Connect with us

POLÍTICA

MINISTRO DO MEIO AMBIENTE DESNUDA O ACRE DA ERA PT “Porque o Acre, que teve uma ministra do Meio Ambiente, tem um dos piores índices de desenvolvimento humano?”

Publicado

em

Evandro Cordeiro

A audiência da comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara Federal ocorrida na última segunda-feira, 3, por meio da qual deputados ouviam o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e que terminou em bate boca, acabou colocando o Acre na cena do BO. Enquanto trocava farpas com deputados de oposição, o ministro fez um breve relato sobre a situação do Estado do ponto de vista ambiental para mostrar o quanto a esquerda é “hipócrita”, segundo ele.


Em meio à discussão os parlamentares se desentenderam. Os motivos das discussões foram as denúncias publicadas pela imprensa de que Salles teria relacionamento com madeireiras e a cobrança por mais recursos com insinuações e acusações do ministro endereçadas a alguns deputados. A primeira discussão aconteceu quando a presidente da comissão, a governista deputada Carla Zambelli (PSL-SP), deu a palavra à deputada Vivi Reis (PSOL-PA): 

Governador Gladson Cameli mostra o esgoto in natura derramado no rio Acre para o ministro Ricardo Salles;

“Sou deputada pelo Pará, Estado esse que o ministro frequentemente visita para fazer reuniões com madeireiros, garimpeiros, grandes empresários, em abril desse ano a Polícia Federal apreendeu 200 mil metros cúbicos de madeira”. 


No meio da fala que seria de três minutos da deputada, ela começou a ser interrompida por outros deputados que diziam que ela estava fugindo da pauta. 


“Eu gostaria de ter a minha fala respeitada, eu sou deputada pelo Pará. Eu ainda nem comecei a minha fala. Por favor deputados me respeitem. Eu falei 30 segundos. Como diz que eu estou fugindo do objeto?”.

Os pais da Florestania no Acre, Jorge Viana e Marina Silva


A partir daí os ânimos ficaram ainda mais exaltados. Em um dado momento, para mostrar o quanto a esquerda só tem retórica, o ministro acabou citando o Acre, que viveu 20 anos de ilusão ambiental, sob um projeto de apelido Florestania. Salles disse que de nada adiantou o Estado ter tido uma ministra do Meio Ambiente, no caso Marina Silva, se isso não mudou em nada a situação. Os indíces de desenvolvimento apresentados pelo ministro são vergonhosos. O Acrenews separou uma pequena fala dele em vídeo, publicada ai na frente.


SENADOR BITTAR JÁ DENUNCIOU “RETÓRICA HIPÓCRITA” SOBRE MEIO AMBIENTE

O ex-fazendeiro Márcio Bittar, eleito senador, entre outras, por mostrar hipocrisia no discurso da esquerda em relação ao meio ambiente

Os dados do Acre mostrados pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, para expor a falácia da esquerda sobre meio ambiente, ajudaram a eleger senador em 2018 um ex-fazendeiro, Márcio Bittar (MDB), considerado pelos Liberais do Estado como mais “ambientalista” do que “ícones” da esquerda acreana que se alimentam politicamente há anos alegando cuidar do meio ambiente. Bittar denúncia desde sempre que, além de não levar o Acre a lugar nenhum economicamente, a Florestania deixou para trás um rastro de miséria. “É só ir na reserva Chico Mendes, para vê no que resultou tanta demagogia”, ainda hoje desafia o senador.


Dentro das reservas a situação não é diferente das cidades do Acre onde nada foi feito em relação à política de meio ambiente. O rio Acre ainda absorve esgoto in natura, entre outros antagonismos. Depois de 20 anos no poder, a esquerda do Acre, ao que tudo indica, vai assistir um governo de direita fazer, por exemplo, a revitalização do igarapé São Francisco. E com dinheiro prospectado em Brasília pelo “fazendeiro malvado e opressor”, como eles chamam o senador Bittar e a todos da classe que explora a pecuária como meio de desenvolvimento.

VEJA O VÍDEO EM QUE O MINISTRO FALA SOBRE O ACRE

Continuar lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POLÍTICA

Ato contra Bolsonaro é fraco, mesmo com apoio financeiro de parlamentares de esquerda

Publicado

em

Por

O ato contra o presidente Jair Bolsonaro, realizado na tarde deste sábado (19), no centro de Rio Branco, reuniu centenas de militantes com cartazes e faixas.

O grupo composto por estudantes, sindicalistas e lideranças partidárias, com os deputados Edvaldo Magalhães e Perpétua Almeida (ambos do PCdoB), pediam vacinação em massa contra o coronavírus e o impeachment do atual presidente da República.

O ato também ocorreu em outros Estados e capitais brasileiras.A pé, os manifestantes caminharam por várias ruas do centro da cidade e foram protestar em frente ao Palácio Rio Branco.

Com informações Contilnet.

Continuar lendo

POLÍTICA

Prefeito de Rio Branco se reúne com Sinteac para discutir melhorias para os servidores da Educação

Publicado

em

Por

Dircom

O prefeito Tião Bocalom recebeu na manhã desta sexta-feira, 18, a professora Rosana Nascimento, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Acre (Sinteac). Em pauta, a aproximação entre o sindicato e a Prefeitura de Rio Branco para buscar melhorias para os professores e demais servidores da Educação.

Na ocasião, o prefeito ouviu as demandas do sindicato e autorizou a criação de uma comissão de trabalho para promover o mais breve possível a retificação dos salários de auxiliares de creches que se encontram defasados. Tião Bocalom ressaltou que o momento exige medidas sensatas para acolher as solicitações da categoria.

“A gente precisa trazer todo mundo para a discussão. Por exemplo, os computadores com internet, no início da semana já havíamos tratado com a secretária Nabiha Bestene. Por meio da PGM, mediante parecer, vamos fazer uma adequação no salário dos auxiliares de creche, se possível, ainda este ano. Precisamos montar uma equipe para discutir a tabela de valorização salarial, respeitando os limites previstos em lei”, disse o prefeito.

Bocalom falou da importância da comunicação transparente entre as instituições. Convidou a categoria para acompanhar o lançamento da primeira escola rural centralizada, que ocorrerá no dia 26 de junho, na comunidade Oriente, região da Transacreana, divisa com o município de Sena Madureira.

Rosana considerou a reunião proveitosa. “Sentimos o comprometimento do prefeito Bocalom com as propostas que apresentamos. Tratamos pontos importantíssimos como a revisão da nossa tabela. Temos a expectativa de que ele possa cumprir tudo aquilo que a lei assegura para os professores. A aquisição de computadores com internet é imprescindível para a modalidade de ensino on-line decorrente da pandemia”, ponderou.

Continuar lendo

POLÍTICA

Porto Velho: Prefeito tucano ‘bica’ decreto de Governador que libera eventos com até 999 pessoas

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

O clima esquentou em Porto Velho, capital do estado vizinho Rondônia, após o governador Marcos Rocha (Sem Partido) ter publicado, ontem (17), um decreto que permite a liberação de eventos com até 999 pessoas nos municípios. O prefeito, Hildon Chaves (PSDB), reclamou da medida e classificou como “bizarra” tendo em vista as dificuldades no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

Chaves que tem negócios no Acre e está no segundo mandato de prefeito, fez a manifestação pública nas redes sociais. “Entendo que é no mínimo bizarra a liberação de festas particulares pra 1000 pessoas. Amanhã devo editar decreto municipal, proibindo tal bizarrice. O momento é de muita apreensão”, escreveu.

Hildon completou, na mesma pegada, acrescentou “não podemos compactuar com ações como essas, que colocam a vida de muitas pessoas em risco”.

Só em Porto Velho, de acordo com o último Boletim Epidemiológico, foram totalizados 80.967 casos positivos de Covid-19 com 2.418 mortes.  Nas últimas 24 horas, nove pessoas morreram em consequência da doença, 67 novos casos foram contabilizados.

“Ainda não vacinamos nem metade da nossa população. O vírus ainda está entre nós e continua letal. Medidas serão tomadas para que esse decreto não tenha graves consequências em nossa população! Vamos continuar respeitando as medidas de saúde, para a segurança de toda a população”, escreveu.

Além do prefeito, o Conselho Regional de Enfermagem de Rondônia (Coren-RO) também discordou do ato governamental. O governador Rocha ainda não fez manifestação sobre os ‘descontentes’.

Continuar lendo

Trending

www.acrenews.com.br é uma publicação da Acrenews Comunicação

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Endereço: Área rural, 204, Setor Barro Vermelho - CEP 69.923-899

Os artigos assinados não expressam a opinião deste site.

contato@acrenews.com.br

Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas