Connect with us

GOSPEL

Pastor Marquinhos, líder da Batista Vida, fala ao AcreNews Gospel sobre como cuidar de tanta gente: ‘Tem que ter intimidade com Deus’

Publicado

em

Por Evandro Cordeiro

A Comunidade Batista Vida, igreja cuja sede é situada a rua Major Jenor, 344, Distrito Industrial, em Rio Branco, é o que pode se chamar de fenômeno brasileiro do neopentecostalismo. Com 17 anos de existência, esse ministério saiu da modesta sala da casa de seu fundador, o pastor Marquinhos Maciel, para uma imponente sede com assentos acolchoados para pelo menos 1,4 mil pessoas, camarim, escritório, além de banheiros muito bem cuidados, e sistema moderno de iluminação. A ascensão desse ministério ultrapassou as divisas municipais e estaduais. Fora três filiais na capital do Acre, foram abertas igrejas em Sena Madureira, Cruzeiro do Sul, Cuiabá/MT e Barueri/SP. Sob influência do Modelo de Discipulado Apostólico (MDA), criado para conter a perda de fiéis, uma triste marca desse novo modelo de evangelho, feito em células e com adoração nas versões americanas de worship, a Batista Vida tem mostrado solidez. Cuidado dos discípulos um a um, tem entrado muita gente e saído muito pouco. Segurar uma onda positiva dessa magnitude não é tarefa para amadores. Precisa de líderes nascidos com determinação no DNA.

O líder deles é um sujeito com essas características, embora sua compleição franzina não recomende. Ele nasceu há 47 anos, dia 27 de novembro, numa colocação do seringal Valparaíso, alto rio Juruá, tão distante do centro urbano de Cruzeiro do Sul que por aqui costuma-se dizer, jocosamente, que isso é o equivalente a nascer nos cafundós do Judas. O nome de batismo do jovem pastor é Aldemarcos da Silva Maciel, mas ele é carinhosamente chamado pelas ovelhas e pela população como pastor Marquinhos Maciel. Antes, porém, era o Marquinhos Bombeiros, uma alusão a corporação na qual serviu e onde foi para a reserva remunerada com o posto de Major. É também conhecido com esse apelido no mundo futebolístico, período e ocupação no qual foi mito. Campeão jogando futebol de salão, tem entre os títulos um bicampeonato Carioca atuando pelo todo poderoso Flamengo. Era líder na quadra e quando esteve em campo em clubes como o Vasco do Acre. Ao conhecer o evangelho, em 1988, se apaixonou por Jesus Cristo, virou pastor e hoje é sênior da Batista Vida.

Em entrevista ao AcreNews Gospel, o pastor Marquinhos é todo revelação. Só é mais discreto quando instado a falar sobre sua vida pessoal. Casado com Analiza Oliveira há 22 anos, pai de Lizandra, João Marcos e Pedro, formado em história pela Ufac e em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul, no Rio de Janeiro, ele conta como tudo isso começou e quais cuidados precisa ter para não deixar o sucesso subir à cabeça, uma vez que pastoreia centenas de pessoas desde convertidos mais humildes até figurões da sociedade.

A seguir nossa conversa pelo telefone:

AcreNews Gospel – Pastor Marquinhos, o senhor aproveitou cinco dias de folga para voltar ao lugar onde nasceu, segundo sua página no Facebook. Como foi sua infância na zona rural de Cruzeiro do Sul?

Pastor Marquinhos – Minha infância foi no Seringal Valparaiso, a 12h de barco, subindo o Rio Juruá, em Cruzeiro do Sul. Hoje, mais de 30 anos depois, voltei ao lugar onde tudo começou, porque creio que não esquecer de onde saímos, também nos faz lembrar quem nos tirou de lá. Foi uma experiência incrível.

AcreNews Gospel – Como foi sua vinda para Rio Branco?

Pastor Marquinhos – Fui embora para Rio Branco em novembro de 1993, depois de ser aprovado no concurso para Soldado do Corpo de Bombeiros, corporação na qual ingressei em 10 de janeiro de 1994.

AcreNews Gospel – Sua família veio toda para a capital naquela época?

Pastor Marquinhos – Não. Meus pais e meus irmãos moram todos em Cruzeiro do Sul.

AcreNews Gospel – Como foi seu ‘encontro’ com Jesus Cristo?

Pastor Marquinhos – Me converti em 1998, após ouvir o testemunho de um amigo, que também era bombeiro.

AcreNews Gospel – O senhor lidera atualmente uma das maiores igrejas no Acre, a Batista Vida. Como foi que isso aconteceu em tão pouco tempo?

Pastor Marquinhos – É uma longa história. Após concluir o curso de História pela UFAC, fui para o Rio de Janeiro, onde me formei em Teologia de 2002 a 2005 e fui ordenado pastor. Após retornar ao Acre, plantamos a Comunidade Batista Vida, que hoje soma sete igrejas no Brasil, sendo 5 no Acre, 1 Cuiabá e outra em Barueri-SP.

AcreNews Gospel – A igreja liderada pelo senhor é uma church, worship, um conceito moderno de evangelismo, conflitante com a igreja conservadora. Como o senhor tem caminhado dentro dessa nova versão do evangelho?

Pastor Marquinhos – Na verdade não há uma nova versão do evangelho. O que há é uma atualização de estrutura e métodos, sem negociar princípios. Falo sobre isso no meu primeiro livro que lancei recentemente, intitulado “O Poder da Atualização”.

AcreNews Gospel – O senhor é historiador, oficial de polícia, ex-jogador de futebol, mas virou uma liderança religiosa que se utiliza em parte daquela que parece ter sido sua última formação, a de Teologia. Para liderar tanta gente só a teologia dá ou é preciso utilizar os conhecimentos das demais formações, afinal é liderar gente, pessoas diferentes…?

Pastor Marquinhos – O ser humano é formado por corpo, alma e espírito, logo, precisamos de preparo para orientá-las em todas as áreas. Quanto mais conhecimento, mais conseguimos ajudar as pessoas a resolver problemas.

AcreNews Gospel – Que tipo de sacrifício um pastor precisa fazer para o trabalho dele ser um sucesso, como parece ser o seu caso?

Pastor Marquinhos – A Bíblia nos aponta o caminho para sermos bem-sucedidos em tudo que fizermos. Basta seguir o “manual do fabricante”. Mas, de forma bem resumida, o segredo é uma vida de intimidade diária com Deus, através da Palavra e Oração, e o preparo ministerial, que envolve outras áreas não espirituais, como boa oratória, princípios da administração, capacidade de se relacionar e, claro, capacidade de liderança.

AcreNews Gospel – Quais suas impressões sobre os últimos acontecimentos mundiais? Estaríamos vivendo o crepúsculo dos tempos? Jesus está voltando? Ou esse é um assunto mais complexo do que possa se falar numa reportagem tão rápida, feita por telefone?

Pastor Marquinhos – O que a Bíblia nos apresenta é que o final dos tempos, nem aos anjos Deus deu a conhecer. A proposta da Bíblia é de que estejamos sempre preparados, pois não sabemos o dia, nem a hora. Minha preocupação é estar preparado, e desafiar aqueles a quem pastoreamos, a também estarem.

AcreNews Gospel – Obrigado, pastor!

Pastor Marquinhos – Eu que agradeço.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

GOSPEL

Candidata a federal da Assembleia de Deus lembra que seria uma das passageiras do avião da Rico que caiu em Rio Branco; “Desisti na sala de embarque”

Publicado

em

Por

A ex-secretária de Saúde da prefeitura de Rio Branco, Jesuíta Arruda, pré-candidata a deputada federal com o aval da direção da igreja Assembleia de Deus, ministério Rio Branco, fez uma postagem na manhã desta sexta-feira, 28, em sua página no Facebook, se apresentando a sociedade. Ela apresenta cinco curiosidades sobre a própria vida, uma delas um drama psicológico que viveu em 2002, quando seria uma das passageiras do fatídico voo da Rico que saiu de Cruzeiro do Sul e caiu perto da cabaceira da pista do aeroporto de Rio Branco. “Desisti na sala de embarque”, lembra ela.

Veja a postagem da irmã Jesuíta*

5 curiosidades sobre mim..

1| Sou cristã;
2| Tenho dois filhos;
3| Meu primeiro emprego foi no hospital Santa Juliana ( onde iniciei minha carreira profissional);
4|Fiz parte da gestão de saúde estadual no período de 1999 a 2005 e,
5| Eu estaria a bordo no vôo 4823 aeronave da Companhia Rico no trecho Cruzeiro do sul a Rio Branco em 30 de agosto 2002 ( pior tragédia aérea registrada no Acre- desisti na sala de embarque-).

Pra fechar..

Atualmente sou passageira em um vôo com destino ao DF com pouso previsto para 2023.

E aí, vocês já conheciam essas curiosidades?

Continue lendo

GOSPEL

Papa pede que pais não condenem, mas apoiem os filhos gays

Publicado

em

Por

O Papa Francisco pediu aos pais que não condenem, mas apoiem seus filhos caso estes se declarem homossexuais. O pontífice teceu o comentário nesta quarta-feira (26), em seu mais recente gesto em direção à comunidade LGBTQ, que há muito é marginalizada pela hierarquia católica.

Ele falou de improviso durante sua audiência geral semanal de quarta-feira dedicada à figura de São José, o pai de Jesus. O Papa Francisco disse que estava pensando em particular nos pais que são confrontados com situações “tristes” na vida de seus filhos.

Entre as situações, o pontífice citou pais que têm que lidar com crianças doentes, presas ou que morreram em acidentes de carro, mas acrescentou “os pais que veem diferentes orientações sexuais em seus filhos e como lidar com isso, como acompanhar seus filhos e não se esconder atrás de uma atitude de condenação”. “Nunca condene uma criança”, disse.

O Papa Francisco afirmou em outra ocasião que os homossexuais têm o direito de serem aceitos por suas famílias como filhos e irmãos. Ele também disse que, embora a Igreja não possa aceitar o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a instituição pode apoiar leis de união civil destinadas a dar aos parceiros gays direitos conjuntos nas áreas de pensões e saúde e em questões de herança.

Padres proibidos de abençoar uniões do mesmo sexo

No ano passado, o departamento doutrinário do Vaticano emitiu um documento que diz que os padres católicos não podem abençoar uniões do mesmo sexo, uma decisão que desapontou muitos católicos gays.

Em alguns países, como os EUA e a Alemanha, paróquias e ministros começaram a abençoar uniões do mesmo sexo em detrimento de casamentos, e houve pedidos para que os bispos as institucionalizassem de fato.

Os conservadores entre o 1,3 bilhão de membros da Igreja Católica têm afirmado que o Papa Francisco – que enviou notas de agradecimento a padres e freiras que ministram a católicos gays – está dando sinais contraditórios sobre a homossexualidade, o que estaria confundindo alguns fiéis.

“Quem sou eu para julgar?”.

O ensinamento oficial da Igreja Católica exige que gays e lésbicas sejam respeitados e amados, mas considera a atividade homossexual “intrinsicamente desordenada”.

O Papa Francisco, no entanto, tem procurado tornar a Igreja mais acolhedora para os homossexuais, mas notoriamente com seu comentário de 2013, quando afirmou “quem sou eu para julgar?”.

[Brasil de Fato]

Continue lendo

GOSPEL

Dança gospel, um estilo muito difundido no Acre e que já tem a adesão até de pastores mais conservadores

Publicado

em

Por

A dança gospel, segundo o dançarino e coreógrafo Roger de Souza, titular do blog Mundo da Dança, é um estilo que, mais do que qualquer outro, reverencia o nosso Criador através de um dom originalmente divino. Dado a nós os seres humanos para que possamos louvar a Deus sobre todas as coisas.

Pastor Raimundo Tadeu: “Se não tiver Deus no ministério de dança, será apenas exibicionismo”

Há controvérsia, no entanto, em relação as declarações do especialista. Pastores e outros líderes de ministérios mais conservadores não se empolgam tanto com esse “ministério”, embora tenham aderido de forma paulatina. “Não vejo tanta importância”, exorta o pastor Napoleão Julião, com 40 anos de obreiro na Assembleia de Seus. Mas há outros igualmente conservadores que já aceitam ao menos discutir o assunto ou que veem formas de dançar sem desagradar a Deus. É o caso do pastor Raimundo Tadeu, também da Assembleia de Deus. “Não sou contra. Devemos só reconhecer que ainda existe uma certa resistência por parte de alguns líderes em muitos lugares nas assembleias de Deus em todo o Brasil. Isso é fato. Esse ministério, sob orientação certa e pessoas comprometidas e com intenção de orientar e direcionar essa faixa etária da igreja, sem dúvida nenhuma, é uma boa ferramenta de agregar e motivar jovens na Igreja.

O que passar disso vai ocasionar apenas a formação de um grupo de “dança” para se ‘apresentar’, ‘se exibir’, entende?”, questiona.

Pastor Alex Carvalho: “A igreja precisa se modernizar, mas diante de Deus”

O pastor Alex Carvalho, mais progressista, tem uma visão mais apaixonada pelo ministério da dança. Segundo ele, a igreja tem que se modernizar para conquistar a juventude, mas tudo diante da presença de Deus, para não escandalizar. “A igreja tem que ter ministério de dança como tem os demais, para alcançar um certo público. A igreja tem que se modernizar, tem que ter seu podcast. O objetivo não é fazer o evangelho chegar em toda a terra? Então temos que acompanhar”, diz ele, que é articulista do AcreNews, líder de casais da Igreja Batista do Bosque, radialista e apresentador de TV.

COMO SURGIU A DANÇA GOSPEL

O blogueiro Roger de Souza, que é coreógrafo, escreve que a dança se originou no âmbito sagrado há longos, milhares de anos, quem sabe. A Bíblia confirma isso quando Deus, ao criar o homem (Gn 1:27), deu-lhe toda a sabedoria para quando, tomado pelo Espírito Santo, dançar em gratidão a Deus, louvando-O e glorificando-O com danças (II Sm 6:14), como fez Davi.

Hoje a dança gospel é um seguimento que está sendo resgatado nos templos religiosos, trazendo uma legião de dançarinos para louvar a Deus e evangelizar através da dança.

Esse estilo de dança é baseado exclusivamente para o louvor através de movimentos cuidadosamente estudados. Tendo como princípio movimentos de exaltação, admiração e adoração a Deus. O figurino também vem de um seguimento voltado para o mesmo propósito, não podendo haver sensualidade excessiva, porque o foco central de uma apresentação de Dança Gospel é exclusivamente a evangelização e adoração.

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas