Connect with us

ACRE

Comandante Baptista, acreano que se aposentou pilotando Boeing na Latam, ganha título de Dr. Honoris Causa em Brasília

Publicado

em

O xapuriense José Sebastião Baptista da Silva, o comandante Baptista, ganhou título de Dr. Honoris Causa da Uniscecap, umas das maiores faculdades privadas do Brasil, na última sexta-feira, 5, em evento ocorrido no Parlamundi, centro de conferências da LBV em Brasília. Primeiro acreano a comandar um Boeing e trabalhar nas principais companhias aéreas do Brasil, Baptista recebeu a honraria juntamente com um amigo particular dele, o jornalista Alexandre Garcia.

O título de Dr. Honoris coroa uma história que começou em Rio Branco no início dos anos 1970 para um jovem nascido nos seringais de Xapuri e que acabara de chegar à capital em busca de sonhos. Comandante Baptista passou pelos Correios, foi para o Exército, chegou a sargento, mas largou tudo para fazer curso de pilotagem em Brasília. De aviões pequenos ele terminou por pilotar Boeing das maiores companhias do País. Chegou a trabalhar em uma empresa chinesa, mas concluiu sua carreira em agosto passado, quando se aposentou, comandando aeronaves da LATAM.

Após a aposentadoria, comandante Baptista ficou ainda com uma ocupação que também lhe confere muito orgulho. É professor de uma faculdade em Brasília, a Unicesp, onde ficará por tempo indeterminado, segundo disse ao AcreNews.

Na última sexta-feira, em evento concorrido, virou Dr. Honoris de uma das maiores faculdades do País, ligada a uma universidade americana. Melhor ainda, segundo ele, foi ganhar o título ao lado de um de seus melhores amigos em Brasília, o jornalista Alexandre Garcia, que trabalhou muitos anos na Rede Globo e no momento em negociação com a TV Jovem Pan. O título, comandante Baptista, como sempre faz, dedica, também, aos amigos de sua terra natal, o Acre, para onde sempre vem durante as férias.

O que é o título de Dr. Honoris Causa

Honoris causa é uma expressão em latim e usada atualmente como um título honorífico, que significa literalmente “por causa de honra”.

Normalmente, honoris causa é utilizada quando uma universidade de prestígio deseja conceder um título de honra para uma personalidade de grande destaque ou importância por seu trabalho.

Esse título é dado para uma pessoa mesmo que ela não tenha um curso universitário, mas, no entanto, tenha se destacado ou exercido grande influência em determinadas áreas, como nas artes, na literatura, na política ou promovendo a paz.

Outros aspectos que são considerados essenciais para que determinado indivíduo receba o título de honoris causa estão relacionados com a preocupação com problemas humanos, tais como a pobreza, a fome e etc.

O indivíduo recebe esse título por suas virtudes, por seus méritos ou atitudes, a pessoa homenageada irá receber o mesmo tratamento e desfrutar dos mesmos privilégios como se tivesse feito um doutorado acadêmico convencional.

Caso a pessoa homenageada queira no futuro usar este título à frente de seu nome, poderá utilizar abreviando. Por exemplo: Dr. h.c. Fulano de tal.

O prestígio da universidade que atribui o Doutoramento Honoris Causa para uma personalidade, geralmente de âmbito internacional, fica bastante enriquecido, porque a partir daquele momento esta pessoa fará parte do corpo de doutores daquela universidade.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

ACRE

Após repercussão, DNIT contesta problema na estrutura da ponte do Abunã

Publicado

em

Por

Um vídeo publicado por um motorista que passava na Ponte do Rio Madeira em Abunã Rondônia acabou gerando polêmica. Na imagem, o homem registra alguns pontos de interdição sobre a estrutura que teve parte da pista fechada para um reparo momentâneo. “No pé da ponte, indo para Porto Velho, pararam a gente. A ponte começou a dar problema”, relatou.

Mas o superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) em Rondônia, responsável pela estrutura, André Santos, tratou de explicar, que “a interdição não ocorreu por um problema grave como o motorista disse no vídeo. A situação estaria atrelada ao desregulamento de um graute, e que não seria nada grave, algo que ocorre na junta de dilatação”, explicou.

O graute, segundo informações é um tipo de concreto que serve para preencher um espaço vazio de (blocos e/ou canaletas).

Ainda segundo informações, o reparo começou na quarta-feira (26) e vem ocorrendo pela empresa Arteleste, responsável pela construção do empreendimento que foi inaugurado, em 07 de maio de 2021.

Além disso, o prazo para que o material se restabeleça era de 24 horas a contar pela data do ocorrido. Com relação ao vídeo, o titular da pasta classificou, de “sensacionalista e que serviços de reparo serão feitos sempre que a estrutura necessitar”.

[Emerson Barbosa, News Rondônia]

Continue lendo

ACRE

Em 2021 o Banco Central registrou apenas 60 notas falsas no Acre: no Brasil foram mais de 227 mil

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

Relatório divulgado pelo Banco Central revelou que no ano de 2021, no Brasil, circularam 227.136 cédulas falsas de dinheiro. São Paulo foi o estado que mais apresentou número de notas. O Acre ficou na lanterna com apenas 60 notas. Apesar da quantidade identificada ser muito grande, o número foi 30% menor em comparação com 2020.

Entre as notas mais falsificadas, a cédula de R$ 100 reais contabilizou 89.917 em todo o país. Chama a atenção também a quantidade de notas de R$ 200 que foram fraudadas. Nas contas do BC, a cédula, lançada em setembro de 2020, ganhou 43.200 cópias ilegais.

O campeão, São Paulo, registrou 87.481 notas falsas, sendo um total em porcentagem de 37,48%. De curioso há, inclusive, 3 notas de R$ 10 de plástico que começaram a sair de circulação ainda em 2006 e também 8 únicas notas falsas de R$ 1 identificadas em 2021 que deixaram de ser fabricadas em 2006.

Garimpando ainda os dados do Acre, das 60 cédulas falsificadas, 1 era de R$ 10 reais, 7 de R$ 20 reais, 14 de R$ 50 reais e 36 de R$ 100 reais.

Continue lendo

ACRE

Onze cidades do Acre que ainda não têm TV Digital são convidadas para integrar o “Digitaliza Brasil”

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

Onze cidades do Acre poderão se candidatar a receber a instalação completa da infraestrutura do sinal digital de TV. Uma portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU) do Ministério das Comunicações (MCom) possibilitou a convocação, via edital, do programa “Digitaliza Brasil” que estará disponível até 25 de fevereiro. “O objetivo é levar a instalação de retransmissores às cidades que ainda não dispõem da tecnologia”, enaltece a Abert que exaltou a ação do MCom.

Foram citadas na portaria as cidades de Acrelândia, Assis Brasil, Brasiléia, Capixaba, Manoel Urbano, Marechal Thaumaturgo, Plácido de Castro, Porto Acre, Porto Walter, Rodrigues Alves e Xapuri.

O programa possibilita distribuir kits de conversão do sinal analógico para o digital às famílias de baixa renda, integrantes do Cadastro Único, como, por exemplo, beneficiários do Programa Bolsa Família.

As retransmissoras ficarão sob a responsabilidade da prefeitura ou de instância indicada pelo poder público. “Os recursos aplicados na iniciativa são remanescentes da limpeza da faixa de 700 MHz, conforme projeto elaborado pelas emissoras de TV e aprovado pela Anatel”, acrescenta.

Ao preencher o termo de adesão, “as prefeituras devem se comprometer a fornecer um local para a instalação da infraestrutura compartilhada, e se responsabilizar pela segurança, operação e manutenção da infraestrutura após a implantação”.

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas