Connect with us

POLÍTICA

Município de Assis Brasil completa 45 anos, faz grande festa e recebe governador Gladson Cameli

Publicado

em

A cidade de Assis Brasil estava pequena na tarde desta sexta-feira, 14, por causa da festa de aniversário de 45 anos de sua emancipação política. Um evento na avenida Raimundo Chaar, a principal via do município, estava marcando a data, contando com a presença das famílias, além de muitos índios das etnias Manchineri e Jaminawa.

O prefeito Jerry Correia (PT) e o governador Gladson Cameli (Progressistas) conduziram a cerimônia, prestigiada pelos deputados federais Alan Rick (DEM) e Vanda Milani (SD), além de secretários de Estado.

A chegada do governador Gladson Cameli foi um evento. Sob fortes aplausos, ele encontrou o prefeito Jerry e uma multidão de assisenses. Cameli parabenizou o município e, ao lado do prefeito, e anunciou obras, principalmente no setor de água e esgoto. Também falou sobre a pandemia.

Para o governador, “se Deus quiser não haverá terceira onda de Covid”. Ele disse que tem pressa de abraçar as pessoas e tocar as obras que precisam ser feitas. Voltou a falar, por exemplo, do anel viário em Brasileia e sobre a melhora na BR-317.

Gladson foi até à multidão e cumprimentou algumas pessoas cumprindo protocolos sanitários, apenas de punho fechado e usando máscara. “Eu vou ao povo que é meu patrão. Sou empregado deles”, disse, ao ser perguntado sobre os motivos que levam sempre a entrar no meio das pessoas.

O prefeito de Assis Brasil, mesmo sendo do PT, rasgou elogios ao governador. “Pedi socorro a ele e ele nem pensou. Já está nos ajudando e muito”, afirmou. Jerry recebeu das mãos do governador um maquinário moderno para ser usado na agricultura, além de uma caçamba. “Assim Brasil está feliz”, disse o prefeito ao Acrenews.

Antigo seringal Paraguaçu

Foto: Reprodução

Assis Brasil, localizado a 350km de Rio Branco, pela BR-317, é o último município do Acre ao sul. Está na fronteira com Bolívia e Peru. Era, antes de virar cidade, a sede do Seringal Paraguaçu, de muitas histórias, banhada pelo rio Acre.

Terra de clássicos futebolísticas entre Ladeira VS Cascata, da deliciosa tapioca da Maria do Toco e das histórias do Seu Valdir. Hoje, Assis Brasil comemora seus 45 anos de uma bela história.

QUEM FOI ASSIS BRASIL

Foto: Reprodução

Joaquim Francisco de Assis Brasil (São Gabriel, 29 de julho de 1857 — 24 de dezembro de 1938) foi um advogado, político orador, escritor, poeta, prosador, diplomata e estadista brasileiro; propagandista da República. Foi fundador do Partido Libertador, deputado e membro da junta governativa gaúcha de 1891.

Introduziu no Brasil o gado jersey e o gado devon, tendo participação importante na introdução do cavalo árabe e da ovelha karakul.

Juntamente com o Barão do Rio Branco, assinou o Tratado de Petrópolis, que assegurou ao Brasil a posse do atual Estado do Acre. Neste estado foi criado, em sua homenagem, o município de Assis Brasil.

BIOGRAFIA

Assis Brasil nasceu na estância de São Gonçalo, município de São Gabriel, no Rio Grande do Sul. Filho do estancieiro Francisco de Assis Brasil, de quem herdou extensas propriedades no interior gaúcho, e de Joaquina Teodora de Bem Salinas, ambos descendentes de açorianos.

Aos oito anos entrou na escola de primeiras letras do mestre Custódio José de Miranda. Em 1870 transferiu-se para o Colégio São Gabriel, na cidade de mesmo nome. No primeiro ano ganhou a medalha de prata e no ano seguinte a de ouro. Estas medalhas ainda existem, guardadas no Castelo de Pedras Altas, no município de Pedras Altas.

Em 1872, já órfão de pai, partiu para Pelotas, ficando interno no Colégio Taveira Júnior. Em 1874 frequentou, em Porto Alegre, o Colégio Gomes, onde estudou os preparatórios.

Em 1876 matriculou-se na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, passando a integrar o grupo de estudantes rio-grandenses que ali se formara. Fundaram o Clube 20 de Setembro, com o compromisso de pregar e propagar o sistema republicano de governo e de apressar a mudança de regime político do país.

Em 1877, Assis Brasil publicou seu primeiro livro, Chispas, com versos da adolescência. A seguir publicou História da República Rio-grandense, onde fez uma defesa ardorosa da Revolução Farroupilha de 1835. Neste livro já estão presentes os princípios básicos de seu pensamento. Seguiram-se outros trabalhos inspirados no puro ideal de suas convicções. Sua obra é vasta. Destacam-se nela tanto trabalhos de propaganda, como obras de profunda relevância do ponto de vista da teoria política. A defesa ardorosa do sistema presidencial de governo e da representação proporcional são a marca principal de seu pensamento.

Em 1879, com um grupo de rapazes que marcaram época na Academia de São Paulo, fundou o “Clube Republicano Acadêmico” e o jornal “Evolução”.

Em 1882 formou-se em direito e voltou para o Rio Grande do Sul, onde foi um dos fundadores do Partido Republicano Rio-grandense. Durante meses, percorreu a província a cavalo, pregando a liberdade e a república com que tanto sonhava.

Foi eleito deputado provincial (hoje seria estadual) em dois biênios: 1884 — 1886 e 1886 — 1888. Na tribuna enfrentou Gaspar Silveira Martins, merecendo deste seu digno adversário as maiores considerações.

Em 1889, proclamada a República, foi eleito deputado à Assembleia Nacional Constituinte. Promulgada a constituição, renunciou ao seu mandato. Convidado pelo Marechal Deodoro da Fonseca para fazer parte do primeiro ministério constitucional, recusou o convite por divergência de ideais.

Em consequência do golpe de estado de Deodoro, a situação no Rio Grande do Sul tornou-se anormal, tendo o presidente do estado Júlio de Castilhos abandonado o poder. Foi constituída então uma Junta Governativa, da qual Assis Brasil fez parte. Como único membro presente da junta, assumiu o governo do estado.

Continuar lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POLÍTICA

Ato contra Bolsonaro é fraco, mesmo com apoio financeiro de parlamentares de esquerda

Publicado

em

Por

O ato contra o presidente Jair Bolsonaro, realizado na tarde deste sábado (19), no centro de Rio Branco, reuniu centenas de militantes com cartazes e faixas.

O grupo composto por estudantes, sindicalistas e lideranças partidárias, com os deputados Edvaldo Magalhães e Perpétua Almeida (ambos do PCdoB), pediam vacinação em massa contra o coronavírus e o impeachment do atual presidente da República.

O ato também ocorreu em outros Estados e capitais brasileiras.A pé, os manifestantes caminharam por várias ruas do centro da cidade e foram protestar em frente ao Palácio Rio Branco.

Com informações Contilnet.

Continuar lendo

POLÍTICA

Prefeito de Rio Branco se reúne com Sinteac para discutir melhorias para os servidores da Educação

Publicado

em

Por

Dircom

O prefeito Tião Bocalom recebeu na manhã desta sexta-feira, 18, a professora Rosana Nascimento, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Acre (Sinteac). Em pauta, a aproximação entre o sindicato e a Prefeitura de Rio Branco para buscar melhorias para os professores e demais servidores da Educação.

Na ocasião, o prefeito ouviu as demandas do sindicato e autorizou a criação de uma comissão de trabalho para promover o mais breve possível a retificação dos salários de auxiliares de creches que se encontram defasados. Tião Bocalom ressaltou que o momento exige medidas sensatas para acolher as solicitações da categoria.

“A gente precisa trazer todo mundo para a discussão. Por exemplo, os computadores com internet, no início da semana já havíamos tratado com a secretária Nabiha Bestene. Por meio da PGM, mediante parecer, vamos fazer uma adequação no salário dos auxiliares de creche, se possível, ainda este ano. Precisamos montar uma equipe para discutir a tabela de valorização salarial, respeitando os limites previstos em lei”, disse o prefeito.

Bocalom falou da importância da comunicação transparente entre as instituições. Convidou a categoria para acompanhar o lançamento da primeira escola rural centralizada, que ocorrerá no dia 26 de junho, na comunidade Oriente, região da Transacreana, divisa com o município de Sena Madureira.

Rosana considerou a reunião proveitosa. “Sentimos o comprometimento do prefeito Bocalom com as propostas que apresentamos. Tratamos pontos importantíssimos como a revisão da nossa tabela. Temos a expectativa de que ele possa cumprir tudo aquilo que a lei assegura para os professores. A aquisição de computadores com internet é imprescindível para a modalidade de ensino on-line decorrente da pandemia”, ponderou.

Continuar lendo

POLÍTICA

Porto Velho: Prefeito tucano ‘bica’ decreto de Governador que libera eventos com até 999 pessoas

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

O clima esquentou em Porto Velho, capital do estado vizinho Rondônia, após o governador Marcos Rocha (Sem Partido) ter publicado, ontem (17), um decreto que permite a liberação de eventos com até 999 pessoas nos municípios. O prefeito, Hildon Chaves (PSDB), reclamou da medida e classificou como “bizarra” tendo em vista as dificuldades no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

Chaves que tem negócios no Acre e está no segundo mandato de prefeito, fez a manifestação pública nas redes sociais. “Entendo que é no mínimo bizarra a liberação de festas particulares pra 1000 pessoas. Amanhã devo editar decreto municipal, proibindo tal bizarrice. O momento é de muita apreensão”, escreveu.

Hildon completou, na mesma pegada, acrescentou “não podemos compactuar com ações como essas, que colocam a vida de muitas pessoas em risco”.

Só em Porto Velho, de acordo com o último Boletim Epidemiológico, foram totalizados 80.967 casos positivos de Covid-19 com 2.418 mortes.  Nas últimas 24 horas, nove pessoas morreram em consequência da doença, 67 novos casos foram contabilizados.

“Ainda não vacinamos nem metade da nossa população. O vírus ainda está entre nós e continua letal. Medidas serão tomadas para que esse decreto não tenha graves consequências em nossa população! Vamos continuar respeitando as medidas de saúde, para a segurança de toda a população”, escreveu.

Além do prefeito, o Conselho Regional de Enfermagem de Rondônia (Coren-RO) também discordou do ato governamental. O governador Rocha ainda não fez manifestação sobre os ‘descontentes’.

Continuar lendo

Trending

www.acrenews.com.br é uma publicação da Acrenews Comunicação

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Endereço: Área rural, 204, Setor Barro Vermelho - CEP 69.923-899

Os artigos assinados não expressam a opinião deste site.

contato@acrenews.com.br

Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas