Connect with us

POLÍCIA

Operação da PF combate corrupção e lavagem de dinheiro por empresas no Acre

Publicado

em

A Polícia Federal do Estado do Acre, com apoio da Controladoria-Geral da União (CGU) deflagrou na manhã desta quinta-feira, 16, a “Operação Ptolomeu”, visando desarticular organização criminosa envolvendo ilícitos de corrupção e lavagem de dinheiro relacionados à cúpula do Governo do Estado do Acre.

A investigação, que tramita no âmbito do Superior Tribunal de Justiça (STJ), identificou um grupo criminoso, controlado por empresários e agentes políticos ligados ao Poder Executivo estadual acreano, que atuavam no desvio de recursos públicos, bem como na realização de atos de ocultação da origem e destino dos valores subtraídos.

Desde as primeiras horas da manhã, 150 policiais federais, com auxílio de 10 auditores da CGU, cumprem 41 mandados de busca e apreensão e 1 mandado de prisão em 4 estados, nas cidades de Rio Branco/AC, Cruzeiro do Sul/AC, Manaus/AM e Brasília/DF. Além disso, o Superior Tribunal de Justiça decretou inúmeras medidas cautelares diversas da prisão, dentre as quais: o afastamento da função pública, a proibição de acesso a órgãos públicos e o impedimento de contato entre os investigados.

Somando-se a isso, o STJ determinou o bloqueio de aproximadamente R$ 7 milhões nas contas dos investigados, além do sequestro de veículos de luxo adquiridos com o proveito dos crimes.

A apuração, fruto de Inquérito Policial instaurado e instruído no âmbito da Polícia Federal do Estado do Acre, reuniu vasto conjunto de elementos probatórios que demonstram o aparelhamento da estrutura estatal com a finalidade de promover diversos crimes contra a administração pública.

Nesse sentido, foram identificadas dezenas de transações financeiras suspeitas em contas correntes, pagamentos de boletos de cartão de crédito por pessoas interpostas, transações com imóveis de alto valor e aquisições subfaturadas de veículos de luxo. Verificou-se, ainda, a prática constante de altas movimentações de valores em espécie, inclusive com uso do aparato de segurança pública.

A CGU apurou que as empresas envolvidas possuem um grande volume de contratos com o poder público. O valor total empenhado para sete empresas foi de 142 milhões de reais durante o período analisado, sendo 17 milhões oriundos de convênios federais e repasses do SUS e do FUNDEB. Ademais, foi possível constatar que os valores movimentados pelos envolvidos ultrapassam R$ 800 milhões, montante totalmente incompatível com o patrimônio e a atividade empresarial dos investigados.

O nome da operação faz referência ao apelido utilizado por um dos principais “operadores” do esquema criminoso, além de aludir à cidade natal de grande parte dos investigados. Ptolomeu foi um cientista, astrônomo e geógrafo de origem grega, que primeiro catalogou a Constelação do Cruzeiro do Sul em seu livro Almagesto, produzido no século II.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POLÍCIA

Sete celulares, dois carregadores e drogas são apreendidos no presídio de Sena Madureira

Parte dos materiais foi arremessada por cima do muro da unidade

Publicado

em

Por

Ascom/Iapen-Polícia Penal

A Polícia Penal em Sena Madureira apreendeu na manhã desta sexta-feira, 21, sete celulares, dois carregadores, uma bateria e 38 trouxinhas de uma substância aparentando ser maconha na Unidade Penitenciária Evaristo de Morais.

Os seis celulares, os carregadores e a bateria foram encontrados durante a ronda dos policiais pelo lado de dentro do muro do presídio. Já o sétimo celular e o entorpecente apreendidos são fruto de revista de rotina feita nas celas pelos policiais penais de plantão.

Dois presos foram identificados como donos do celular e do entorpecente e foram conduzidos à Delegacia do município. Após retornarem, foram encaminhados ao isolamento preventivo.

No âmbito da unidade, um procedimento administrativo será aberto para apuração dos fatos e aplicação da falta conforme orienta a Lei de Execução Penal.

Continue lendo

POLÍCIA

Governador e primeira-dama não são investigados na Operação Status Debitum, diz diretor de Polícia Civil

Publicado

em

Por

“Essas operações só são possíveis graças à liberdade, independência e estrutura que o governador nos oferece para realizarmos as investigações”, disse, na manhã desta sexta-feira (21), o diretor geral de Polícia Civil do Acre, delegado Josemar Moreira Portes, durante entrevista coletiva sobre a realização a primeira fase da “Operação Status Debitum”, que investiga desvios de conduta no pagamento de precatórios no Estado e em Mato Grosso do Sul. Acompanhado de outros quatro delegados envolvidos nas investigações, Portes disse que Gladson Cameli e sua esposa, a primeira dama Ana Paula ou qualquer outro membro de sua família não são investigados no caso e que o governador é o principal interessado nos esclarecimentos do caso.

A operação “Status Debitum”, desencadeada pela Polícia Civil, surgiu a partir de declarações, à Polícia Federal, por um ex-procurador geral de Justiça do Estado, dando conta da existência do que chamou de “Mafia dos Precatórios”, que são dívidas reconhecidas pelo Governo à particulares e que estariam sendo pagas a partir de tráfico de influência envolvendo autoridades do Estado mediante pagamento de propina. No caso, são citados um ex-procurador do Estado e um ex-presidente da seção Acre da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Além deles, o ex-procurador que foi o autor da denúncia também foi alvo das operações da Polícia nesta manhã, cujas casas a foram visitadas pelos policiais em busca de provas que vão subsidiar o inquérito sobre o caso, que continua sob sigilo e segredo de Justiça. As operações de hoje foram coordenadas pelo delegado Pedro Rezende.

“O objetivo é colher elementos probatórios de crimes contra a administração pública praticados por organização criminosa que atua no pagamento ilegal de precatórios, dívidas do poder público reconhecidas judicialmente”, disse Rezende.

Nesta manhã foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão, cinco deles em Mato Grosso do Sul. Os mandados foram contra escritórios de advocacia citados nas denúncias, incluídos de profissionais de Direito daquele Estado. “Na verdade, são pessoas com vínculos com as pessoas investigadas no Acre”, disse o delegado Josemar Portes. Não há réus presos no caso.

A Polícia Civil tem 30 dias para concluir o inquérito, que podem ser prorrogados. “Não temos ainda como afirmar se há culpados ou não no caso. O que estamos fazendo é coletando informações para, ao final do inquérito, podermos dizer à sociedade acreana se as denúncias são verdadeiras ou não. Se verdadeiras, os culpados serão apontados”, disse o delegado Portes.

ContilNet

Continue lendo

POLÍCIA

Brasileiro é espancado na Bolívia e bombeiros do Acre fazem resgate

Publicado

em

Por

Na manhã desta quinta-feira, 20, por volta das 9 horas, a guarnição do Corpo Bombeiros do 5°Batalhão, em Epitaciolândia, foi acionada para fazer o resgate de um cidadão brasileiro que encontrava-se desacordado e com suspeitas de agressão física na cidade de Cobija-Pando.

Foto legenda ; Bombeiros realizam resgate de brasileiro em Cobija

A vítima estava desorientada e com hematomas na face, foi encaminhado ao Pronto Socorro de Brasileia onde recebeu os devidos cuidados. A guarnição teve o Apoio da equipe de Bombeiros de Cobija.

[Ascom CBMAC]

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Engenharia e Tecnologia