Connect with us

SAÚDE

Drama na Fronteira: 10 médicos testam positivo para Covid-19 e hospital pede compreensão

Brasiléia disponibilizou dois médicos para ajudar no atendimento e Epitaciolândia está com UBS atendendo normalmente

Publicado

em

Fotos: Alexandre Lima (Reprodução)

O Hospital Regional de Brasiléia está passando por um período difícil quando o assunto é médicos disponível para atendimento. O motivo dar-se-á, pelo fato de ao menos 9 médicos testarem positivo ao vírus COVID-19. No total, são 27 médicos ativos no Hospital, os mesmos são divididos pelos setores dentro da unidade como o setor de Urgência e Emergência, Atendimento, Maternidade e outros.

Na data de ontem, dia 21, haviam 10 médicos testado positivo para o Covid, um deles retornou as suas atividades na data de hoje (22), mas, os números de profissionais ainda são muito pequenos quando se tem um hospital para atender uma regional composta por quatro municípios.

Parceria com a Prefeitura de Brasiléia

Consciente da situação, a prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, através da Secretaria de Saúde, alegou que infelizmente as unidades de saúde do município não estão atendendo nos feriados, mas de pronto, destinou dois médicos para o Hospital na tentativa de reduzir a sobrecarga dos médicos que ali estão presentes.

Prefeitura de Epitaciolândia

Já o prefeito Sérgio Lopes, alegou que as unidades básicas de saúdes do município estão atendendo normalmente com os médicos locais, devido o funcionamento contínuo, não será possível ceder médicos ao Hospital.

Sobre o Hospital

De acordo com informações obtidas com a equipe da direção do hospital, nunca antes na história, a unidade teve tantos médicos afastados por motivo de doença, o que acaba lesionando o atendimento na unidade.

Cada médico tem um plantão a ser comprido em sua carga horaria, que é um total de 24 horas. Quando um médico se ausenta de seu plantão por motivos de saúde, as 24 horas deste médico deverá ser preenchida por um outro, o que acaba sobrecarregando o médico em exercício, uma vez que, além de preencher sua carga horaria, terá de preencher a carga de seu colega.

A equipe da diretoria do Hospital pede compreensão da população no atendimento e como a ajuda das prefeituras locais, referente aos pacientes com casos menos urgentes, que sejam tratadas nas unidades básicas de saúde na medida do possível conforme o protocolo.

A superlotação no Hospital Regional de Brasiléia dar-se à pelo motivo de falta de instrução dos pacientes, em relação a qual órgão se direcionar quando se está doente. Para entendimento básico, é necessário que a população conheça a diferença entre Hospital, Unidade Básica e Unidade de Pronto atendimento.

A diferença entre o Hospital, Unidades Básicas de Saúde e Unidades de Pronto Atendimento

Populares dos municípios muitas vezes não tem conhecimento sobre qual órgão procurar quando se está doente e muitas vezes, optam pelo Hospital quando na verdade deveriam procirar pela Unidade Básica de Saúde (UBS) para que, dependendo do caso, o paciente seja encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ou para o Hospital em caso de emergência. A incerteza acaba excedendo desnecessariamente o número de atendimentos, causando demora na espera.

Por que eu demoro a ser atendido no Hospital?

Levando-se em consideração as UBS, UPA e o Hospital, cada um tem um método de atendimento ao paciente, o atendimento é rigorosamente seguido com base no “Protocolo Internacional de Manchester”, conforme é exigido pelo Ministério da Saúde (MS). O processo assegura que os pacientes não corram risco de vida da previsão de tempo para o atendimento e garante a oferta de serviço homogêneo, uma vez que há a padronização.

Após atendimento inicial na recepção, o paciente é encaminhado à triagem e são abordados as queixas e os sintomas manifestados. Aferimento de pressão e temperatura e testes de glicemia, são realizados para apurar a condição da saúde. Todos estes dados são incluídos no sistema informatizado e o próprio programa elenca a prioridade de atendimento.

Sobre a prioridade de atendimento

O atendimento dos pacientes varia de acordo com a urgência do mesmo e são separados por cores. Casos de emergências obtém a cor vermelha e necessita de atendimento imediato pelo auto risco de vida, casos categorizados como muito urgente obtém a cor laranja e também necessita de atendimento imediato por correr um risco de vida elevado, existe também a cor amarela para casos urgente para atendimento rápido com aguardo, a cor verde para casos de pouca urgência onde o paciente deve aguardar o atendimento ou o encaminhamento para outro serviço de saúde e a cor azul para casos não urgente, que segue o mesmo procedimento da cor verde com exigências inferiores.

Teste para coronavírus

Um Hospital não tem capacidade de atender uma região inteira, por isso as cores estabelecidas pelo protocolo são fundamentais para definir o destino do paciente entre a Unidade Básica de Saúde, Unidade de Pronto Atendimento, e o próprio Hospital. A recomendação deve ser seguida da seguinte forma:

Unidade Básica de Saúde (UBS)

A UBS oferece o acompanhamento necessário para o controle do seu estado de saúde, de modo que o quadro de saúde não se agrave. É fundamental que as pessoas procurem atendimento para acesso a métodos contraceptivos, acompanhamento de doenças crônicas (diabetes ou hipertensão), controle do estado de saúde, acompanhamento do pré-natal, curativos, coleta de exames laboratoriais, além de encaminhamento para especialistas e fornecimento de medicamentos gratuitos.

A Unidade Básica de Saúde é controlada pelos municípios, são popularmente conhecidas como “Posto de Saúde” e tem o objetivo de oferecer aos usuários agendamento de consultas e exames, entrega de remédios, aplicação de vacinas, atendimento psicológico e odontológico, acompanhamento de sintomas leves de gripe, tonturas, mal estar, conjuntivite, dores de cabeça, entre outros, estes sintomas se enquadram nas cores azul e verde. Quando à necessidade de atendimento emergencial, o paciente é encaminhado para UPA ou o Hospital mais próximo.

Prefeitura de Epitaciolândia comunica que UBS estão atendendo

Unidade de Pronto Atendimento (UPA)

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) deve funcionar de modo ininterrupta e atendem os casos considerados de média e alta gravidade poupando uma possível superlotação no Hospital. Nos locais são acompanhadas situações clínicas de urgência e emergência como cortes profundos, crises alérgicas, suspeita de infarto, ferimentos com febre alta, dores abdominais fortes, quedas, paradas cardiorrespiratórias, entre outros, estes sintomas se enquadram na cor laranja do “Protocolo Internacional de Manchester”.

Hospital Regional

O Hospital Regional deve receber situações de emergência que necessitam de internação, cirurgias ou exames mais complexos encaminhados pela UBS ou UPA. A estrutura também deve funcionar diariamente e nos fins de semanas (24 horas), com realização de cirurgias, acompanhamento cirúrgico, atendimento a acidentes graves de trânsito, acidente vascular cerebral (AVC), situações de pediatria, neurologia, oftalmologia, ortopedia, exames de imagem e casos de risco à vida, são situações que se enquadram nas cores laranja e vermelha.

Em dialogo com a direção do Hospital Regional de Brasiléia, foi possível concluir que muitas vezes os médicos do local acabam atendendo casos menos graves que deveriam ser destinados à Unidade Básica de Saúde (UBS) ou à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), quando aparecem casos de urgência, os médicos deve obrigatoriamente seguir o protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde e automaticamente os casos de não urgência ou de pouca urgência ficam no aguardo até que os casos mais urgentes sejam solucionados.

A direção ressalta que, dos casos de pacientes que vão ao Hospital, 80% dos atendidos é categorizado como “não urgente” ou de “pouca urgência”, e que os mesmos poderiam ser direcionados para uma unidade básica de saúde uma vez que a estrutura do hospital serve para casos de urgência e emergência.

[Alexandre Lima/OAltoAcre]

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

SAÚDE

Prefeitura de Epitaciolândia atualiza salários dos agentes comunitários de saúde

Publicado

em

Por

O prefeito de Epitaciolândia, Sérgio Lopes, publicou nesta quarta-feira, 18, no Diário Oficial do Estado (DOE) a atualização dos valores dispostos sobre os salários dos profissionais Agente Comunitário de Saúde e Agente de Combate às Endemias do município.

O piso salarial do Agente Comunitário de Saúde e Agente de Combate às Endemias não pode ser inferior a 02 salários mínimos, equivalente a R$ 2.424,00, com base no salário mínimo vigente;

Ficam atualizados os valores salariais dos profissionais Agente Comunitário de Saúde e Agente de Combate às Endemias do Município de Epitaciolândia/AC.

Continue lendo

SAÚDE

Canabidiol: com 52 pedidos de importação, Acre é lanterna entre os Estados

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

Levantamento feito pela empresa de inteligência de mercado, Kaya Mind, aponta que 52 pedidos de importação de canabidiol foram realizados no Acre entre abril de 2020 a fevereiro deste ano. O estado fica em último no ranking entre os estados. Em 1° lugar ficou São Paulo (22.360), em 2° o Rio de Janeiro (10.156) e 3° Minas Gerais (4.764).

A solicitação dos medicamentos tem validade de dois anos junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Em todo o país, vem crescendo o número de pedidos.  Em 2021, foram deferidos 35.416 pedidos de autorização de importação de canabidiol para uso pessoal, aumento de 189% em relação a 2020.

No ano passado, a Câmara dos Deputados iniciou uma discussão sobre a autorização do cultivo da planta Cannabis sativa no país, para fins medicinais, veterinários, científicos e industriais. A expectativa do mercado é que o comércio possa movimentar R$ 9,5 bilhões de reais.

Em diversos países do mundo, a cannabis é regulamentada e faz parte de diversos estudos científicos no tratamento de variados problemas de saúde (como dor crônica, epilepsia, transtorno de ansiedade, entre outros). Por conta disso, o número de pedidos de importação vem subindo significativamente.

Continue lendo

SAÚDE

Governo se prepara para lançar o maior mutirão de cirurgias da história do Acre

Publicado

em

Por

Com o intuito de diminuir a fila de espera e promover a qualidade de vida daqueles que aguardam uma cirurgia eletiva, o governo do Estado, por meio da Fundação Hospital Estadual do Acre (Fundhacre), vem se organizando para lançar nesta terça-feira, 17, o maior mutirão de cirurgias da história do estado na unidade hospitalar.

Governo se prepara para o maior mutirão de cirurgias da história do Acre. Foto: Gleison Luz

Para isso, a Fundhacre vem promovendo uma série de adequações na estrutura do hospital, em Rio Branco. No centro cirúrgico, foi ampliado o número de salas, que passaram de seis para oito, sendo duas exclusivas para mutirão, e realizada a compra de novos equipamentos, que se deu por meio de recursos próprios, equivalentes a R$ 1 milhão.

Apresentação do projeto de mutirão de cirurgias ao governador Gladson Cameli. Foto: Secom

A previsão de duração do mutirão é de seis meses, atendendo mais de cinco mil pessoas nos procedimentos cirúrgicos, nas especialidades de cirurgia-geral, vascular, urologia, ginecologia, cabeça e pescoço, otorrinolaringologia, mastologia e pediatria.

Previsão de duração do mutirão é de seis meses, atendendo mais de 5 mil pessoas. Foto: Gleison Luz

“Este é um momento grandioso e histórico para a saúde pública do Acre, é uma união de serviços, em que a Sesacre e a Fundhacre já vêm realizando mutirões, tanto na capital quanto no interior. Parabenizo todos os trabalhadores da Saúde que estão envolvidos para atender esse pedido do governador Gladson Cameli, em impulsionar o atendimento à população”, afirma o presidente da Fundhacre, João Paulo Silva.

João Paulo Silva: “Momento grandioso e histórico”. Foto: arquivo Fundhacre

Toda a execução do projeto se dá mediante recursos próprios do governo do Estado, oriundos do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AC), no valor de R$ 15 milhões, juntamente com a emenda parlamentar do senador Márcio Bittar, no valor de R$ 10 milhões, totalizando em R$ 25 milhões.

“Nosso maior objetivo é a qualidade de vida da população, para isso estamos trabalhando junto às instituições de saúde e promovendo mutirões”, afirma o governador Gladson Cameli.

O lançamento do mutirão será na terça-feira, 17, às 10h, na Fundação Hospital Estadual do Acre, próximo ao setor de Nefrologia.

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas