Connect with us

ACRE

Emoção predomina em Casamento Coletivo realizado em Manoel Urbano

Publicado

em

O vínculo jurídico entre duas pessoas que visa o auxílio mútuo, material e espiritual de modo que haja uma integração que abrange a dimensão física e psíquica e a constituição de uma família, formalmente é chamado de casamento. Entretanto, parafraseando a célebre frase da escritura cristã “sem amor, nada seria”.

O pacato município de Manoel Urbano, distante aproximadamente 230 km da capital Rio Branco, teve uma movimentação diferente neste sábado, 23. Apesar do calor, o clima predominante foi de emoção e principalmente de amor para 58 casais, em mais uma edição do tradicional Casamento Coletivo, do Projeto Cidadão, realizado pelo Tribunal de Justiça do Acre (TJAC). A ação compôs a programação do MP na Comunidade, realizado pelo Ministério Público do Acre (MPAC).

A arquibancada do ginásio Almiro Ferreira, região central do município, estava lotada de convidados e parentes dos noivos para prestigiar a celebração. Já o dispositivo de honra foi composto pelo prefeito de Manoel Urbano, Raimundo Toscano Velozo, pelos promotores de Justiça do MPAC, Daisson Gomes Teles, Diana Soraia Tabalipa Pimentel e Dayan Moreira. Além da delegatária da Serventia Extrajudicial Dirce Yukari e representantes do Poder Executivo estadual e municipal.

Após a entrada do pajem e das damas de honra, das noivas e dos noivos ao som da marcha nupcial, o ato solene foi conduzido pelo juiz de Direito Ednaldo Muniz, que gentilmente convidou o juiz de Paz da Comarca de Manoel Urbano, Rubenildo Costa. Assim, ambos lideraram a cerimônia em que as noivas e os noivos pudessem dizer um sonoro SIM!.

O magistrado falou sobre o principal benefício de atividades de cunho social. “A grande vantagem de ações sociais como essas, é trazer o serviço ao povo. Muitas vezes serviços que estão disponíveis, mas que o povo tem dificuldade de acessar”.

Em seu discurso, representando o MPAC, o promotor de Justiça Daisson Teles, falou sobre a segurança da cidadania para a comunidade. “Satisfação para o MP ver a presença de tantos casais unindo os laços afetivos. Hoje é um dia de festa para o município, um dia que a cidadania está sendo garantida à população”, concluiu.

O prefeito de Manoel Urbano, Raimundo Toscano falou da relevância da ação e a expectativa da comunidade. “O casamento coletivo é de grande importância, pois já era muito esperado pela população. É um momento muito feliz para o município e estão todos de parabéns”, finalizou.

Respeitando a tradição do formato do casamento coletivo do TJAC, dois casais são selecionadas e ganham local de destaque próximo ao púlpito. Assim, representando o casal mais experiente Francisco Silvestre Dias (67 anos) e Maria Silva de Souza (60 anos), e como casal mais jovem Thiago Supriano da Silva (19 anos)  e Irma da Silva Lima (23 anos).

Muito extrovertido e de sorriso fácil, Francisco Silvestre disse que a união com Maria Silva já existe há 45 anos. Nesse momento, Maria, mais quieta e de poucas palavras, interrompe e corrige, “são 47 anos”. Eles são casados apenas na igreja e souberam do casamento coletivo através do rádio. Francisco entrega que a mulher, a princípio, não tinha interesse em casar e imitando o jeito dela: “Casar pra quê? Não temos bens pra dividir.” Contudo, ele sem titubear diz que já tinha interesse em “casar no papel” e quando soube que seria gratuito, juntou o útil ao agradável. Ele rebate o argumento da noiva e afirma que oficializar a união não se limita a divisão de bens, caso a morte os separe. “Não é questão financeira e sim questão de documentos. Quando Deus tira um do casal, e fica o outro, precisa para resolver a questão de documentos. Então, estando legalizado, não tem nenhum problema, não é verdade?”, finaliza.

Já o casal mais jovem soube da oportunidade numa postagem de uma rede social. Thiago e Irma, apesar de introvertidos e de poucas palavras, mas não esconderam a alegria de regularizar a união que já completa dois anos.

A força de ações dessa natureza ganham intensidade, graças ao auxílio de parceiros com ações aparentemente singelas, mas de importância gigante, desde a decoração da quadra à um bolo e refrigerante servidos ao final da solenidade.

Projeto Cidadão

O Projeto Cidadão é um trabalho social realizado pelo Tribunal de Justiça do Estado do Acre que tem como finalidade primordial, assegurar à população de menor poder aquisitivo o direito à documentação básica, bem como o acesso rápido e gratuito aos serviços públicos da área social. Ao longo de 27 anos do Projeto Cidadão, mais de 50 mil enlaces foram realizados através do Casamento Coletivo.

O casamento coletivo do Projeto Cidadão é uma ação de cidadania, pois fornece de forma gratuita acesso a oficialização das uniões, para aqueles que não tem condições de arcar com os custos no cartório.

[Ascom]

ACRE

Monitorada, Reserva Chico Mendes teve 1,80 km² de desmatamento somente em Julho

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

O Sistema de Divulgação de Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) manifestou alerta sobre o desmatamento na região da Reserva Extrativista Chico Mendes, no Acre.

Segundo o dispositivo, no dia 23 de julho, 0,13 km2 de desmatamento foram registrados na região, com acúmulo de sete dias de alerta naquele mês. A principal causa para o alerta de degradação foi “o desmatamento com solo exposto, deixando a terra sem vegetação”.

Os pesquisadores apontam que a Reserva Chico Mendes soma 1,80 km2 de desmatamento somente no mês analisado. No dia 20, daquele mês, foram identificados 0,78km de desmatamento. E no dia 12, o INPE verificou 0,22 km2 de devastação. Os dados são reportados ainda nos primeiros dias de julho.

Continue lendo

ACRE

MP arquiva denúncia de lixão que botava em risco a aviação em Rio Branco

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

O promotor de Justiça do Ministério Público do Acre (MPAC), Luis Henrique Rolim, publicou hoje (12) no Diário Eletrônico do MP uma portaria arquivando um Inquérito Civil que apurava possível risco de ocorrência de incidentes e acidentes aeronáuticos causados por pássaros e outros animais supostamente relacionados à existência de lixão na área de segurança do Aeroporto Internacional de Rio Branco – Plácido de Castro.

Em 2020, uma denúncia ofertada pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), por meio da sua presidência, junto ao MP, manifestou preocupação quanto ao iminente risco de acidente aéreo devido ao problema de lixões irregulares que atrai urubus e outras aves. À época, a INFRAERO respondeu ao questionamento do MP e informou que constatou tal situação de risco ocasionado pela inadequação de contêineres de lixo do Loteamento Adauto Frota.

A Prefeitura de Rio Branco (PMRB) respondeu ao MP e falou das adequações realizadas ao armazenamento e gerenciamento de resíduos produzidos pelos moradores bem como da ação de monitoramento do fluxo e geração dos resíduos dispostos, dessa forma evitando transbordo e disposição irregular do lixo na área habitada entorno do aeroporto.

Já a SEMEIA, informou que “não havia sido constatado focos de resíduos em locais próximos às caixas coletoras contêineres instalados no Adauto Frota” e que realizou diligências no mês de março de 2021, referenciando que o local estava limpo após a denúncia.

“Deste modo, não há motivos para o prosseguimento com este caderno investigativo, tendo em vista a perda do objeto de apuração, uma vez que os fatos noticiados foram resolvidos por meio de ações de manutenção, gerenciamento correto dos resíduos gerados e educação ambiental na área de circunvizinhança do Aeroporto”, diz trecho que justifica o arquivamento assinada pelo promotor.

De acordo com o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), no Brasil, entre os anos de 2008 e 2017 foram registrados relatos de nove acidentes, 11 incidentes graves e 14.692 incidentes envolvendo colisões com fauna.

Continue lendo

ACRE

Beneficiários do REM Acre serão capacitados em brigadas de incêndios

Publicado

em

Por

O Corpo de Bombeiros Militar do Acre (CBMAC) dará início, na próxima segunda-feira, 15, aos cursos de formação de brigadistas, que serão ministrados aos beneficiários do Programa REM Acre Fase II. Serão 36 beneficiários aptos a atuarem como brigadistas e multiplicadores junto à comunidade, auxiliando nas atividades preventivas e de combate às queimadas e incêndios florestais.

Desse total, 26 são pequenos pecuaristas que atuam com a recuperação de áreas degradadas, cinco são produtores rurais, ribeirinhos e extrativistas e outros cinco indígenas, que desenvolvem atividades sustentáveis. As capacitações serão ministradas em Rio Branco, Senador Guiomard, Plácido de Castro, Capixaba, Acrelândia, Brasileia, Epitaciolândia, Porto Acre, Bujari, Manoel Urbano, Tarauacá, Feijó, Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima e Rodrigues Alves.

Além da formação, os brigadistas receberão kits para combate a incêndio florestais contendo abafador, bomba costal, capacete e equipamentos de segurança individual (EPIs). O objetivo é proporcionar condições aos produtores rurais e indígenas para atuarem no combate ao incêndio, caso ocorra.

Cada capacitação será ministrada em dois dias, com aulas teóricas e práticas sobre manejo integrado do fogo, legislação ambiental, prevenção, educação ambiental e combate direto às chamas. Além disso, os brigadistas recebem capacitação em manutenção de ferramentas, a fim de aumentar a vida útil desses equipamentos, conforme ressaltou o coordenador do Programa REM Acre na CBMAC, tenente Bertholdi.

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas