Connect with us

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Acre vai seguir na bandeira vermelha e com medidas restritivas

Publicado

em

O Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 no Acre realizou na tarde desta segunda-feira, 5, a vigésima coletiva de informe sobre o avanço da pandemia no estado. Com análise dos dados de 14 a 27 de março, todo o Acre se mantém em Nível de Emergência (Bandeira Vermelha), situação onde se encontra desde o dia 1 de fevereiro.

Num quadro geral, as três regionais tiveram piora nos índices de isolamento social, aumento de casos de Covid-19, aumento de notificações por síndrome gripal e aumento de óbitos, com um altíssimo índice de ocupação de leitos tanto de enfermaria, quanto de UTI. O cenário mais crítico, hoje, é na regional do Baixo Acre/Purus, onde o maior hospital de referência do estado, na capital, não possui leitos de UTI disponíveis.

Com estado ainda em Bandeira Vermelha, medidas restritivas adotadas pelo governo do Estado seguem valendo Foto: Diego Gurgel/Secom

Em todo o estado, quase 7 mil notificações por síndrome gripal foram registradas só no período de 21 a 27 de março, transformando este no pior quadro da pandemia até agora, numa manutenção de óbitos que ultrapassam os 50 por semana, há quatro semanas consecutivas.

O secretário de Saúde, Alysson Bestene, destacou que neste momento todas as medidas restritivas existentes até então no estado se mantêm. O governo segue com esforços e desafios diários para o combate à proliferação da doença e manutenção da assistência à saúde com abertura de leitos, mas que apenas o trabalho conjunto, com participação da população, entidades e executivo federal e municipal que poderemos alcançar melhores resultados.

“Reforço mais uma vez as medidas que precisamos adotar e que esse é um momento de união de todos nós, pessoas e instituições, para que possamos vencer essa doença aqui no estado do Acre. E pedimos novamente a todos que não se aglomerem, lavem as mãos, usem máscaras. Precisamos barrar o avanço do vírus”, conta o secretário.

Medidas são mantidas

O Estado manterá as medidas adotadas desde fevereiro para o controle da doença, que incluem o funcionamento de quase todos os setores econômicos com a capacidade máxima de 20% em Bandeira Vermelha, além da adoção obrigatória de medidas sanitárias, como o uso de máscaras.

Lockdown Foto: Marcos Vicentti/Secom
Fim de semana segue com medidas mais restritivas Foto: Marcos Vicentti/Secom

Vale lembrar, ainda, que por meio do decreto 8.445, foi adotado o Toque de Restrição, que torna proibida a circulação de pessoas das 22 às 5 horas da manhã, todos os dias da semana.

Os finais de semana seguem com as medidas mais rígidas de contenção, onde ficam impedidos de abrir para atendimento ao público todo o comércio não essencial, além de restaurantes, lanchonetes, supermercados e similares, onde o atendimento deverá ser apenas por serviço de delivery. Fica proibido qualquer tipo de atendimento presencial ao público, inclusive na modalidade drive thru. Também está suspensa a aglomeração de pessoas em espaços públicos e privados destinados à recreação e ao lazer.

Quanto aos templos religiosos, o procurador-geral do Estado, João Paulo Setti, atentou que a decisão monocrática do Supremo Tribunal Federal (STF) no último fim de semana pouco altera as medidas adotadas no Acre. A abertura já era permitida em 20% da capacidade, podendo ser expandida agora para 25%.

O Pacto

O Pacto Acre Sem Covid é uma ferramenta destinada a viabilizar a harmonia entre o desenvolvimento econômico, o direito de proteção à saúde e os valores sociais do trabalho, tendo por finalidade precípua a efetiva proteção do direito à vida.

Este instrumento assegura a retomada gradual e responsável das atividades econômicas e comerciais no âmbito estadual, por meio de mecanismos impulsionados pela atuação conjunta da sociedade, do setor econômico e do poder público, tendo como referência, diretrizes e decisões baseadas em dados oficiais e evidências científicas. 

Os níveis de classificação de risco foram divididos em Vermelho, Laranja, Amarelo e Verde, respectivamente do mais restritivo para o mais flexível. A cada 14 dias é realizada uma nova avaliação dos indicadores, cabendo às prefeituras realizar a autorização das atividades permitidas no respectivo nível de risco apurado por meio de decreto municipal, bem como a instituição de protocolos sanitários a serem seguidos pelos setores da economia que estejam autorizados a funcionar. Um trabalho que envolve Estado, prefeituras, entidades e conta com o apoio de toda a comunidade.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ACRE

Nos 65 anos do 4º Batalhão de Infantaria, Gladson destaca importância do Exército para o desenvolvimento do Acre

Publicado

em

Por

Agência AC

O governador Gladson Cameli ratificou na noite desta quinta-feira, 16, a função do Exército Brasileiro como “preponderante para a construção de uma sociedade melhor” e como uma instituição extremamente importante para o Acre, seja guardando as fronteiras, seja recuperando aeródromos como o de Santa Rosa do Purus, município a quase 500 quilômetros de Rio Branco, na fronteira com o Peru, cujo acesso se dá apenas pelo Rio Purus ou via aérea.

“O nosso governo reconhece o papel fundamental desses bravos homens e mulheres na defesa de nosso estado, que tem uma fronteira imensa e que também conta com a engenharia do Exército para a recuperação de rodovias e de nossos aeródromos, como está sendo feito em Santa Rosa do Purus”, afirmou Cameli, durante solenidade de 65 anos de fundação do 4º Batalhão de Infantaria e Selva, o 4º BIS, em Rio Branco.

Comandante da 17ª Brigada de Infantaria e Selva, general Ribeiro Cacho, com o governador Gladson Cameli na cerimônia de aniversário de 65 anos do 4º BIS no Acre. Foto: Neto Lucena/Secom

O desfile de pelotões e a entrega do diploma Amigo do Exército a pessoas que contribuíram de alguma forma pelo engrandecimento das ações militares foram o ponto alto da festa, que contou com a presença do novo comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, general Jorge Augusto Ribeiro Cacho.

Integrante do Exército Brasileiro participa das comemorações do aniversário de 65 anos do 4º Batalhão de Infantaria e Selva, na noite desta quinta-feira, 16. Foto: Neto Lucena/Secom

Os batalhões e pelotões nos 22 municípios do Acre são subordinados à 17ª Brigada, com sede em Porto Velho (RO).

“Estamos diante de homens e mulheres aguerridos. Nosso efetivo é muito grande nesta parte mais ocidental da Amazônia e quero deixar aqui o meu agradecimento ao apoio das demais forças, Marinha e Aeronáutica, que sempre estiveram juntas do Exército. Que esta data sirva para lembrar quão importante é para o país e para sociedade, sobretudo aquelas populações mais humildes, que estejamos juntos dos seus anseios, protegendo a todos e contribuindo por um país melhor”, afirmou o comandante Cacho, o mais antigo integrante da instituição na celebração.

Homens do Exército Brasileiro perfilados no pátio do 4º BIS, por ocasião das comemorações do aniversário de 65 anos do batalhão, na noite desta quinta-feira, 16. Foto: Neto Lucena/Secom

Seguindo o protocolo de segurança, por causa da pandemia de Covid-19, toda a solenidade durou 40 minutos. Participaram também da cerimônia autoridades oficiais das demais forças militares, representantes do Poder Legislativo, do Judiciário e do Ministério Público do Estado do Acre.

Veja mais fotos

Continue lendo

ACRE

MPF quer que INSS seja condenado a cuidar de galpão abandonado em Brasiléia

Publicado

em

Por

O Ministério Público Federal (MPF) no Acre ajuizou uma ação civil pública visando obrigar o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) a manter limpo um galpão localizado em Brasiléia, a 230km de Rio Branco, que atualmente está abandonado, tomado por mato e animais peçonhentos, além de ser alvo de pessoas que praticam atividades ilegais como invasão de bem público e disparo de arma de fogo.

O caso foi encaminhado ao MPF pela Promotoria de Justiça de Brasiléia, após denúncia de vizinhos do local de que toda a área que circunda o referido galpão está infestada pelo matagal, devido à falta de intervenção. Por isso, revela-se como celeiro de animais peçonhentos e venenosos (cobras, lacraias, tarântulas, escorpiões e ratos). Além de expor a integridade física e a vida dos moradores da vizinhança, constitui-se em alvo de depredação.

A pedido do MPF, a vigilância sanitária local vistoriou o imóvel e constatou o descumprimento das normas de manutenção e conservação de bens públicos por parte da autarquia, sendo isto mais um fundamento para que o procurador da República Lucas Costa Almeida Dias tenha enviado recomendação ao INSS e à Secretaria de Patrimônio da União (SPU). A recomendação era para que removessem o lixo e detritos no entorno e no interior do galpão, bem como mantivessem o prédio devidamente fechado e demarcassem a área em que está situado o imóvel, além de realizar serviço de limpeza e roça de forma periódica no local, enquanto o imóvel estiver desocupado e não houver a transferência para a SPU, dentre outras determinações.

Diante da inércia dos órgãos públicos e do verdadeiro jogo de empurra-empurra entre INSS e SPU para a solução do caso, restou ao MPF ajuizar o caso em face do INSS, atual detentor do patrimônio.

O pedido da ação é para que, no prazo de 30 dias, o INSS remova o lixo e os detritos (acúmulo de telhas, tijolos, sobras de construções, excesso de plantas) no entorno e no interior do galpão, mantenha o prédio devidamente fechado, demarque a área em que está situado o imóvel e realize mensalmente serviço de limpeza e roça no local, enquanto o imóvel estiver desocupado e não houver a transferência para a SPU.

O processo tramita na com o número com o número 1007195-40.2021.4.01.3000 para na 3ª Vara Federal Cível e Criminal da JF, e a inicial da ação pode ser conferida clicando aqui.

Continue lendo

POLÍCIA

Tragédia na BR-317: motociclista morre após colisão frontal com caminhão

Publicado

em

Por

Um acidente com vítima fatal foi registrado na manhã desta sexta-feira, 17. O fato aconteceu no Ramal da Linha 1, no Caquetá, localizado no km 72 da BR-317, região de Boca do Acre, no Amazonas. De acordo com informações, a vítima identificada apenas por Clenilson trafegava numa motocicleta pelo ramal quando bateu de frente com um caminhão boiadeiro que trafegava em sentido contrário.

O motociclista ainda chegou a ser socorrido com vida, mas morreu no interior de uma ambulância quando chegou na rotatória do Batalhão de Policiamento de Trânsito em Rio Branco. A equipe da ambulância de suporte avançado do SAMU foi acionada e o médico Guilherme Nakamura constatou o óbito.

O corpo de Clenilson foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Rio Branco.

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Engenharia e Tecnologia