Connect with us

SAÚDE

Acreana faz relato emocionante sobre como lidou com o drama da Síndrome de Burnout

Publicado

em

Por Wanglézio Braga / Foto: Arquivo Pessoal

A professora acreana Ana Paula Diniz fez um depoimento emocionante sobre como venceu a Síndrome de Burnout, um problema de saúde que ganhou visibilidade no Brasil após a demissão da jornalista de Izabella Camargo, da Rede Globo São Paulo, onde os sintomas afetaram seu desempenho no jornalismo da emissora ocasionando em quebra de contrato.

No Acre, Ana Paula Diniz recebeu o diagnóstico da doença em 2017. Ela procurou ajuda médica após sentir alguns sintomas. “Eu adquiri a síndrome por conta das cobranças no trabalho, não estava dormindo direito, tinha crises de choro no trabalho, meus pés ficam inchados, tinha náusea e um dia tive uma crise de pânico na sala de aula. Fiquei achando que um aluno que entrou com um capacete era um assaltante”, comentou ao AcreNews.

Ana avalia que é preciso dar visibilidade para os sintomas da síndrome e influenciar as pessoas a buscarem ajuda médica. Ela também avalia que no período de pandemia e pós-pandemia muitas outras pessoas possam receber o mesmo diagnóstico, no entanto, ela pede sensibilidade das empresas para com os colaboradores e que inclusive façam campanha de conscientização no ambiente de trabalho.

“No mundo pós-pandemia a preocupação com essa síndrome deverá ser constante, as crises que estamos vivendo, tanto econômica e sanitária, mudaram tudo e, com isso, os chefes e empreendedores precisam repensar sob o formato de liderança, e que no ambiente que oferece uma boa convivência os funcionários somam com eficiência no resultado final, cobranças em excesso e abuso de autoridade são elementos que adoecem a alma do trabalhador, e assim, só diminui a produção. Romantizando muitos empregos, algumas empresas matam a nossa alma. Eu vivi dias de muito sofrimento, e hoje com o conhecimento acerca da síndrome me imponho em muitas situações. Não aceito mais passar por certas situações, ainda bem que consegui um bom acomodamento com profissionais e com a ajuda da minha fé venci ”

Tratando a Burnout com medicamentos, terapias e atividades religiosas, Ana Paula recebeu uma boa notícia na última semana. Ela foi informada que poderia ser considerada vencedora após longa e exaustiva batalha contra a síndrome.

“Eu venci a síndrome de Burnout! Confesso que não foram dias fáceis e que eu não imaginava que isso poderia acontecer comigo, primeiramente porque amo trabalhar e sempre dizia ao longo da minha vida profissional que ‘eu era muito feliz em exercer minha profissão’ e segundamente que me considerava uma pessoa de fé, com isso achava que jamais poderia viver um momento tão difícil, mas aconteceu e até eu identificar que essa situação que estava vivendo era depressão levou algum tempo, e até eu começar a fazer a terapia ainda levou meses, e quando cheguei ao consultório da psicóloga que nem orientou sobre uma possível síndrome de Burnout, só assim comecei a fazer o tratamento, e a pesquisar sobre o tema, e valorizar a medicação e entender eu precisar criar condições para virar essa página”, relatou.

Nas redes sociais, a professora, que vive atualmente no município do Bujari, enfatizou que o processo do ‘alívio da síndrome’, que não tem cura segundo a medicina, ocorreu por um misto de combinações. “Minha salvação veio através da combinação da fé e da vontade de conviver com os meus alunos, já que ensinar é uma das minhas maiores paixões. E só hoje me sentia à vontade para falar abertamente sobre esse assunto, depressão é algo muito sério, e síndrome de Burnout é uma das piores sensações que alguém pode sentir na vida, o medo de ficar sem os valores financeiros te faz ficar no fundo do poço”, acrescenta e finaliza: “Por isso, é que sempre falo: incentive as pessoas, ninguém sabe as guerras internas que elas estão passando, ouçam seus amigos, deixe um bilhetinho na mesa do seu colega de trabalho com simples bom dia! Isso pode mudar a vida de alguém que esteja passando exatamente o que eu passei numa verdadeira guerra com um oponente invisível”.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

SAÚDE

Prefeitura de Rio Branco alerta população sobre surto de hepatite aguda que já ocorre em quase todo o Brasil

Publicado

em

Por

A prefeitura de Rio Branco tem como uma de suas prioridades cuidar da saúde e do bem-estar da população da capital e, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e o Departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental, vem, através do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS), alertar à população rio-branquense sobre a ocorrência de casos de Hepatite Aguda Grave de Etiologia Desconhecida no Brasil.

Em 05 de abril de 2022, o Ponto Focal Nacional do Regulamento Sanitário Internacional do Reino Unido notificou a OMS sobre 10 casos de hepatite aguda grave de etiologia desconhecida em crianças menores de 10 anos previamente saudáveis no cinturão central da Escócia. No dia 05 de maio de 2022, o CIEVS Nacional comunicou a notificação de 07 casos prováveis de hepatite aguda de etiologia desconhecida, distribuídos em duas Unidades Federativas: Rio de Janeiro e Paraná.

No Brasil, em 22 de maio, já haviam sido notificados 76 casos deste agravo, distribuídos nos seguintes estados: São Paulo (27), Minas Gerais (09), Rio de Janeiro (06), Pernambuco (06), Mato Grosso do Sul (05), Rio Grande do Sul (05), Santa Catarina (05), Paraná (03), Espirito Santo (02), Goiânia (02), CE (02), Maranhão (01), Rio Grande do Norte (01), Paraíba (01) e Rondônia (01). Destes, 64 estão em investigação e 12 foram descartados. De acordo com a faixa etária, 43,8% dos casos foram notificados em crianças menores de 5 anos.

Felizmente não há ainda registros de nenhum caso no Acre, no entanto, porém foi elaborado este alerta e que está à disposição em todas as unidades de saúde do município, em caso de surgimento da doença.

Sobre a doença

A hepatite aguda é caracterizada por inflamação do fígado, com elevação acentuada das enzimas hepáticas (AST ou ALT acima de 500 UI/L) e icterícia. Os sintomas da hepatite aguda de etiologia desconhecida relatados foram: febre, icterícia, dor abdominal, diarreia, vômito, colúria e acolia fecal, seguido do aumento dos níveis de enzimas hepáticas.

Nenhum vínculo com a vacina da Covid-19 foi identificado.

A etiologia ainda está em investigação. O CIEVS Rio Branco alerta todos os profissionais de saúde (públicos ou privados), para notificação de casos suspeitos da doença, segundo as recomendações da OMS e do Ministério da Saúde por meio da Rede CIEVS.

Continue lendo

SAÚDE

Alunos do curso técnico de enfermagem do Senac realizam primeira etapa do Projeto Integrar

Publicado

em

Por

Alunos do curso técnico de enfermagem do Senac fizeram nesta quarta-feira à noite a apresentação da primeira etapa de um projeto que faz parte da tarde curricular chamado Integrar. Esse projeto, segundo a professora Maria Lucrécia Batista, uma das responsáveis pela sua elaboração juntamente com a também professora Rossana Oliveira, tem por objetivo inserir os alunos na prática em hospitais, comunidade e no próprio território de sua convivência.

Professora Lucrécia, uma das homenageadas

A noite foi de festa nesta quarta porque a avaliação que a professora faz dos alunos do biênio 2021/2022 é excelente, sobretudo em relação ao projeto Integrar. No terceiro módulo o projeto será executado em sua totalidade, para fechar a grade curricular e lançar no mercado técnicos altamente capacitados.

O que é o projeto Integrar, segundo a professora Lucrécia

A professora Lucrécia, uma das responsáveis pelas disciplinas de Assistência de Enfermagem e Saúde da Mulher e Saúde Mental, escreveu de próprio punho ao Acrenews sobre o projeto Integrar.

– A Educação Profissional tem como referência o mundo do trabalho subsidiando docentes e alunos para a elaboração de projetos que permitam compreender o trabalho como princípio educativo e não apenas como uso de mão de obra.

O projeto integrador é um processo pelo qual o aluno, por meio de uma produção acadêmica e técnico-científica, integra os conhecimentos trabalhados durante o seu percurso de aprendizagem a metodologia de ação-reflexão-ação, que se constitui na proposição de situações desafiadoras.

Como parte integrante da grade curricular do curso Técnico de Enfermagem da instituição SENAC/Acre a turma 2021/22 turno noturno, abraçou a causa de construir um projeto voltado para Assistência de Enfermagem focada na experiência do cliente e família.

Continue lendo

SAÚDE

Varíola do Macaco: Bolívia informa 1° caso suspeito da doença

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

A Bolívia, país que faz fronteira com o Acre, registrou o primeiro caso suspeito da Varíola do Macaco. A informação foi do Serviço Departamental de Saúde (SEDES) de Santa Cruz de La Sierra durante coletiva realizada hoje (26). Segundo a autarquia, o paciente é um homem de 26 anos que teve contato direto com duas pessoas recém chegadadas da Espanha.

De acordo com a SEDES, o homem apresentou todos os sintomas característicos da doença como febre, dores musculares e lesões na pele. O Secretário de Saúde do Governo, Fernando Pacheco, disse que o homem está internado no Centro de Saúde Elvira Wunderlich aonde vem sendo supervisionado, protocolos sanitários foram aplicados até a divulgação do exame.

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas em todo mundo. Nesta terça-feira, Áustria, República Tcheca, Eslovênia e Emirados Árabes Unidos reportaram seus primeiros casos de varíola dos macacos. Na América do Sul a primeira suspeita foi anunciada na Argentina.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse nesta terça-feira (24/05) que há 131 casos confirmados de varíola dos macacos e 106 outros casos suspeitos no mundo, fora da África, desde o primeiro relatado, em 7 de maio.

Endêmico na África, o vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. A doença passa depois de duas a quatro semanas. Apenas em 6% dos casos ela é fatal geralmente quando atinge crianças pequenas. O período de incubação do vírus varia de sete a 21 dias. Os sintomas, porém, costumam aparecer após dez ou 14 dias. Além das erupções cutâneas, a varíola dos macacos causa dores na cabeça, costas e muscular, febre, calafrios, cansaço e inchaço dos gânglios linfáticos.

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas