Connect with us

ACRE

O Xapuriense que instalou a sua ‘casa’ num ponto de táxi no Parque do Tucumã e que desacreditou da vida

Publicado

em

Por Wanglézio Braga / Foto: Wanglézio Braga

É na sombra de um pé de apuí fincado no Parque do Tucumã, em Rio Branco, que o natural de Xapuri, Pedro Barros, de 62 anos, deixa literalmente a vida passar: Sem estresse, porém, zero expectativa de mudança real. Sem casa, nem condições de pagar um aluguel, o catador de reciclados frisa que verá um mundo melhor tanto para ele quanto para os outros moradores de rua espalhados por um dos principais cartões postais da capital acreana.

A história do Seu Pedro Barros é muito parecida com a de muitos que, sem condições financeiras ou por falta de apoio da família, preferem habitar lugares inacreditáveis a viver ao relento. Há pelo menos quatro meses, Barros vive num ponto de táxi que temporariamente está inutilizado pelos profissionais. Por causa da pandemia do novo coronavírus, a companhia de táxi preferiu sair do local, devido ao baixo movimento de clientes. É neste ambiente que ele chama de “lar, meu lar”. O endereço é BR-364, km 04, Distrito Industrial, mais precisamente no portal principal de entrada da Universidade Federal do Acre (UFAC).

O vai e vem dos veículos, o barulho do trânsito já não é problema para ele, o principal incômodo, segundo nos relatou, é a chegada do período chuvoso. Por ser viver numa estrutura de ponto de táxi, o local não é vedado, não possui paredes e muito menos dignidade para um ser humano. “Carros, ônibus, motos, são tudo meus vizinhos! Não posso pedir para eles fazerem silêncio, né? O jeito é suportar (…) Mais tem coisa que não suporto, dormir no molhado é ruim!”, comentou.

Após alguns minutos de conversa com a equipe do AcreNews, Seu Pedro nos convidou a ‘entrar na sua casa’. No lugar, logo se vê certa organização e limpeza. A regra é clara: Nada de amontoados! Tudo que ele acha na rua, fica no carrinho estacionado ao lado da árvore. De pronto, há espaço para alguns bens que restaram do barraco: Um colchão, algumas panelas, caixas de roupas, mesa, geleira, rede de dormir e um pequeno fogão onde prepara os alimentos. Comida que é comprada com horas de trabalho pelas ruas catando latas. Cada quilo que consegue, de alumínio, os compradores pagam R$ 3 reais.

“É pouco, muito pouco, eu sei. É o que a gente pode. Tem alguns dias que consigo muito mais que um quilo, só que outros que consigo poucas gramas. Não rende um quilo”, frisou.

Para cozinhar os alimentos, para beber água, limpar a ‘casa, Seu Barros recorre às instalações da UFAC. Uma torneira instalada na guarita da instituição, vem servindo como suporte para ele. É desta mesma água que ele utiliza para tomar banho e fazer a higiene. “Essa água serve pra tudo, meu irmão. Eu não posso usar papel higiênico, daí penduro essas garrafas com água para esse fim, me lavar. Eu faço as minhas necessidades lá na frente porque aqui não tem banheiro, uso um lugar escuro, escondido para fazer isso. Não é fácil”, contou.  

Barros vivia em Xapuri antes de se mudar para Rio Branco, aliás, a chegada à capital não foi como ele aguardava, planejava. A falta de humanização no atendimento aos moradores de rua foi a principal revolta, justificativa, que ele apresentou para não esperar pela caridade alheia da população, das ONGs e dos governos.

“Eu vim de Xapuri porque morava numa invasão. Lá eu fiz o meu barraco. Um barraco simples, sem muita coisa. Mais era o meu lar, moço! A justiça mandou que todos nós, invasores, saíssemos de lá. O dono é muito rico e não queria a gente nas terras. Eu perdi tudo que conquistei em apenas alguns minutos depois da chegada da polícia”, relatou e continuou “Quando cheguei a Rio Branco, de carona, eu pensei que fosse melhor. Ia arrumar um emprego, ia ter pessoas melhores para ajudar, mas nada disso aconteceu. Eu passei a viver em muitos lugares nesse parque, lá pelo centro também. Aqui é o melhor lugar, ninguém perturba”.

Pedro não tem filhos. Seus familiares perderam o contato com ele ainda em Xapuri após a separação com a ex-companheira e a demolição do casebre. Do paradeiro dela, ele não sabe. Na realidade, falar em família é algo que visivelmente incomoda o homem. “Eu não tenho família. Não posso esperar por ninguém do meu sangue”, salientou.

Questionamos sobre o apoio do poder público, via assistência social tanto do estado quanto do município. Pedro disse que procurou ajuda, foi cadastrado para dormir em um abrigo localizado no Segundo Distrito, porém, a falta de empatia e humanização, como havia reclamado posteriormente, o induziu a sair do ambiente coletivo. “Eu saí de lá porque judiaram de mim. Serviram comida estragada, contaminada. O pessoal não atendia a gente bem (…) não quero voltar nunca mais para esse lugar”, revela.

Insistimos sobre programas sociais de aluguel ou da casa própria. “Isso é um sonho pra mim. Não me ajudaram, e nem vão fazer. Moço, eu poderia viver lá no meu barraco sossegado, sem depender de ninguém, apenas com o meu trabalho. Mas a idade tá chegando, muita coisa eu não faço. E confesso pra ti que perdi as esperanças”, disse.

Por fim, Seu Pedro manifestou contentamento com ajuda de pessoas que de bom coração, de bom grado, possam oferecer alimentos para ele. “Eu aceito sacolões, dinheiro para ajudar na compra do mês. Eu não tenho telefone, mas sempre tô aqui. Caso alguém queira me ajudar, eu ficarei feliz”, concluiu.

DADOS

Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), em pesquisa publicada em março de 2020, as estimativas do número total de pessoas em situação de rua no Brasil é de aproximadamente 221.869. 

O único levantamento do censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para essa população, realizado em 2008, apontou cerca de 50 mil pessoas. Já o Serviço Único de Saúde (SUS) registrou 155 mil atendimentos no programa Consultório da Rua (voltado para a população de rua), em dezembro de 2020, número que representa três vezes mais que o registrado em 2019.

O DEBATE POLÍTICO

Por conta do aumento no número de pessoas que vivem em situação de rua, a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal (CDH) promoveu uma audiência pública, no mês passado, com foco na situação dessas pessoas. Os debatedores, que participaram da audiência de forma remota, apontaram que essa população cresceu no país com a pandemia do coronavírus. Eles também cobraram mais atenção do poder público com esses brasileiros. De atitude, apenas alguns projetos que seguem sem tramitação e que possibilitaria vida melhor para esses cidadãos.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ACRE

Concurso da Ufac: Inscrições reabertas entre 19 a 2 de fevereiro

Publicado

em

Por

Fonte: PCI Concursos

Universidade Federal do Acre (Ufac) retificou novamente o Concurso Público destinado ao provimento de 20 vagas e formação de cadastro de reserva de Professor da Carreira de Magistério Superior.

Na nova nota divulgada (retificação IV) comunica a reabertura das inscrições durante o período de 19 de janeiro de 2022 a 2 de fevereiro de 2022, por meio de endereço eletrônico, especificamente para as áreas em que não houve até cinco candidatos inscritos com o título de Doutor e/ou Mestre. As inscrições ficarão disponíveis para as áreas de Cirurgia; Ginecologia e Obstetrícia e Medicina da Família, os quais exigem o título de especialista como requisito para investidura, com remuneração de até R$ 5.825,17.

Retificações anteriores

Conforme a atualização (retificação II), o perfil para a área de Ciência Florestais (1) passa a ser de doutorado em ciências florestais ou ciências florestal ou engenharia florestal, com graduação em engenharia florestal.

O documento suplementar ao edital de abertura (retificação III), comunica que ficaram abertas as inscrições para candidatos com título de mestre como requisito para investidura do cargo, especificamente nas áreas em que não houve até cinco candidatos inscritos com o título de doutor. Para as funções listadas no documento, as inscrições seriam recebidas no período de 23 de dezembro de 2021 a 5 de janeiro de 2022, por meio de endereço eletrônico. A inscrição será confirmada mediante ao pagamento da taxa no valor de R$ 200,00.

Certame

Além desta oportunidade, há vagas para as seguintes áreas: Clínica Médica de Grandes Animais (1); Clínica Médica de Pequenos Animais (1); Ecologia (1); Ensino de Química (1); Paleontologia (1); Engenharia Civil – Área Transportes (1); Engenharia Elétrica: Eletrotécnica (1); Matemática: Educação Matemática (1); Direito (1); Cirurgia (1); Educação Física (1); Enfermagem na Atenção Saúde nos Diversos Ciclos de Vida com Ênfase na Atenção Hospitalar (1); Genética Médica (1); Ginecologia e Obstetrícia (1); Medicina da Família (1); Língua Estrangeira Moderna – Língua Inglesa (1); Linguística (1); Química (1).

Os cargos possuem carga horária de 20 a 40 horas semanais, com remuneração de R$ 2.236,31 a R$ 10.058,92 e auxílio-alimentação de R$ 229,00 a R$ 458,00.

Para participar, o candidato deve: ter nacionalidade brasileira ou portuguesa e, no caso de nacionalidade portuguesa, estar amparado pelo estatuto de igualdade entre brasileiros e portugueses, com reconhecimento do gozo dos direitos políticos, conforme a Constituição Federal; comprovar a quitação das obrigações eleitorais, mediante a apresentação do título de eleitor e certidão de quitação eleitoral emitida pelo Tribunal Superior Eleitoral; comprovar a regularidade com o Serviço Militar, se do sexo masculino; comprovar possuir o perfil exigido para a investidura no cargo; ter idade mínima de 18 anos completos; ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo; e não estar cumprindo qualquer sanção que impossibilite a investidura no cargo.

Dentro do total de funções, há vagas exclusivas para candidatos que se enquadrem nos itens especificados no edital.

Inscrições:

As inscrições para candidatos com título de doutor puderam ser realizadas, exclusivamente, via internet, por meio do formulário de inscrição disponível no endereço eletrônico da Ufac, até o dia 7 de dezembro de 2021.

Será concedida a isenção total da taxa de inscrição para o candidato que estiver inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e for membro de família de baixa renda, com renda familiar mensal de até três salários mínimos.

Provas:

A prova escrita, prevista para o dia 27 de março de 2022, contém questões de conhecimento e habilidade, elaborada(s) pelas bancas examinadoras, relacionadas ao conteúdo programático da área. Depois, haverá uma prova didática, prevista para os dias 29 de março a 7 de abril de 2022, que consiste em exposição oral sobre um dos dez temas extraídos do conteúdo de até 60 minutos. E para a prova de títulos, os candidatos deverão protocolizar somente de forma eletrônica a cópia digital do currículo cadastrado na Plataforma Lattes e dos documentos comprobatórios dos dados nele constantes.

Vigência:

O prazo de validade do concurso é de dois anos, contado a partir da data de publicação da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado, uma única vez, por igual período

Informações complementares podem ser obtidas por meio dos editais completos que constam em nosso site.

Continue lendo

ACRE

Transição: Danilo Lovisaro faz reunião com Ouvidoria e Centro de Atendimento ao Cidadão

Publicado

em

Por

Dando prosseguimento ao calendário de reuniões da transição institucional no Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), na manhã desta terça-feira, 18, o procurador-geral de Justiça eleito, Danilo Lovisaro do Nascimento, esteve reunido com integrantes da Ouvidoria Geral e do Centro de Atendimento ao Cidadão (CAC).

O encontro ocorreu de forma virtual, como medida preventiva ao contágio pelo coronavírus e influenza. Participaram, além da procuradora-geral, Kátia Rejane de Araújo Rodrigues, o ouvidor-geral e ouvidor-geral substituto, promotores de Justiça Leandro Portela e Teotônio Soares Júnior, bem como a equipe de transição.

Na ocasião, Leandro Portela falou sobre o processo de criação da Ouvidoria no MPAC, as atribuições do órgão, entre as quais, o gerenciamento do Portal da Transparência e do Sistema de Informação ao Cidadão (SIC), de modo a fazer cumprir o que está disposto na Lei de Acesso à Informação (LAI).

Nos últimos dois anos, entre denúncias, solicitações, sugestões, reclamações, entre outras, foram registradas mais de 10 mil manifestações, sendo que grande parte delas está relacionada à pandemia da Covid-19.

Outro órgão auxiliar, o CAC, que também atua como elo entre o MPAC e a sociedade, apresentou relatório de suas atividades, bem como a equipe multidisciplinar que atua no atendimento, orientação e encaminhamento das pessoas que procuram o Ministério Público. Em 2016, o sistema de atendimento adotado pelo CAC foi reconhecido pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Continue lendo

ACRE

DETRAN suspende atendimentos no Acre após servidores testarem positivo para Covid-19

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga

O Conselho Diretor do Detran-AC aprovou a suspensão do atendimento ao público em todas as suas unidades, tanto na capital quanto no interior, devido a necessidade de desinfecção dos prédios, após servidores de carreira e terceirizados testarem positivo para Covid-19.

Segundo a autarquia, “o procedimento integra as medidas de prevenção ao contágio pela Covid-19” e “se faz necessário diante do cenário epidemiológico atual”.

Os atendimentos ficarão suspensos a partir de quarta-feira (19), com isso as agendas ao público marcadas para amanhã, quinta-feira (19) e sexta-feira (20) vão ser remanejadas para semanas seguintes.

Em comunicado, o departamento confirma que o atendimento ao público volta a ser realizado, em suas unidades, somente na segunda-feira (24).

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Engenharia e Tecnologia