Connect with us

POLÍTICA

Governo faz ação social com emigrantes em alusão ao Dia das Mães

Publicado

em

Por Agência AC/Foto: Camila Gomes/SEASDHM

A Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e Políticas Para as Mulheres (SEASDHM), em parceria com o projeto social União Solidária, realizaram neste sábado, 8, uma ação com as mulheres e crianças indígenas venezuelanas da etnia Waraos em comemoração ao Dia das Mães. Os imigrantes usufruíram de serviços de saúde e atividades de recreação.

A ação ofereceu serviços de saúde como teste rápido de HIV, hepatite e sífilis. Os imigrantes também contaram com consultas nutricional e fisioterapeuta, orientação odontológica, orientação médica e assistência de enfermagem. As mulheres tiveram o espaço da beleza, onde puderam fazer unhas, cabelo e penteados. Atividades de recreação como dança e brincadeiras para as crianças também foram ofertadas na ação.

Para o diretor da Política de Assistência Social, João Mascarenhas, essa ação vai de encontro com as atividades que os abrigos devem ter. Quando se fala da proteção especial dentro da política de assistência social, entende-se a importância das redes parceiras, sejam com instituições estaduais, privadas ou ongs e demais entidades que estão propostas a ajudar. “Eu considero essa ação um momento ímpar, principalmente nesse um ano em que estamos com os indígenas venezuelanos. Acredito que todos eles se sentiram especiais e essa é a proposta da SEASDHM, promover parcerias e redes em prol das pessoas das quais abrigamos,” enfatiza o diretor.

As mulheres tiveram o espaço da beleza, onde puderam fazer unhas, cabelo e penteados e no final da ação ganharam presentes. Foto: Camila Gomes/SEASDHM

O presidente do projeto social União Solidária, Robson Fadell, diz que a parceria com a SEASDHM foi de grande importância para a realização das atividades com os waraos. Para Fadell, todos da secretaria foram muito solícitos com as demandas do projeto e isso resultou no sucesso da ação.

“Tínhamos como principal objetivo promover serviços de saúde para as mães do abrigo, o que levou a todos os imigrantes, principalmente seus parceiros, também usufruírem desses benefícios. Acreditamos ter cumprindo nosso propósito e levando em consideração o sucesso que foi, nos colocamos à disposição para futuras parcerias”, afirma Fadell.

Os indígenas venezuelanos são mantidos pelo estado por meio da SEASDHM desde o dia 27 de março de 2020. O abrigo conta com 64 imigrantes, sendo 22 do gênero feminino e 42 do gênero masculino, incluindo as crianças.

União Solidária 

O União Solidária é um projeto sem fins lucrativos que busca atender pessoas em estado de vulnerabilidade socioeconômica. O principal objetivo do grupo é promover a saúde a essas pessoas, realizando consultas com profissionais de diversas áreas. Além disso, também ajudam com doações de roupas e alimentação. Todos os profissionais que atendem enquanto o projeto acontece, são voluntários do grupo.

Equipe SEASDHM e voluntários do projeto União Solidária. Foto: Cedida

Continuar lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POLÍTICA

Ato contra Bolsonaro é fraco, mesmo com apoio financeiro de parlamentares de esquerda

Publicado

em

Por

O ato contra o presidente Jair Bolsonaro, realizado na tarde deste sábado (19), no centro de Rio Branco, reuniu centenas de militantes com cartazes e faixas.

O grupo composto por estudantes, sindicalistas e lideranças partidárias, com os deputados Edvaldo Magalhães e Perpétua Almeida (ambos do PCdoB), pediam vacinação em massa contra o coronavírus e o impeachment do atual presidente da República.

O ato também ocorreu em outros Estados e capitais brasileiras.A pé, os manifestantes caminharam por várias ruas do centro da cidade e foram protestar em frente ao Palácio Rio Branco.

Com informações Contilnet.

Continuar lendo

POLÍTICA

Prefeito de Rio Branco se reúne com Sinteac para discutir melhorias para os servidores da Educação

Publicado

em

Por

Dircom

O prefeito Tião Bocalom recebeu na manhã desta sexta-feira, 18, a professora Rosana Nascimento, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Acre (Sinteac). Em pauta, a aproximação entre o sindicato e a Prefeitura de Rio Branco para buscar melhorias para os professores e demais servidores da Educação.

Na ocasião, o prefeito ouviu as demandas do sindicato e autorizou a criação de uma comissão de trabalho para promover o mais breve possível a retificação dos salários de auxiliares de creches que se encontram defasados. Tião Bocalom ressaltou que o momento exige medidas sensatas para acolher as solicitações da categoria.

“A gente precisa trazer todo mundo para a discussão. Por exemplo, os computadores com internet, no início da semana já havíamos tratado com a secretária Nabiha Bestene. Por meio da PGM, mediante parecer, vamos fazer uma adequação no salário dos auxiliares de creche, se possível, ainda este ano. Precisamos montar uma equipe para discutir a tabela de valorização salarial, respeitando os limites previstos em lei”, disse o prefeito.

Bocalom falou da importância da comunicação transparente entre as instituições. Convidou a categoria para acompanhar o lançamento da primeira escola rural centralizada, que ocorrerá no dia 26 de junho, na comunidade Oriente, região da Transacreana, divisa com o município de Sena Madureira.

Rosana considerou a reunião proveitosa. “Sentimos o comprometimento do prefeito Bocalom com as propostas que apresentamos. Tratamos pontos importantíssimos como a revisão da nossa tabela. Temos a expectativa de que ele possa cumprir tudo aquilo que a lei assegura para os professores. A aquisição de computadores com internet é imprescindível para a modalidade de ensino on-line decorrente da pandemia”, ponderou.

Continuar lendo

POLÍTICA

Porto Velho: Prefeito tucano ‘bica’ decreto de Governador que libera eventos com até 999 pessoas

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

O clima esquentou em Porto Velho, capital do estado vizinho Rondônia, após o governador Marcos Rocha (Sem Partido) ter publicado, ontem (17), um decreto que permite a liberação de eventos com até 999 pessoas nos municípios. O prefeito, Hildon Chaves (PSDB), reclamou da medida e classificou como “bizarra” tendo em vista as dificuldades no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

Chaves que tem negócios no Acre e está no segundo mandato de prefeito, fez a manifestação pública nas redes sociais. “Entendo que é no mínimo bizarra a liberação de festas particulares pra 1000 pessoas. Amanhã devo editar decreto municipal, proibindo tal bizarrice. O momento é de muita apreensão”, escreveu.

Hildon completou, na mesma pegada, acrescentou “não podemos compactuar com ações como essas, que colocam a vida de muitas pessoas em risco”.

Só em Porto Velho, de acordo com o último Boletim Epidemiológico, foram totalizados 80.967 casos positivos de Covid-19 com 2.418 mortes.  Nas últimas 24 horas, nove pessoas morreram em consequência da doença, 67 novos casos foram contabilizados.

“Ainda não vacinamos nem metade da nossa população. O vírus ainda está entre nós e continua letal. Medidas serão tomadas para que esse decreto não tenha graves consequências em nossa população! Vamos continuar respeitando as medidas de saúde, para a segurança de toda a população”, escreveu.

Além do prefeito, o Conselho Regional de Enfermagem de Rondônia (Coren-RO) também discordou do ato governamental. O governador Rocha ainda não fez manifestação sobre os ‘descontentes’.

Continuar lendo

Trending

www.acrenews.com.br é uma publicação da Acrenews Comunicação

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Endereço: Área rural, 204, Setor Barro Vermelho - CEP 69.923-899

Os artigos assinados não expressam a opinião deste site.

contato@acrenews.com.br

Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas