quer lembrar do futebol que sempre gostou de jogar e das amizades que fez com tantas pessoas, na estrada da vida. Para finalizar, Cordeiro diz que as pessoas precisam refletir, antes que surjam os maus dias. “As lições estão aí”, aconselha nosso “Brega”, para quem as cortinas continuam abertas, esperando por ele no palco, ainda que sem uma das pernas.

E viva o “Rei do Brega”, do rádio e da vida!

Continuar lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ACRE

Educandário Santa Margarida abre processo seletivo para Cuidadora

Publicado

em

Por

O Educandário Santa Margarida divulgou hoje através de sua página no Facebook processo seletivo para Cuidadora de Crianças.

Os interessados deverão entregar Curriculum na secretaria administrativa da instituição de 17 de junho 2021 à 07 de julho de 2021. O educandário fica localizado na R. Rio Grande do Sul, s/n, no bairro Preventório, telefone de contato (68) 3224-2828.

Continuar lendo

ACRE

Veja quais foram os compromissos assumidos pelo Governo Gladson com os professores que deram fim à greve

Publicado

em

Por

O governador Gladson Cameli (Progressistas) assumiu compromissos com os professores, os possíveis de cumprir, e colocou fim ao movimento grevista, que já durava 30 dias. Ao final saíram todos satisfeitos.

Veja os acordos ponto a ponto, divulgados pela Secretária de Educação Socorro Neri:

Em audiência de conciliação no Tribunal de Justiça do Acre, pactuamos as 11 medidas de valorização dos profissionais da educação e melhoria das condições de trabalho autorizadas pelo governador Gladson Cameli, visando os avanços possíveis na atual conjuntura:

1. Internet e notebooks para os professores em efetivo exercício de docência e equipes gestoras das escolas e das unidades de representação da SEE, por meio de PL a ser enviado à ALEAC;

2. Plataforma digital para conectar professores e alunos em ambientes virtuais de aprendizagem, equipando as escolas com kits chromebooks para uso dos estudantes;

3. Fornecimento de EPIs (máscara, álcool em gel, termômetro digital e tapete sanitizante);

4. Melhoria da estrutura física das escolas e do mobiliário e utensílios;

5. Concessão de dedicação exclusiva ou complementação de carga horária, redefinindo critérios de distribuição mais justa das atividades docentes, utilizando recursos do FUNDEB;

6. Contratação de professores utilizando os editais vigentes de processos seletivos (servidor temporário) e concurso público (servidor efetivo), de modo a concluir o quadro docente necessário ao desenvolvimento do ano letivo. Contratações que serão custeadas com recursos do FUNDEB;

7. Complementação da carga horária dos servidores de apoio, utilizando recursos do FUNDEB (referente aos servidores lotados nas escolas) e recursos próprios (em relação aos demais servidores);

8. Prorrogação da bolsa para servidores de escolas de tempo integral, com recursos do FUNDEB. (Medida concretizada por meio da Lei n 3.666, de 10 de junho de 2021);

9. Garantia de pagamento de auxílio alimentação a partir de janeiro de 2022, no valor de R$ 420,00, utilizando recursos do FUNDEB (referente aos servidores lotados nas escolas) e recursos próprios (em relação aos demais servidores);

10. Correção inflacionária no primeiro trimestre de 2022 referente aos períodos de 2020/2021 e 2021/2022, nos termos permitidos pela legislação em vigor e conforme disponibilidade financeira e orçamentária do Estado;

11. Instituição de Comissão Mista, até 30 de julho de 2022, para propor, até 20 de dezembro de 2021, ajustes nas tabelas do PCCR e na Lei de Gestão Democrática, a serem implementados a partir de 2022, conforme amparo previsto na legislação em vigor e disponibilidade financeira e orçamentária do Estado.

Aproveito para parabenizar o TJAC, em nome do desembargador Júnior Alberto, pela excelente condução da audiência de conciliação, assim como o procurador de Justiça do MPAC, Sammy Barbosa, e o procurador do Estado, Christovam Moura.

Por fim, em nome da presidente do Sinteac, Rosana Nascimento, agradeço aos demais sindicatos, colégio de diretores e categoria de Educação, por manter o diálogo aberto com o governo durante todo o processo. Nosso compromisso enquanto gestão é valorizarmos, darmos condições de trabalho e avançarmos na Educação do nosso Acre, com segurança jurídica e sustentabilidade fiscal e financeira.

Continuar lendo

ACRE

Tablet trava ao vivo e deixa apresentador de afiliada do SBT no Acre ‘irado’

Publicado

em

Por

Da redação / Foto: Reprodução TV RB

O apresentador do telejornal ‘Bom Dia Rio Branco’, Efraim Macambira, passou por verdadeira saia justa durante o programa exibido pela TV Rio Branco, afiliada do SBT no Acre, nesta quarta-feira (16).

Enquanto fazia comentários sobre a falta de infraestrutura em um dos bairros da capital, o âncora pegou o tablet para ler os recados dos internautas, via WhatsApp, e descobriu que o aparelho foi travado por um sistema de códigos. Imediatamente, ele reclamou da situação e perdeu a compostura ao vivo.

“Pessoal, algum telespectador mandou um código que trava o Android, um vírus, um enviado do capeta! É você mesmo que mandou o código! Eu espero que trave também a sua língua para que nunca mais faça isso! Eu não estou conseguindo ter acesso porque a praga enviou um código que travou o tablet. Parabéns para você, coisa ruim, enviado do capeta, que mandou esse código maldito e travou o nosso WhatsApp! Você conseguiu, enviado do cão, filhote de capeta! Infelizmente, não vou conseguir ter acesso às mensagens”, disparou.

A situação embaraçosa vem sendo compartilhada ou republicada nos principais perfis dos acreanos. É questão de tempo ‘viralizar’ também nas páginas de humor do país.

Veja o vídeo:

Continuar lendo

Trending

www.acrenews.com.br é uma publicação da Acrenews Comunicação

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Endereço: Área rural, 204, Setor Barro Vermelho - CEP 69.923-899

Os artigos assinados não expressam a opinião deste site.

contato@acrenews.com.br

Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas