Connect with us

EVANDRO CORDEIRO

Grupo que derrotou PT em 2018 estará junto em 22, com raras exceções

Publicado

em

O governador Gladson Cameli (Progressistas) vai estar cercado, em 2022, pelo grupo com o qual se elegeu em 2018. Esse é o objetivo dele e o novo chefe da Secretaria de Governo, Alysson Bestene, não terá tarefa mais importante do que fazer um trabalho nesse sentido. Tem alguns nomes improváveis. O próprio governador desistiu desses nomes, mas a grande maioria estará reunida. O que não dá é para devolver o Acre para as mãos do PT, o que seria fatal diante de um racha do grupo.

Sobrou para a prefeita

O crescimento político da prefeita de Brasileia, Fernanda Hassem (PT), espécie de liderança emergente do Alto Acre, está gerando um preço para ela pagar. Nos últimos dias ele tem levado porrada de todo lado. Até o arremate do PROS, partido que agora está nas mãos da família Milani, sobrou para a Fernanda, apenas por ela estar em um relacionamento afetivo com o novo presidente, Israel Milani.

Ligação forte

O PROS tinha raízes fortes em Brasileia e Epitaciolândia, onde reside a família e muitos apoiadores da deputada Maria Antônia, cujo marido, Déda Amorim, era o presidente.

Só os documentos

Déda Amorim já se desfiliou do PROS e levou consigo quase todos os filiados, entregando só os documentos para os Milani, que também não acharam ruim.

Destino é o Podemos

O grupo que estava no PROS, encabeçado pelo ex-prefeito de Rodrigues Alves, Déda Amorim, e sua mulher, Maria Antônia, vai desembarcar no Podemos, cujo presidente novo é o ex-deputado Ney Amorim.

Acre agrícola

Conheci esta manhã em Epitaciolândia o representante, no Acre, da Case, uma das maiores fabricantes de máquinas do mundo, o Valmir Winck. Ele me contou algo que ninguém publicou ainda, talvez nem o governo tenha percebido: a produção de soja no Acre, por hectare, é o dobro daquilo que é produzido, por exemplo, no Sudeste. Ou seja: o Acre pode explodir como produtor dentro de pouco tempo.

Colheitadeiras

Essa é para o secretário de Agricultura, Nenê Junqueira: segundo o Valmir Winck, da Case, o Brasil acaba de adquirir 20 colheitadeiras de soja das mais modernas da atualidade. São automatizadas. Das 20, quatro vieram para o Acre.

De olho no Acre

A inauguração da ponte sobre o rio Madeira, segundo o homem da Case, deu uma ouriçada no povo que investe em agricultura, com queda para soja e milho. Principalmente porque o solo daqui, está comprovado, produz em dobro.

Apoio dos prefeitos

Caso a prefeita de Brasileia, Fernanda Hassem (PT), dispute as eleições, em 2022, ela terá em seu palanque os dois prefeitos do PT de sua região, o Jerry Correia, de Assis Brasil, e o Bira Vasconcelos, de Xapuri.

O poder atrai

Concordo com o que meu colega Astério Moreira escreveu esses dias em relação aos adversários do governador Gladson Cameli em 2022. Quando eles cuidarem que não, estarão sozinhos no máximo até março, abril do ano que vem.

CPI sem futuro

Conversei com um dos deputados que retirou a assinatura da CPI da Educação. Ele justifica o seguinte: CPI só faz barulho e só serve de palanque para a oposição.

Sem política

Se não quer político se metendo na educação, o governador Gladson acertou em cheio ao colocar na pasta a professora Socorro Neri. Quando é para ser técnica, ela sabe ser.

Vereador na rua

A tática do prefeito Tião Bocalom (Progressistas), de não ter relação política com vereador, serviu para uma coisa: colocar os parlamentares para ir pra rua. Só se vê vereador fazendo Live, se comunicando com seu eleitorado.

Luta pela BR

Como deputado estadual, Luiz Gonzaga (PSDB) tem lutado mais que muitos federais em prol da recuperação da BR-364. Foi, não foi, ele tá em Brasília, tratando desse assunto.

Renan e a esquerda

Comentário mais repetido nas últimas 24h: a atuação do senador Renan Calheiros (MDB) na CPI da Covid. É que ele, veja bem, o Renan, virou a tábua de salvação da esquerda brasileira.

Enterro de CPI é com eles

O senador Márcio Bittar disse que é improvável, no Acre, ouvir deputado de oposição ao Gladson criticar o fim da CPI da Educação. Era o que mais sabiam fazer quando estavam no poder.

Honestos

Tem uns prefeitos ai da nova safra que aparecem uns capelões, roncando honestidade. Aqui na minha prefeitura…aqui.. Só ronco. Na safra passada foram os que mais caíram.

Governo fora da briga

Dois grupos travam uma luta pelo Sindicato da Educação. Um alega não ter ligação política com ninguém, puxado pela Rosana Nascimento; o outro, em cuja cabeça está o professor Manoel Lima, com toda a esquerda ao seu redor. Conselho de um sindicalista feito via coluna: “O Gladson não pode ficar fora dessa briga”.

A César o que é dele

Qualquer avanço no Brasil e no Acre em relação aos médicos formados no exterior, os méritos são do deputado Alan Rick (DEM). Ele quase esqueceu outras pautas, tão centrado nesta que sempre foi.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EVANDRO CORDEIRO

COLUNA DO EVANDRO | Gladson não convidou ninguém para disputar o Senado, mas também não pediu a ninguém que desista

Publicado

em

Não é verdade que o governador Gladson Cameli tenha convidado alguém para disputar o Senado. Ele também não pediu a ninguém para desistir. Nem vai pedir. A deputada federal Vanda Milani (PROS) é prova. Ela conta que ele é assim: trata todo mundo bem, chama todos os postulantes de meu senador, mas tem avisado nos bastidores que os interessados devem se viabilizar para lá na frente essa questão ser resolvida. “É o que eu estou fazendo. Tô andando, trabalhando”, diz ela. E está mesmo.

Saída do SD

A deputada Vanda Milani também contou como se deu sua saída do SOLIDARIEDADE. E foi simples. O partido tende a apoiar Lula para presidente. Ela é Bolsonaro. “Só restou sair”, disse à coluna.

Não fica fora

Carlos Gomes, aquele professor que ficou em terceiro lugar na disputa pela prefeitura de Rio Branco em 2016, estará nas eleições de 2022. Ele afirma não saber se como candidato. O mais provável é que seja nos bastidores. Mas ficar fora, nunca! Segundo garantiu.

Nada acertado

A participação do prefeito Mazinho Serafim (MDB) no evento do governador Gladson Cameli com prefeitos nesta terça-feira, 14, se deu pelo mais absoluto sentimento de respeito pela população. O Gladson não olha para a figura do adversário político na hora de ajudar os municípios. Mas é bom que fique claro: não existe nenhum acerto político entre eles.

Greta Torloni

Ninguém melhor que o senador Márcio Bittar (MDB) para responder a atriz global Christiane Torloni, que anda, de seu apartaento, de frente para o mar, no Rio de Janeiro, dando pitaco sobre a construção de uma estrada para ligar o Brasil ao Peru pelo Juruá. É o tipo de ambientalista que age só para agradar um certo público. Quem sabe o que é certo por aqui e quem está lá no campo. “Essa turma insiste numa narrativa cujo resultado é nos deixar pobre a vida inteira”, disse Bittar.

Bobagem

Não adianta deputado federal e senador chegar por aqui pelo Acre mostrando que foi apontado como o melhor político em Brasília, segundo não sei quem. Gente, hoje todo mundo tem informação 24h à disposição.

Vereadora da Baixada

Ex-vereadora, a Graça da Baixada deixou a secretaria de Agricultura da prefeitura de Rio Branco, onde era diretora de ramais desde o início da gestão Bocalom. Está decidindo se disputa as eleições em 2022.

Com o PT

Candidato a governador, que chova ou faça sol, o senador Sérgio Petecão (PSD) deixou claro nesta terça-feira, 14: não terá problema nenhum em estar junto com o ex-senador Jorge Viana (PT) de alguma forma nas eleições de 2022.

Decidido

Sobre o PT, a rigor, está cada vez mais claro que Jorge Viana deverá disputar o Governo. Só há uma razão para ele recuar, o fato de ter disputado eleições atrás de eleições sem meter a mão no bolso e dessa vez, se quiser, ele terá que mexer na conta pessoal.

Indeciso ainda

Ex-vereador, Rodrigo Pinto está ameaçando desembarcar no Acre a qualquer momento, com objetivo de estar na disputa eleitoral do ano que vem. Só não decidiu ainda o que vai disputar. Ele mora em Dubai, onde foi adquirir maturidade.

Jéssica do Alto Acre

Jéssica Sales, a boa deputada federal do MDB, está para afundar as estradas do Alto Acre. Toma café em Capixaba, almoça em Xapuri, e dorme em Brasileia. Quer deixar de ser a parlamentar do Juruá apenas.

Segredo

Não há quem consiga arrancar um nome que seja da chapa do SOLIDARIEDADE, montada pelo presidente Moisés Diniz. Ele só adianta o seguinte: além de não ter ninguém com mandato, a chapa é equilibrada. Todo mundo da mesma altura, diz o Cacique.

Espertos

Os pré-candidatos às eleições de 2022 que têm dinheiro, não estão pagando nem um quibe para o eleitor. Sabem que a forma certa é guardar a grana para a última semana de campanha.

Reação da economia

Professor de economia Alex Barros, nosso consultor financeiro mais famoso, está otimista com a reposta do Brasil e do Acre no pós-pandemia.

Vídeos do AcreNews

Vem aí uma programação inédita de vídeo do site AcreNews. Parecia celebrada com um grupo de jovens artistas que é testosterona braba. Vai ser show.

Continue lendo

EVANDRO CORDEIRO

COLUNA DO EVANDRO | ‘A decepção deve ter sido monumental’, diz Márcia Bittar sobre o day after dos opositores de Bolsonaro com o recuo do presidente

Publicado

em

A professora Márcia Bittar, candidata a senadora do Bolsonaro no Acre, disse à coluna não saber bem como medir o tamanho da decepção dos opositores do presidente com o inteligente recuo dele, feito em favor do Brasil, após as pacíficas manifestações do dia 7. “Deve ter sido oceânica e monumental a decepção daqueles que não querem o bem do país, que querem apostar no quanto pior melhor e na briga entre os poderes, onde quem perde é o povo e a economia do Brasil”, ponderou.

Pesquisa fajuta

Márcia Bittar também relembra que os opositores do presidente não se cansam de passar vergonha divulgando pesquisas mentirosas. “Na última eleição pesquisas fraudulentas posicionaram Bolsonaro em sexto lugar, abaixo até de Marina Silva. A resposta acachapante veio das urnas. Eu que não quero incentivar ou ativar movimentos contra o STF, mas passa da hora desses órgãos de pesquisa serem duramente penalizadas por tamanho acinte a democracias e regras eleitorais”, sugeriu.

Institutos do Acre

Quando crítica pesquisas, Márcia Bittar, que ainda não sabe por qual partido disputará o Senado, só sabe que será no mesmo de Bolsonaro, ela defende os institutos do Acre. Por aqui não tem havido erros mais recentemente, de fato.

Gladson a favor

O governador Gladson Cameli (Progressistas) também tem elogiado a postura do presidente Bolsonaro. É mais inteligente, segundo o governador. O confronto só atrasa a economia.

Vão sentir na pele

Com as regras da disputa eleitoral mantidas, sem coligações, os deputados vão sentir na pele aquilo que quem disputou para vereador, em 2020, sentiu. É difícil montar chapas, é pior ainda saber que o dinheiro do Fundão continua sendo dos candidatos tradicionais, das famílias poderosas, como já era com o dinheiro dos partidos.

Não crescem

Segundo números mais recentes, nem Jorge Viana (PT), nem Petecão (PSD), crescem pra cima do governador Gladson Cameli. Bom ressaltar, todavia, que falta um ano e pouco para a eleição e o cenário pode mudar.

Alta rejeição

A rejeição do PT no Acre ainda está acima da média no Brasil. E chegar a essa conclusão não é preciso pesquisa científica. É só sentar numa roda onde se fala em política.

Mais uma pedreira

O prefeito Tião Bocalom deverá enfrentar uma CPI, a do transporte público. Se sair ileso de mais essa, o prefeito precisa ser deixado em paz para trabalhar. Mudar o jeito dele ninguém vai mudar.

Grupo de amigos

Bocalom tem um grupo fechado ao seu redor formado por amigos de 40 anos. As decisões desse grupo é que valem. E eles não costumam ser muito políticos não.

Destaques no governo

O time do governador Gladson Cameli tem melhorado muito a cada mexida que ele faz. Por exemplo: no Iapen, Arlenilson Cunha serenou. O sistema penitenciário melhorou significativamente. Na Seinfra o Cirleudo Alencar surpreende a cada semana.

Só trabalho

Prefeito Mazinho Serafim (MDB), de Sena Madureira, calou a boca e se danou a trabalhar. Já não sabe mais nem se deixa o MDB, como tava decidido há dois meses.

Problemão

A rigor, o MDB de Mazinho Serafim tem uma questão grande para gerenciar, em função das muitas tendências internas. Uma parte se sente contemplada no Governo, outra não. Uma defende Flaviano Melo como vice, outra Jéssica Sales como senadora. Está difícil de fechar questão, pelo visto.

Chapas boas

Partidos pelos quais será melhor disputar as eleições em 2022, por não ter político com mandato e já terem chapas boas a essa altura: Republicano, PSL, PTB, PROS e SOLIDARIEDADE.

Oposição sem força

Opositores do presidente Bolsonaro passaram dias e dias convocando a população para um ato neste domingo contra o Governo. Em Rio Branco, por exemplo, cerca de 20 pessoas foram às ruas protestar. No Brasil todo foi um fiasco só.

Hassem x Hassem

Os Hassem de Brasileia e Epitaciolândia vão para as eleições de 2022 com dois deles na disputa para estadual. Tadeu, irmão da prefeita de Brasileia, Fernanda, e André, ex-prefeito de Epitaciolândia, hoje diretor-presidente do Imac. Vai ser um confronto épico.

Continue lendo

EVANDRO CORDEIRO

COLUNA DO EVANDRO | ‘Se eu perder para o Gladson em Rio Branco nunca mais me meto em política’, promete o senador Petecão

Publicado

em

O senador Sérgio Petecão (PSD), para quem fica espiando de longe as movimentações dele, parece estar sozinho em seu projeto de disputar a eleição para governador em 2022. O nome dele não decola. Não tem empolgado como quando ele disputou o Senado, por exemplo. Mas quando tu chega perto dele, o homem é um entusiasmo só. Se é bravata, blefe, não julgo, mas de fala ele garante que não perde esse governo nem com anzol no olho. “Se eu perder para o Gladson em Rio Branco, nunca mais me meto em porra de política”, cunhou à coluna para a posteridade.

Pesquisa

Petecão diz que não fez pesquisa ainda na capital, mas mandou fazer um levantamento no interior, onde garante que está bem. “Se não estiverem me enganando, ganho a eleição”, afirmou. Será que não estão?

Chapa pronta

Petecão garante que as chapas de estadual e federal de seu partido estão prontas e que seu senador será aquele que vai “sobrar” dentre os que querem disputar na chapa do governador Gladson Cameli.

Atrapalho ao PT

Petecão, na verdade, está sendo um entrave até na vida do ex-senador Jorge Viana, do PT. A decisão de Viana se disputa o Governo ou o Senador depende de o nome de Petecão decolar, porque ele dividiria os votos de Gladson. No tête-à-tête com Cameli, Viana não tem coragem.

Distorção

Muito esquisito assistir a imprensa nacional tentar passar a ideia de que as manifestações do 7 de setembro foram um fiasco. E mais, no caso da Globo: está há 24h insistindo na ideia de chamar o ato de “manifestações antidemocráticas”.

Respeito do Gladson

Humilde, como sempre, o governador Gladson Cameli tratou de respeitar as manifestações populares. “Tem que respeitar o desejo do povo”, disse.

Sem bajulação

Estive perto do governador Gladson Cameli poucos dias atrás e não vi ninguém dizer para ele, entre assessores e secretários, que sua reeleição será moleza. Pelo contrário, está todo mundo empenhado em trabalhar muito para que o Governo dele continue agradando a população e lhe conferindo alta popularidade, como as pesquisas tem revelado.

Melhor falar a verdade

A rigor, o governador Cameli é um eterno bem-humorado, tira brincadeiras com todo mundo e é muito agradável com quem lhe cerca, mas não gosta de bajuladores. “Gosto de parceiros sinceros na caminhada política”, me disse um dia.

Os presentes

Parlamentares do Acre presentes as manifestações do 7 de setembro no Acre e em Brasília: Mara Rocha (PL), Jéssica Sales (MDB) e Alan Rick (DEM). Por onde passaram foram muito aplaudidos. Só ganharam.

Democrata

Numa roda de política perguntaram porque o governador Gladson não faz como Jorge Viana fazia quando era governador em relação a escolha do candidato ao Senado, quando ele batia na mesa, dizia o nome e pronto? Resposta de um presente: “O Gladson nunca bate na mesa nem para espantar mosca. É um democrata”.

Ainda não

“Espero que ele mude, depois de quase perder o cargo”. Resposta de um vereador de Rio Branco sobre a seguinte pergunta que fiz: Bocalom mudou sua relação com a Câmara depois daquela confusão toda?

Não recua, mas não ganha

Difícil saber quem vai recuar da candidatura ao Senado, mas fácil saber quem não vai ganhar a eleição.

Economia

Com o recuo da pandemia as grandes construções privadas retornaram e com estas os empregos. E ainda vem aí grandes obras do Estado que o governador manda licitar nesse mês de setembro.

Fora da disputa

Mesmo que ainda assuma uma cadeira na Assembleia Legislativa até o ano que vem, onde é primeiro suplente no PDT, o ex-secretário de Saúde do Governo Tião Viana, Gemil Júnior, não disputará as eleições em 2022. Decisão da Igreja Batista do Bosque, para onde voltou para assumir outras atividades além do louvor.

Fecha a boca

Tem gente ao redor do Palácio que precisa falar menos, se gabar menos, porque isso chama a atenção do inimigo. Simples.

Beijoqueiro cantor

O digital Influencer Diego Lins, concedido como “Beijoqueiro”, cantou com Fátima Marques em show realizado na Aseel, em Rio Branco, na véspera do feriado de 7 de setembro, e o vídeo, claro, viralizou, uma vez que o Diego estava fazendo apenas “firula” ao microfone. Não canta nem no banheiro. Mas a participação foi aplaudida, uma graça que foi. O Diego é um querido das redes sociais no Acre e a Fátima uma cantora consagrada no Brasil.

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Engenharia e Tecnologia