Connect with us

POLÍCIA

Subsecretário de Segurança é preso após causar acidente ao conduzir veículo oficial em estado de embriaguez

Publicado

em

O secretário adjunto de Justiça e Segurança Pública do Acre, Maurício Pinheiro Soares, de 61 anos, foi preso em flagrante por dirigir sob influência de álcool. O caso ocorreu na manhã desta sexta-feira, 17, na Estrada da Floresta, bairro Florestal Sul.

Consta no boletim de ocorrência de número 1538, registrado na DEFLA, que o secretário adjunto conduzia uma caminhonete modelo L-200 Triton de placas QLX-9515, quando bateu violentamente na traseira de uma caminhonete Toro conduzida por um oficial do Exército Brasileiro. A colisão ocorreu por volta das 6h41 da manhã.

Segundo o boletim do Policiamento de Trânsito, Maurício Pinheiro apresentava sinais de sonolência, olhos vermelhos, odor de álcool no hálito, dificuldade de equilíbrio, fala alterada, andar cambaleante e falta de coordenação motora. O teste do etilômetro (bafômetro) não foi realizado porque, segundo os policiais, o equipamento do batalhão estava em aferição, ou seja, em revisão.

Aos policiais militares, o secretário adjunto, que conduzia um veículo oficial, declarou que começou a ingerir bebidas alcoólicas por volta das 23 horas de quinta-feira, 16, e no momento do acidente ele retornava para casa.

Na delegacia de flagrantes Maurício Pinheiro foi autuado, mas após pagar fiança, de valor não revelado, foi liberado.

Por conta da violência do impacto a caminhonete do Estado teve que ser rebocada em caminhão guincho após a perícia de local.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POLÍCIA

Polícia Civil deflagra operação e cumpre oito mandados no Distrito de Vila Campinas

Publicado

em

Por

Ascom/PCAC

Na madrugada desta quarta-feira, 19, a Polícia Civil deflagrou operação de cumprimento de oito mandados de busca e apreensão no Distrito de Vila Campinas, distante 60 quilômetros da capital, em desfavor de supostos criminosos daquela localidade, apontados dentro das investigações realizadas pela equipe da Delegacia de Plácido de Castro como principais envolvidos em uma série de crimes contra o patrimônio, tráfico de entorpecentes e integrar organização criminosa que age naquela região.

Durante a Operação, que teve cooperação do CORE – AC, foram apreendidos, aproximadamente, 6 (seis) aparelhos celulares que estavam em posse dos suspeitos e serão encaminhados à perícia criminal para análise já que, supostamente a maioria das ações criminosas eram feitas por meio de aplicativo de mensagens.

Além dos celulares, foram apreendidos pouco mais de 10 kg de carne proveniente de animais silvestres abatidos ilegalmente, dois pássaros (Curió) sem registro ou anilha de criador cadastrado, e uma quantia de pouco menos de R$ 5.000,00 de procedência duvidosa, que não foi explicada.

Além do cumprimento dos mandados, os supostos envolvidos foram ouvidos informalmente e espontaneamente, sendo intimados a comparecer a delegacia de maneira formal para prestar declarações mais detalhadas acerca dos crimes dos quais são investigados.

O delegado titular Danilo César afirmou que as operações dessa madrugada são apenas o início de uma série de ações que pretendem identificar e apresentar às autoridades todos os agentes envolvidos com ORCRIM apontados pela investigação, crimes contra o patrimônio e tráfico de entorpecentes que tem agido na localidade e arredores.

A equipe da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE) da Policia Civil vem prestando apoio as incursões e permanecem com suporte investigativo para que as ações sejam cada vez mais frequentes e exitosas.

Continue lendo

POLÍCIA

Cortou a tornozeleira no Acre, fugiu para Rondônia e acabou baleado na barriga pela PM

Publicado

em

Por

Fonte: Rondônia Agora

Foragido do Acre é baleado na barriga após fugir de abordagem da PM na capital (Foto: Rondônia Agora)

Francisco C.A., 44 anos, foi socorrido às pressas após ser baleado por policiais militares na zona leste de Porto Velho. O homem estava armado, desobedeceu a ordem de parada e fugiu da abordagem.

Segundo a ocorrência, uma guarnição da PM avistou Francisco conduzindo uma motocicleta Dafra Apache, de cor preta. Ele estava com um objeto suspeito na cintura. Foi dada ordem de parada, mas ele fugiu.

Francisco colocou a mão na cintura e desobedeceu às ordens dos policiais. Durante o acompanhamento foram efetuados um tiro com munição letal e três de munição não letal. Foi pedido apoio de outras guarnições para realizarem o cerco.

Mas o homem empreendeu fuga por diversas ruas da zona leste da capital. Mas após cerca de oito quilômetros após receber a primeira ordem de parada, Francisco caiu e os policiais verificaram que ele estava baleado no abdômen.

Os militares colocaram o suspeito na viatura da PM e o socorreram até à UPA leste. Ele precisou ser transferido para o hospital e pronto socorro João Paulo II.

Os policiais foram informados que Francisco estava foragido do Estado do Acre, onde cumpria pena desde o último dia 11 e ainda usava tornozeleira eletrônica de monitoramento, porém, havia cortado o equipamento.

Ele estava ameaçando seus ex-sogros, pois queria saber para qual cidade sua ex-mulher havia fugido. As vítimas informavam que sempre que Francisco ia buscar informações sobre a ex, apresentava volume na cintura, supostamente arma de fogo.

O homem permaneceu internado no João Paulo II sob escolta policial. A arma que portava e a motocicleta que conduzia foram apresentados no Departamento de Flagrantes.

Continue lendo

POLÍCIA

Caso Kesia Nascimento: ‘justiceira’ de organização criminosa tem mais um HC negado

Publicado

em

Por

A defesa de Veralucia Marques Coura, presa por envolvimento na morte da jovem Kesia Nascimento, alegou no recurso que estariam ausentes os requisitos para a manutenção da prisão preventiva. Em outro trecho do habeas corpus o advogado citou o princípio constitucional de presunção da inocência e excepcionalidade da prisão cautelar.

Com esses argumentos, foi pedido a concessão da medida liminar para que Veralucia seja colocada em liberdade, mesmo com a aplicação de medidas cautelares. O relator do habeas corpus foi o Desembargador Pedro Ranzi.

Ao negado o pedido, o magistrado disse que as provas produzidas até o momento trazem segurança da existência de indícios de autoria e materialidade. “Os requisitos para a prisão preventiva estão presentes”, diz um dos trechos da decisão. O voto do relator foi acompanhado pelos demais magistrados.

Veralucia, conhecida como “Justiceira” de uma organização criminosa, foi presa no dia 25 de junho de 2020 pela polícia paulista. Ela, segunda a denúncia, teria participado de São Paulo por meio de videoconferência do julgamento de Kesia Nascimento.

A jovem foi sequestrada, torturada e sentenciada perna de morte em janeiro de 2020. O homicídio ocorreu no bairro Taquari e os restos mortais da vítima foram jogados no Rio Acre.

Como o processo foi desmembrado, Veralucia, que está presa em São Paulo, não foi julgada com os outros envolvidos, mas a expectativa é que ela seja levada ao banco dos réus este ano.

Em dezembro passado, quatro dos nove denunciados pela morte da vítima foram condenados a quase 120 anos de prisão pelo Conselho de Sentença da 1ª Vara do Tribunal do Júri.

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Engenharia e Tecnologia