Connect with us

ACRE

Aeroportos do Acre não representam perigo para pousos e decolagens, com uma exceção, o de Porto Walter; acidente com cantora Marília Mendonça levantou esse debate

Publicado

em

Por Evandro Cordeiro

O Acre tem 11 aeroportos. Dois são internacionais, os de Rio Branco e Cruzeiro do Sul, e dos nove restantes um é particular e oito sob a responsabilidade do Governo do Estado, para operações de pequenas aeronaves. De todos, apenas um apresenta certo risco para pouso e decolagem, o do município de Porto Walter, em razão da existência de um morro em uma de suas cabeceiras. De modo geral, autoridades aeroportuárias e pilotos asseguram não haver riscos de acidentes por aqui como o que tirou a vida da cantora Marília Mendonça, no município de Caratinga, interior de Minas Gerais.

O assunto sobre a situação dos aeroportos do Acre passou a ser rebatido essa semana nas redes sociais em decorrência do trágico acidente que tirou a vida da emergente cantora Marília Mendonça, provisoriamente atribuído a colisão com a rede de alta tensão da Cemig, a companhia de energia mineira. Além de estar próxima do aeroporto, a fiação não tinha a advertência com uma bola laranja, procedimento usado no mundo todo. A reportagem do AcreNews ouviu Governo, prefeitos e pilotos, que descartam a possibilidade de um evento de igual natureza, a menos que haja junção de erros humanos cujo desfecho seja fatal.

No Acre, o aeroporto internacional de Rio Branco tem próximo de uma de suas cabeceiras a rede do linhão, que margeia a BR-364. Além de certa distância, nos fios tem a famosa bola laranja. Nenhum funcionário da empresa que cuida do aeroporto quis falar oficialmente. Um deles passou a bola para a Infraero, com a superintendência da qual não conseguimos nos comunicar neste sábado, 13. O colaborador da empresa comentou, no entanto, que todos os riscos foram avaliados e que a possibilidade de acidentes existe, mas muito remotamente. “Os pilotos tem uma rampa de descida que fica bem distante da fiação quando as aeronaves fazem a aproximação com a cabeceira”, explicou mais ou menos. Em Cruzeiro do Sul não há obstáculos.

Governador Gladson Cameli em uma das pistas do interior do Acre: ele investiu mais de R$ 19 milhões na revitalização

No interior do Acre, onde existem oito aeroportos em atividade, uma maioria é de absoluta tranquilidade para pousos e decolagens. O diretor presidente do Deracre, Petrônio Antunes, engenheiro responsável por suas manutenções, afirma não haver riscos para pilotos e passageiros, dadas as condições geográficas, pelo menos de maioria deles. Antunes só faz uma ressalva em relação a dois deles, o de Porto Walter, devido ao morro em uma de suas cabeceiras, e o de Marechal Thaumaturgo, cuja localização é dentro de uma ilha. “Com essas exceções, os demais todos são tranquilos, nada parecido com o aeroporto de Caratinga, onde uma fatalidade colocou fim a vida da nossa cantora Marília Mendonça”, declarou Petrônio.

Petrônio Antunes, do Deracre

AEROPORTOS REVITALIZADOS

Além da situação geográfica, os aeroportos do Acre cuja responsabilidade é do Governo, foram todos revitalizados pela gestão Gladson Cameli. Foram investidos até agora mais de R$ 19 milhões com melhoramento das pistas e dos terminais de embarques e desembarques. “Além do conforto, o governador Gladson Cameli também tem se preocupado com a questão da segurança dos passageiros”, disse o prefeito de Feijó, Kiefer Cavalcante, em sua fala de agradecimento pela recuperação do aeroporto de seu município.

EXPERIÊNCIA NO AR

O piloto Alisson Peres, que conduz aviões mono (MNTE), multi (MLTE) motores e por regras de voo por instrumento (IFR) tem cinco anos de experiência voando pelo interior do Acre. Ele afirma ao AcreNews que o perigo de pousar e descolar nas pistas dessas regiões mais distantes da capital ficaram para trás. “Essas pistas passaram muito tempo sem a devida manutenção, o que ocasionou deterioração excessiva da pavimentação trazendo risco a segurança de voo nas operações”, disse. Com a revitalização promovida pelo Governo, nunca foi tão seguro operar nesses aeroportos, segundo Peres. Como todos, o profissional lembra que a pista de Porto Walter é uma das poucas que exige atenção dobrada dos pilotos devido ao morro em uma das cabeceiras.

Fora isso, “Porto Walter, como sabe, recebeu uma excelente manutenção e está em ótima condição. As pistas do nosso estado estando bem conservadas, realizando as devidas manutenções de pavimento, sinalização e cercamento de seus perímetros para não haver incursões de pista por pessoas e animais, são seguras sim”, diz.

Alisson Peres, cinco anos de experiência como piloto pousando e decolando nas pistas do interior do Acre

Por fim em faz um lembrete: “Em Marechal Thaumaturgo e Porto Walter existem antenas na aproximação pela cidade que deve ter atenção, mas em dias com restrições de visibilidade, mau tempo”, respondeu.

AEROPORTOS DO EXÉRCITO

A reportagem não citou o aeroporto do município de Assis Brasil, na fronteira com Bolívia e Peru, que seria o décimo segundo do Estado, em razão de ele ser de responsabilidade do Exército e o AcreNews não ter conseguido contato com o comando do Batalhão de Fronteira. Além do mais, o diretor presidente do Deracre, Petrônio Antunes, disse que o Governo do Estado não tem nenhuma responsabilidade, inclusive de manutenção. Ele informou ainda que o aeroporto de Santa Rosa também está passando para a tutela do Exército, mas a transição ainda não terminou, razão pela qual ainda responde por ele.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ACRE

Homem que andava nu pelas ruas de Feijó vai para a internação, decide Justiça

Estar desnudo em via pública é crime de ato obsceno, conforme o artigo 233 do Código Penal

Publicado

em

Por

Foto: Ilustração (Reprodução)

O Juízo da Vara Única de Feijó atendeu ao pedido apresentado pela Defensoria Pública do Acre (DPE/AC) para proceder a internação compulsória de um homem em situação de rua, que apresenta um quadro crítico de transtorno mental.

Ele foi detido há cinco dias por estar correndo completamente nu pelas ruas de Feijó. A avaliação inicial descreveu sua ausência de percepção de tempo e lugar, bem como um comportamento agressivo, ameaçando os transeuntes, em razão dos surtos provados pela enfermidade.

A Lei n° 10.216/2001 dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais, redirecionando-as para o modelo assistencial. Cabe ao Estado o desenvolvimento da política de saúde mental, assistência e promoção de ações de saúde a esse público.

A juíza Ana Saboya explicou que a internação, em qualquer de suas modalidades, só é indicada quando os recursos extra-hospitalares se mostrarem insuficientes. O tratamento é uma alternativa para a reinserção social do paciente, garantindo seus direitos, a partir do acompanhamento com profissionais habilitados.

“Tendo em vista os documentos que instruem o feito, tem-se que o pedido de internação compulsória apresenta-se com provas de que outros recursos já foram utilizados, no qual o paciente não tem aceitado se submeter a medidas de intervenção médica e clínica voluntariamente, não havendo dúvidas de que tem colocado sua integridade física e de terceiros em risco”, concluiu a magistrada.

Portanto, a decisão estabeleceu a internação no Hospital de Saúde Mental do Estado do Acre (Hosmac), situado em Rio Branco e a medida foi cumprida nesta quinta-feira, dia 20, por isso ele já se encontra recebendo o apoio especializado.

De volta para casa

A Defensoria informou que o paciente nasceu no interior do Ceará, na cidade de Umari e não possui familiares em Feijó. Ele conta diferentes versões sobre o que o trouxe ao Acre. Assim, além da internação, foi requerido o seu encaminhamento para junto de sua mãe, pois a idosa não tem condições de buscá-lo.

A juíza Ana Saboya acolheu a solicitação. Ela salienta que essa é a melhor forma de entregar esperança para esse paciente. O processo encontra-se com o prazo de manifestação aberto para o Estado.

Créditos: [Ascom TJAC]

Continue lendo

ACRE

Rio Branco foi a capital mais fria do Brasil nesta quinta-feira

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Wanglézio Braga

Dados divulgados pelo pesquisador Davi Friale, do Tempo Aqui, revelam que Rio Branco foi a capital mais fria do Brasil nesta quinta-feira (20). Esta seria a segunda vez que a cidade teria a temperatura mais baixa entre as outras capitais, durante os primeiros 21 dias de 2022.

“Às 2h da tarde (horário mais quente do dia), a temperatura era de apenas 25ºC. Já, na cidade de Cruzeiro do Sul, no oeste acreano, a temperatura, às 10h da manhã, era de apenas 21ºC, e, às 2h da tarde, somente 23ºC”, comentou.

Friale também fez previsões meteorológicas para essa sexta-feira (21). Entre as cidades de Rio Branco, Brasileia e Sena Madureira, tempo instável, com muitas nuvens, temperatura amena e chuvas a qualquer hora, vai predominar. Os ventos sopram, entre fracos e calmos, de direções variáveis.

Na região de Cruzeiro do Sul e Tarauacá, tempo instável, com muitas nuvens, temperatura amena e chuvas a qualquer hora, vai predominar. Os ventos sopram, entre fracos e calmos, de direções variáveis.

Temperaturas:

– Rio Branco, Senador Guiomard, Bujari e Porto Acre, com mínimas oscilando entre 20 e 22ºC, e máximas, entre 24 e 26ºC;

– Brasileia, Epitaciolândia, Xapuri, Capixaba, Assis Brasil e Santa Rosa do Purus, com mínimas oscilando entre 19 e 21ºC, e máximas, entre 23 e 25ºC;

– Plácido de Castro e Acrelândia, com mínimas oscilando entre 20 e 22ºC, e máximas, entre 24 e 26ºC;

– Sena Madureira e Manuel Urbano, com mínimas oscilando entre 20 e 22ºC, e máximas, entre 24 e 26ºC;

– Tarauacá e Feijó, com mínimas oscilando entre 21 e 23ºC, e máximas, entre 24 e 26ºC;

– Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima e Rodrigues Alves, com mínimas oscilando entre 21 e 23ºC, e máximas, entre 24 e 26ºC;

– Marechal Thaumaturgo, Porto Walter e Jordão, com mínimas oscilando entre 21 e 23ºC, e máximas, entre 25 e 27ºC.

Continue lendo

ACRE

Governo confirma ao AcreNews que o ICMS do combustível vai continuar congelado no Acre

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

O Governo do Estado confirmou que o Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final (PMPF) dos combustíveis que serve como base de cálculo para efeito de tributação do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) vai permanecer congelado. Em contato realizado hoje (20) com a porta-voz, Mirla Miranda, nossa reportagem teve a informação de que o governador Gladson Cameli (PP) decidiu manter o congelamento, seguindo assim uma tendência entre os governadores.

O congelamento é uma alternativa encontrada para barrar o aumento do diesel e da gasolina. Ela foi tomada em meio à decisão de outros governadores brasileiros. Na última sexta-feira (14) em meio ao anúncio de um possível aumento, o presidente Jair Bolsonaro (PL) colocou na conta dos governadores a responsabilidade sobre o assunto, porém, pediu sensibilidade dos executivos.

Vale lembrar que a data limite do congelamento seria o dia 31 de janeiro (prazo de 90 dias, iniciado no ano passado), no entanto, após declaração polêmica do presidente muitos executivos decidiram e confirmaram a permanência do congelamento do tributo.

Ao continuar com o congelamento, Gladson Cameli vai de encontro com a posição de Bolsonaro.  O governo federal quer que o ICMS seja cobrado como um preço fixo por litro, como ocorre com os tributos federais. Atualmente, o ICMS é calculado como um percentual do preço final. Da região norte, já manifestaram favoráveis ao dispositivo, os governadores do Amazonas, Wilson Lima (PSC) e de Rondônia, Marcos Rocha (PSL).

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Engenharia e Tecnologia