Connect with us

EVANDRO CORDEIRO

COLUNA DO EVANDRO: Gladson diz que pandemia tira o brilho de qualquer comemoração, mas avalia seus 900 dias como bons e que daqui para a frente não irá tolerar erros de sua equipe

Publicado

em

O governador Gladson Cameli (Progressistas) tem rejeitado foguetório para comemorar seja lá o que for, ainda que seja seu bem avaliado governo, que está completando 900 dias nesse mês de junho. Acha que a pandemia não tem dado margem para nenhum tipo de farra. Segundo ele, são dois anos e meio de muitas vitórias e um maravilhoso aprendizado em todos os sentidos. Acredita que se preparou bem para enfrentar o que ainda falta para devolver aos acreanos um Estado bem melhor daquilo que herdou. E deu um aviso à sua equipe: não tolerará mais manimolência daqui para a frente. A ordem é fazer as coisas andarem – e ligeiro. Cameli também quer seu time falando a mesma língua e interagindo com os acreanos pelas redes sociais. “Meu governo tem que estar falando com as pessoas todo dia. A gente precisa ouvir gente. As redes sociais estão aí para isso”, disse à coluna.

Graças as bancadas

Ainda sobre os 900 dias de Governo, Gladson Cameli disse à coluna que é preciso reconhecer parcerias importantes, apoios necessários que vieram da Assembleia Legislativa e da bancada federal. “Nossos parlamentares foram muito importantes nesse processo todo. Agradeço a todos”, afirmou.

Futuro

Sobre o futuro, Gladson Cameli diz que este a Deus pertence, mas no que depender dele e da vontade das pessoas, ele disputa a reeleição. No entanto, essa parte política precisa ser bem construída, com parceiros antigos e novos. Cameli reconhece no senador Márcio Bittar (MDB) um gigante nessa construção. “Ele tem tido um papel importante, inclusive na construção desse futuro, além de um gigante em favor do Acre junto ao Governo Federal”, reconhece o governador.

Senado e vice

Ainda sobre as eleições de 2022, Cameli evita falar sobre uma raia que está congestionada, a dos pretendentes ao Senado. Repete o que tem dito, que será o candidato quem se viabilizar. Também evita conjecturar sobre seu futuro vice. “Isso tudo vai sendo construído aos poucos”, diz um Cameli bem mais polido politicamente, calejado pela dureza que é administrar um Estado, ainda mais pobre economicamente como é o Acre.

Obras

Gladson também se mostra ansioso com as obras grandes que vem por aí, mesmo já estando bem ocupado com muitas obras pequenas em andamento. “Sou ansioso, sim”, admite. Para ele, o anel viário de Brasileia, os viadutos e os ramais seriam feitos em um piscar de olhos. “Mas sei que é preciso obedecer às regras do tempo e das estações”, afirmou à coluna, antes de embarcar para Brasília, de onde acredita que trará ótimas notícias na próxima quinta-feira.

Choveu convite

Foi só a secretária de Educação do Estado, Socorro Neri, anunciar que vai deixar o PSB para chover convites. De MDB a PSL, não tem faltado emissários na sede da secretaria, na ladeira do Bola Preta.

Convite do MDB

Um dos últimos convites que a professora Socorro Neri recebeu, nesta segunda-feira, 21, foi do jurássico dirigente do MDB José Eugênio de Leão Braga, o Macapá. “Seja bem-vinda ao glorioso”, disse o Macapá.

Relação refeita

O deputado estadual Neném Almeida (sem partido) está refazendo sua relação com o Palácio Rio Branco. Como representante dos bancários, ele acredita que não vale a pena ficar distante de um Governo que tem se esforçado para assegurar direitos de categorias, embora a dele não dependa do Estado.

Greves desfeitas

Durante esses 900 dias de Governo Gladson Cameli não prosperaram as greves. E estas não foram desfeitas com violência, mas com diálogo. E o próprio governador vai no meio da multidão negociar.

Com evangélicos

Jorge Viana vai investir no campo evangélico para catapultar sua candidatura ao Senado ou até mesmo ao governo. Quer entrar numa seara onde o PT não tem penetração pelas bandeiras antagônicas que defende em relação aos cristãos. O pastor Henry Nogueira será um dos elos dessa pretensa ligação.

Caminho da prefeitura

Os Sales do Juruá, sob o comando do “leão” Vagner, estão decidindo seu futuro medindo um caminho de volta à prefeitura de Cruzeiro do Sul. Por onde for mais perto é que eles devem andar.

Defesa do irmão

De volta à equipe do governador Gladson Cameli, o ex-chefe da Casa Civil da prefeitura de Rio Branco, Artur Neto, fez uma defesa de seu irmão, o vice-prefeito de Cruzeiro do Sul, Henrique Afonso, quando alguém disse que ele deve deixar o PSD para disputar as eleições em 2022. “Acho improvável. Meu irmão é muito leal ao grupo político no qual está”, diz.

Ninguém desmentiu

O meu colega Luis Carlos Moreira Jorge, nosso guru das colunas políticas, também anunciou o professor Minoru Kinpara como um nome “palatável” para o Senado no grupo do senador Sérgio Petecão (PSD). Ninguém teve coragem de desmentir a notícia. Porque é notícia.

Animado com o PSL

Bem votado em Epitaciolândia na disputa pela prefeitura, o empresário Everton Soares gostou da nova situação de seu partido, o PSL. Elogiou o presidente Pedro Valério, inclusive.

Jogo das estrelas

Sábado que vem, dia 26, o time das estrelas, formado por ex-craques como Amaral e Juntos Baiano, encabeçado pelo bonitão Marcelo Bimbi, vai jogar em Epitaciolândia, no estádio Antônio Araújo Lopes, a partir das 18h. Os benefícios levantados serão doados a famílias carentes arruinadas ainda mais pela pandemia.

Correria

Nos bastidores tem uma correria frenética de políticos com mandato para encontrar o partido certo. É que sem as coligações, muitas siglas não vão eleger ninguém, como acontecia na eleição para vereador.

Sem enrolacion

Ninguém vai enganar o governador Gladson Cameli fingindo que vai apoiar ele em 2022. Uma “limpeza” está sendo realizada para ficar só a galera leal. Foi o que ouvi ontem.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EVANDRO CORDEIRO

COLUNA DO EVANDRO | ‘O que não iremos é ser empecilho’, diz Jéssica Sales sobre reunião entre pretendentes ao Senado

Publicado

em

A deputada federal Jéssica Sales (MDB), uma das que puxou a reunião entre ela, a senadora Mailza Gomes (Progressistas) e o deputado federal Alan Rick (DEM), para uma tratativa cavalheira sobre como será definido o candidato a Senador do governador Gladson Cameli (Progressistas), acredita que o resultado do encontro será coisa boa. “O que não iremos é ser empecilhos”, afirmou, em relação a reeleição de Cameli.

Melhor na pesquisa

Jéssica Sales informou a coluna, ainda, que durante encontro entre os três “ficou claro que, o melhor na pesquisa será uma opção para o governador”. E que aceita que o “Deus escolher” para ela.

Aprendendo ainda

Na verdade, essa ambição saudável por uma cadeira no Senado entre os aliados do governador Gladson Cameli pode se transformar, a partir de um acordão, numa grande força para a reeleição dele e o fortalecimento de um grupo ainda inexperiente no poder. Basta lembrar que todos estavam há 20 anos assistindo o PT governar, com seu estilo interno antidemocrático, onde as coisas eram resolvidas no grito e a nanicada da aba do chapéu dos Viana se calava.

A indignação que precisa viralizar

O polícia penal Adriano Marques, que também é sindicalista e bacharel em Direito, expôs sua indignação em relação a frouxidão da lei penal. Disse ele:

“Chegamos ao ponto em que vemos nas ruas policiais fazendo manifestações públicas pedindo mudança nas leis. Ocorre o seguinte: antes, as polícias prendiam as pessoas e elas permaneciam presas. Hoje, o indivíduo comete um crime, vai preso e o delegado ou juiz é obrigado a liberar o suposto criminoso, porque assim a lei determina. Está aí a origem da sensação de impunidade. Temos altos índices de crimes com envolvimento de menores de idade. Eles são apreendidos, levados para a delegacia e ainda saem rindo da polícia. O que antes eles tinham coragem de dizer somente ao policial na rua, passaram a dizer ao delegado e agora já falam até para os juízes e promotores”.

Baluarte da imprensa

Zezinho Moraes é um desses baluartes da imprensa no interior do Acre. Ele trabalha no Alto Acre com suas emissoras de rádio as quais sempre colocou à disposição da então oposição a esquerda na época dos governos petistas. Ele me disse que esse posicionamento é puramente ideológico. “Sempre fui anti-esquerda”, garante.

Do conservador Valdir Perazzo

“Conversei com o jovem empresário do agronegócio Rodrigo Pires, que vem exercendo importante liderança como liberal conservador na sociedade acreana.

Rodrigo Pires se surpreende pelo fato do Estado do Acre não ter um único veículo de comunicação em que os conservadores se sintam representados.

Concordei com ele!

Já está na hora do Estado do Acre – com imensa vocação para o Agronegócio – aí se exercite uma contraditória no debate político, criando-se e viabilizando-se pluralidade de ideias políticas.

Impõe-se a necessidade de um veículo de comunicação que dê voz aos conservadores”.

Nota da coluna

A não ser que Valdir Perazzo e Rodrigo Pires tenham intenção de ver uma imprensa radical. Se não, bem-vindos ao Acrenews, cujo espaço aos conservadores não é aberto, é escancarado. As atitudes editoriais revelam quem somos.

PSL e DEM, Marcia e Alan

Perguntei ao Pedro Valério, presidente do PSL, o seguinte: Na fusão de PSL com DEM, como ficará isso no Acre, uma vez que o PSL tende a apoiar a candidatura da Márcia Bittar ao Senado, e o DEM tem o Alan Rick, que também pleiteia o Senado? Ele, na lata: “Deixa acontecer a fusão que a gente resolve. Agora estou trabalhando na formação da chapa”.

Novo Sanderson Moura

Como mudou muito seu estilo em 15 anos, deixando para trás seu estereótipo de sindicalista bravo, quando disputou o Sinteac, quando era do DCE na Ufac, se tornando em um apologeta de grandes oradores, como Cícero, reeditando por aqui a escola ateniense, e seguindo Osho, o advogado Sanderson Moura tem garantido que vai disputar o Senado. Só não se sabe se vai conseguir sob esse novo formato, bem mais zem. Quando era das ruas chegou a ser convidado para se submeter às urnas. Bora vê.

Chamando pra porrada

Quem anda pelas ruas de Rio Branco pedindo votos para Senador é o investigador mais famoso do Acre, o bacharel em Direito Leandro Costa. Brabinho, ele anda chamando Jorge Viana para um duelo. “Vou dar uma surra de votos nesse menino da floresta”, promete o abelhudo.

Os contras

Só a esquerda mais radical é contra a fala do senador Márcio Bittar (MDB) em reação aos artistas que ficam em luxuosos apartamentos em Copacabana dando pitaco sobre o que deve ou não ser feito aqui no Acre, em relação ao meio ambiente. Tô com Márcio. Assim como a esquerda local, esses agourentos não se importam com a melhoria de vida do homem do campo e o da cidade também, repetindo essa retórica falida.

Ainda sem rumo

As principais lideranças evangélicas do Acre ainda não definiram, de uma vez por todas, como vão se comportar nas eleições de 2022. Só decidiram que com a esquerda não caminham.

Seguidores empolgados

Se o próprio deputado Jenilson Leite (PSB) tem consciência de quão difícil seria uma eleição dele para governador, o mesmo não pode se dizer de seguidores seus nas redes sociais. É só alguém abrir uma pesquisa no Facebook que ele vence em todas contra Gladson, Petecão e até Jorge Viana.

A realidade é outra

Quando chega a campanha, hora de a onça beber água, aí é para quem tem topete, por exemplo, encarar uma candidatura a reeleição como a do Gladson, cuja gestão é aprovada pela população.

Bolsonaro

Um dono de instituto de pesquisa do Acre me disse essa semana que tantas pesquisas faça aqui no Acre, só dá Bolsonaro presidente. E me explicou: “É porque aqui não tem grandes interesses contra Bolsonaro, como tem lá no ‘Brasil’. Mas, na real, as pesquisas lá são iguais a daqui. Bolsonaro vai se reeleger folgado”.

Continue lendo

EVANDRO CORDEIRO

COLUNA DO EVANDRO | Gladson não convidou ninguém para disputar o Senado, mas também não pediu a ninguém que desista

Publicado

em

Não é verdade que o governador Gladson Cameli tenha convidado alguém para disputar o Senado. Ele também não pediu a ninguém para desistir. Nem vai pedir. A deputada federal Vanda Milani (PROS) é prova. Ela conta que ele é assim: trata todo mundo bem, chama todos os postulantes de meu senador, mas tem avisado nos bastidores que os interessados devem se viabilizar para lá na frente essa questão ser resolvida. “É o que eu estou fazendo. Tô andando, trabalhando”, diz ela. E está mesmo.

Saída do SD

A deputada Vanda Milani também contou como se deu sua saída do SOLIDARIEDADE. E foi simples. O partido tende a apoiar Lula para presidente. Ela é Bolsonaro. “Só restou sair”, disse à coluna.

Não fica fora

Carlos Gomes, aquele professor que ficou em terceiro lugar na disputa pela prefeitura de Rio Branco em 2016, estará nas eleições de 2022. Ele afirma não saber se como candidato. O mais provável é que seja nos bastidores. Mas ficar fora, nunca! Segundo garantiu.

Nada acertado

A participação do prefeito Mazinho Serafim (MDB) no evento do governador Gladson Cameli com prefeitos nesta terça-feira, 14, se deu pelo mais absoluto sentimento de respeito pela população. O Gladson não olha para a figura do adversário político na hora de ajudar os municípios. Mas é bom que fique claro: não existe nenhum acerto político entre eles.

Greta Torloni

Ninguém melhor que o senador Márcio Bittar (MDB) para responder a atriz global Christiane Torloni, que anda, de seu apartaento, de frente para o mar, no Rio de Janeiro, dando pitaco sobre a construção de uma estrada para ligar o Brasil ao Peru pelo Juruá. É o tipo de ambientalista que age só para agradar um certo público. Quem sabe o que é certo por aqui e quem está lá no campo. “Essa turma insiste numa narrativa cujo resultado é nos deixar pobre a vida inteira”, disse Bittar.

Bobagem

Não adianta deputado federal e senador chegar por aqui pelo Acre mostrando que foi apontado como o melhor político em Brasília, segundo não sei quem. Gente, hoje todo mundo tem informação 24h à disposição.

Vereadora da Baixada

Ex-vereadora, a Graça da Baixada deixou a secretaria de Agricultura da prefeitura de Rio Branco, onde era diretora de ramais desde o início da gestão Bocalom. Está decidindo se disputa as eleições em 2022.

Com o PT

Candidato a governador, que chova ou faça sol, o senador Sérgio Petecão (PSD) deixou claro nesta terça-feira, 14: não terá problema nenhum em estar junto com o ex-senador Jorge Viana (PT) de alguma forma nas eleições de 2022.

Decidido

Sobre o PT, a rigor, está cada vez mais claro que Jorge Viana deverá disputar o Governo. Só há uma razão para ele recuar, o fato de ter disputado eleições atrás de eleições sem meter a mão no bolso e dessa vez, se quiser, ele terá que mexer na conta pessoal.

Indeciso ainda

Ex-vereador, Rodrigo Pinto está ameaçando desembarcar no Acre a qualquer momento, com objetivo de estar na disputa eleitoral do ano que vem. Só não decidiu ainda o que vai disputar. Ele mora em Dubai, onde foi adquirir maturidade.

Jéssica do Alto Acre

Jéssica Sales, a boa deputada federal do MDB, está para afundar as estradas do Alto Acre. Toma café em Capixaba, almoça em Xapuri, e dorme em Brasileia. Quer deixar de ser a parlamentar do Juruá apenas.

Segredo

Não há quem consiga arrancar um nome que seja da chapa do SOLIDARIEDADE, montada pelo presidente Moisés Diniz. Ele só adianta o seguinte: além de não ter ninguém com mandato, a chapa é equilibrada. Todo mundo da mesma altura, diz o Cacique.

Espertos

Os pré-candidatos às eleições de 2022 que têm dinheiro, não estão pagando nem um quibe para o eleitor. Sabem que a forma certa é guardar a grana para a última semana de campanha.

Reação da economia

Professor de economia Alex Barros, nosso consultor financeiro mais famoso, está otimista com a reposta do Brasil e do Acre no pós-pandemia.

Vídeos do AcreNews

Vem aí uma programação inédita de vídeo do site AcreNews. Parecia celebrada com um grupo de jovens artistas que é testosterona braba. Vai ser show.

Continue lendo

EVANDRO CORDEIRO

COLUNA DO EVANDRO | ‘A decepção deve ter sido monumental’, diz Márcia Bittar sobre o day after dos opositores de Bolsonaro com o recuo do presidente

Publicado

em

A professora Márcia Bittar, candidata a senadora do Bolsonaro no Acre, disse à coluna não saber bem como medir o tamanho da decepção dos opositores do presidente com o inteligente recuo dele, feito em favor do Brasil, após as pacíficas manifestações do dia 7. “Deve ter sido oceânica e monumental a decepção daqueles que não querem o bem do país, que querem apostar no quanto pior melhor e na briga entre os poderes, onde quem perde é o povo e a economia do Brasil”, ponderou.

Pesquisa fajuta

Márcia Bittar também relembra que os opositores do presidente não se cansam de passar vergonha divulgando pesquisas mentirosas. “Na última eleição pesquisas fraudulentas posicionaram Bolsonaro em sexto lugar, abaixo até de Marina Silva. A resposta acachapante veio das urnas. Eu que não quero incentivar ou ativar movimentos contra o STF, mas passa da hora desses órgãos de pesquisa serem duramente penalizadas por tamanho acinte a democracias e regras eleitorais”, sugeriu.

Institutos do Acre

Quando crítica pesquisas, Márcia Bittar, que ainda não sabe por qual partido disputará o Senado, só sabe que será no mesmo de Bolsonaro, ela defende os institutos do Acre. Por aqui não tem havido erros mais recentemente, de fato.

Gladson a favor

O governador Gladson Cameli (Progressistas) também tem elogiado a postura do presidente Bolsonaro. É mais inteligente, segundo o governador. O confronto só atrasa a economia.

Vão sentir na pele

Com as regras da disputa eleitoral mantidas, sem coligações, os deputados vão sentir na pele aquilo que quem disputou para vereador, em 2020, sentiu. É difícil montar chapas, é pior ainda saber que o dinheiro do Fundão continua sendo dos candidatos tradicionais, das famílias poderosas, como já era com o dinheiro dos partidos.

Não crescem

Segundo números mais recentes, nem Jorge Viana (PT), nem Petecão (PSD), crescem pra cima do governador Gladson Cameli. Bom ressaltar, todavia, que falta um ano e pouco para a eleição e o cenário pode mudar.

Alta rejeição

A rejeição do PT no Acre ainda está acima da média no Brasil. E chegar a essa conclusão não é preciso pesquisa científica. É só sentar numa roda onde se fala em política.

Mais uma pedreira

O prefeito Tião Bocalom deverá enfrentar uma CPI, a do transporte público. Se sair ileso de mais essa, o prefeito precisa ser deixado em paz para trabalhar. Mudar o jeito dele ninguém vai mudar.

Grupo de amigos

Bocalom tem um grupo fechado ao seu redor formado por amigos de 40 anos. As decisões desse grupo é que valem. E eles não costumam ser muito políticos não.

Destaques no governo

O time do governador Gladson Cameli tem melhorado muito a cada mexida que ele faz. Por exemplo: no Iapen, Arlenilson Cunha serenou. O sistema penitenciário melhorou significativamente. Na Seinfra o Cirleudo Alencar surpreende a cada semana.

Só trabalho

Prefeito Mazinho Serafim (MDB), de Sena Madureira, calou a boca e se danou a trabalhar. Já não sabe mais nem se deixa o MDB, como tava decidido há dois meses.

Problemão

A rigor, o MDB de Mazinho Serafim tem uma questão grande para gerenciar, em função das muitas tendências internas. Uma parte se sente contemplada no Governo, outra não. Uma defende Flaviano Melo como vice, outra Jéssica Sales como senadora. Está difícil de fechar questão, pelo visto.

Chapas boas

Partidos pelos quais será melhor disputar as eleições em 2022, por não ter político com mandato e já terem chapas boas a essa altura: Republicano, PSL, PTB, PROS e SOLIDARIEDADE.

Oposição sem força

Opositores do presidente Bolsonaro passaram dias e dias convocando a população para um ato neste domingo contra o Governo. Em Rio Branco, por exemplo, cerca de 20 pessoas foram às ruas protestar. No Brasil todo foi um fiasco só.

Hassem x Hassem

Os Hassem de Brasileia e Epitaciolândia vão para as eleições de 2022 com dois deles na disputa para estadual. Tadeu, irmão da prefeita de Brasileia, Fernanda, e André, ex-prefeito de Epitaciolândia, hoje diretor-presidente do Imac. Vai ser um confronto épico.

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Engenharia e Tecnologia