Connect with us

CULTURA

Bocalom participa da festa de aniversário da FGB e empossa novo diretor

Publicado

em

A história da Fundação Garibaldi Brasil foi conquistada com muita maestria e com uma pitada de poesia.

A criação de uma fundação de cultura no município de Rio Branco, partiu do poeta e escritor Mauro Modesto nascido em Sena Madureira, além de idealizar a criação foi também o presidente da Fundação de cultura. Com um bom diálogo com o então Prefeito Jorge Kalume, concretizaram a brilhante ideia dias antes do dia 20 de abril de 1990, foi assim mesmo que aconteceu.

No dia em que o prefeito Jorge Kalume assinou a Lei 855 criando o mais novo órgão de administração Municipal em 20 de abril de 1990, foi criado a então Fundação Municipal de Cultura apoiando em seu bojo o esporte e o lazer.

Portanto neste dia 20 de abril de 2021, foi comemorado pela primeira vez, em uma nova fase, com novos desafios entre em um novo legado para qual foi criada há 31 anos. Desafios que a atual gestão do prefeito Tião Bocalom que esteve presente no evento, pretende trabalhar de forma responsável e com a participação da Juventude.

“Esse é um momento difícil para a cultura e o esporte. Diante dos desafios de pandemia que o mundo enfrenta, porém precisamos incentivar os jovens e adolescentes a prática cultural e esportiva. De forma responsável iremos trabalhar para que nossa juventude possa ter acesso a esse incentivo. A arte o esporte é capaz de transformar o ser humano em pessoas melhores”, comentou o prefeito Tião Bocalom.

O evento contou com a presença do idealizador e primeiro presidente da Fundação, o poeta Mauro Modesto que presenteou a nova gestão com alguns de seus livros, e na ocasião contou um pouco de sua trajetória como gestor da cultura.

“Foram histórias construídas com muita responsabilidade e amor, muitas vezes sem recurso, mas o trabalho era feito e tinha bons resultados, é uma honra poder está aqui participando deste novo momento, e poder dizer que é possível transformar uma sociedade através da arte e do esporte”, salientou o poeta.

Durante da comemoração foi feita a apresentação do novo presidente da Fundação Garibaldi Brasil (FGB), que era dirigida pela Vice-prefeita Marfisa Galvão que estava à frente da pasta desde o início da atual gestão. Agora a instituição passa a ser presidida pelo jovem Pedro Henrique Lima e Silva, formado em direito e pós-graduando em gestão pública, apesar de não fazer parte do movimento cultural, terá um olhar amplo para todos os segmentos da cultura, dialogando e buscando soluções para a ampliação e melhorias do fazer cultural.

“Iremos trabalhar a cultura e o esporte alinhado com a gestão, buscaremos dá apoio necessário para os fazedores de cultura e os desportistas. São desafios que iremos lutar juntos, faremos um trabalho coletivo, sem partidarismo político, com respeito e proatividade”, disse o novo presidente da FGB Pedro Henrique.

Certamente o maior dentre todos os novos desafios aflorados na sociabilidade diz respeito a conformação de uma nova ancoragem que dê legitimação ao desenvolvimento da cultura e políticas públicas culturais.

Continuar lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ACRE

Cantor Milton Nascimento fala de visita ao Acre que inspirou disco para apoiar causa indígena

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

O cantor e compositor, Milton Nascimento, relembrou nas redes sociais uma visita feita ao Acre que inspirou um dos seus discos mais comentados pela crítica audiovisual do Brasil na década de 90: Txai. A lembrança do artista ocorreu para justificar apoio aos indígenas mobilizados no movimento nacional, em Brasília, contra um projeto de Lei que pode afetar a demarcação de terras no país.

“Quando visitei o Acre, decidi que queria fazer um disco com referências indígenas, e ouvi a palavra “TXAI”. Perguntei o que significava, e descobri: “Mais que amigo, mais que irmão, a metade de mim que existe em você, e a metade de você que existe em mim””, lembrou.

Milton esteve no Acre, pela primeira vez, em 1989 quando participou de uma expedição do Instituto Socioambiental (ISA) onde percorreu o Rio Juruá a partir de Cruzeiro do Sul até a fronteira com o Peru.

O álbum citado pelo artista que é um ícone do MPB possui 17 canções inspiradas totalmente na cultura indígena. Com isso, ele obteve a indicação para concorrer ao Grammy em 1991 na categoria Melhor Álbum Musical Mundial.

Já o movimento nacional reúne mais de 1 mil índios, de 30 diferentes etnias do país. Eles pedem a desaprovação do PL 490/2007 que possibilita o chamado ‘marco temporal’ nas terras indígenas.

Continuar lendo

CULTURA

Governo prepara projeto de reforma da Tentamen

Publicado

em

Por

Sociedade Recreativa Tentamen. Foto: Edson Brunno

Assessoria de imprensa FEM

O governo do Estado do Acre, por meio da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM), prepara projeto de reforma do prédio da Sociedade Recreativa Tentamen, em Rio Branco. Porém, por se tratar de um espaço em processo de tombamento como patrimônio histórico estadual, as obras de reforma são mais demoradas e burocráticas, pois as características originais do imóvel não podem ser alteradas.

Fundada em 1924, a construção está localizada próxima ao Calçadão da Gameleira, ponto turístico da capital acreana. Foi palco de formaturas, jantares e bailes carnavalescos e passou a pertencer à FEM na década de 1980, porém, sem documentação. Após decisão judicial, passou a pertencer oficialmente ao Estado em 2016. Foi tombada provisoriamente como patrimônio histórico em 2020, graças a um decreto do governador Gladson Cameli.

Decreto nº 5.071 de 14 de janeiro de 2020. Fonte: Diário Oficial do Estado/Agência de Notícias

Em 2019, o presidente Manoel Pedro Gomes (“Correinha”) encaminhou um projeto ao Ministério Cidadania e Justiça para captação de recursos, graças a um edital de execução de reformas em prédios de patrimônio histórico.

A chefe da Assessoria de Planejamento da FEM, Anna Abreu, conta que qualquer alteração na Tentamen precisa de autorização do Conselho Estadual de Cultura e do Conselho do Patrimônio do Ministério da Justiça.

“Era para o recurso ter sido liberado ano passado mas, devido à pandemia, o órgão financiador ainda não havia feito o repasse. Então a autorização para iniciar o processo de recebimento do recurso junto à Caixa Econômica só foi dada no final de novembro de 2020”, relata.

O processo atualmente se encontra em trâmite burocrático, que é o procedimento de liberação das pendências para iniciar a obra. Porém, como se trata de um projeto arquitetônico e de engenharia de 2018, precisou ser reformulado, já que os preços de materiais ficaram mais elevados durante a pandemia. O vandalismo também fez com que novas demandas surgissem na  estrutura do espaço.

“O governo do Estado e a FEM, que é a executora do projeto, estão trabalhando juntos para que a reforma se realize e seja adequada para a comunidade”, observa Anna.  “A nossa expectativa é dar início ao processo de licitação o mais rápido possível e, em seguida, iniciar a obra. ”

Como funciona a reforma?

O processo de intervenção em bens imóveis tombados, de acordo com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) requer uma série de etapas, que devem ser observadas cautelosamente. Todos os espaços tombados devem seguir, no mínimo, os requisitos do Iphan, além das especificidades de cada Estado.

A lista de documentos exigidos está disponível no site do Instituto. Basicamente, o interessado deve encaminhar o anteprojeto da obra, o levantamento de dados sobre o bem, contendo pesquisa histórica, diagnóstico do estado de conservação, memorial descritivo e especificações e planta, com a especificação de materiais existentes e propostos.

Continuar lendo

ACRE

Acre 59 anos: governador abre exposição sobre história da aviação no Acre

Publicado

em

Por

Agência AC / Foto: Diego Gurgel/Secom

A segunda solenidade organizada para comemorar os 59 anos do Acre, a exposição que conta a história da aviação no Acre, foi aberta na tarde desta terça-feira,15, no Memorial dos Autonomistas, em Rio Branco. 1936: A trajetória – Um voo pela história da aviação no Acre foi o nome dado à exposição que ficará aberta ao público até o dia 27.

Abertura da exposição foi o segundo evento alusivo às comemorações do aniversário de 59 anos do Acre Foto: Diego Gurgel/Secom.

Como anfitrião do evento, o governador  Gladson Cameli recebeu ilustres convidados como o comandante do Comando Aéreo Amazônico (VII Comar), brigadeiro do ar Luiz Guilherme Magarão e o comandante do 9º Distrito Naval, Rauf Dias. Participaram também da solenidade os secretários Rutembergue Crispim (Secom), Rômulo Gandider (Sefaz), Flavio Silva, (Casa Civil), Alysson Bestene (Saúde), além do comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Carlos Batista.

A abertura da exposição foi o segundo evento alusivo às comemorações do aniversário de 59 anos do Acre. O primeiro foi a troca da bandeira, na Praça da Gameleira.

Governador fala observado pelo brigadeiro Magarão, durante abertura da exposição no Memorial dos Autonomistas
Foto: Diego Gurgel/Secom.

O Acre, lembrou o governador Gladson, foi um dos estados da Federação que por muito tempo dependeu dos voos da Força Aérea Brasileira para receber mantimentos e, principalmente, medicamentos. A proposta de homenagear os desbravadores dos céus do estado, segundo o governador, é uma forma de agradecer pelo muito que fizeram.

“Eu quero agradecer de coração a esses homens arrojados que superaram grandes dificuldades para trazer a aviação para nosso estado. Aproveito para estender minha gratidão aos tripulantes da FAB que voaram dezoito horas para trazer o primeiro lote de vacinas contra a Covid. Quero que esse essa gratidão se estenda também a todo o povo acreano”, disse Gladson.

Uma réplica da aeronave está exposta na praça do Memorial, e também compõe a exposição. Foto: Diego Gurgel/Secom.

O brigadeiro Magarão destacou a agilidade da equipe do governo em tornar possível a vinda da réplica do caça Gripen F39, o novo avião da Força Aérea Brasileira. Uma réplica da aeronave está exposta na praça do Memorial, e também compõe a exposição. “O Acre abraçou essa proposta e hoje estamos aqui apreciando uma réplica do que temos de melhor na aviação militar do Brasil. Parabéns ao governo, ao Acre pelo aniversário e espero que possamos firmar novas parcerias”, observou.

Réplica da mais nova aeronave da Força Aérea Brasileira, o Gripen F39, fica exposta até o próximo dia 27 Foto: Marcos Vicentti/Secom.

1936: A trajetória – Um voo pela história da aviação no Acre

Composta por 73 fotografias que retratam a história da aviação do Acre da década de 30 até os dias de hoje, a exposição será aberta ao público nesta quarta-feira, 16, e vai permanecer por doze dias disponível para visitação. A entrada é gratuita.

Ainda compõe o acervo, uma réplica do Douglas DC 3/47, uma das primeiras aeronaves de grande porte a aterrissar no Acre.

Dias e horários da exposição

De segunda a sexta, das 9h às 12 horas e das das 15h as 18 horas.

Sábados e domingos, das 15h às 20 horas, até o próximo dia 27.

Continuar lendo

Trending

www.acrenews.com.br é uma publicação da Acrenews Comunicação

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Endereço: Área rural, 204, Setor Barro Vermelho - CEP 69.923-899

Os artigos assinados não expressam a opinião deste site.

contato@acrenews.com.br

Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas