Connect with us

INTERIOR

Máquinas começam a rasgar mato e terra e anel viário de Brasileia começa a se desenhar

Publicado

em

A parte de mata e campo por onde vai passar a BR-317 em Brasileia e Epitaciolândia, na rica região do Alto Acre, por causa do anel viário, começaram a ser rasgadas pelas máquinas pesadas. À medida que o ronco dos motores aumenta o sonho da população daquela regional do Estado começa a se materializar. A obra estruturante dará mobilidade a uma região que cresce vertiginosamente, onde moram cerca de 60 mil pessoas, na fronteira com a Bolívia. Além disso, a ponte nova sobre o Rio Acre, passando por fora da cidade, dará celeridade no corredor que liga o Brasil ao Peru, pela BR-317, passando ainda pelo município de Assis Brasil.

A construção do anel viário terá um contorno pela BR-317 de 10,30 quilômetros, junto a uma ponte de 250 metros, sendo 4,18 quilômetros em Brasileia e 6,12 em Epitaciolândia, beneficiando toda uma população, num investimento de R$ 60 milhões em recursos oriundos do Governo Federal, que deverá ser executado em dois anos.

Essa semana o empresário Orleilson Cameli, dono da empresa CZS, líder do consórcio que venceu a licitação, fez um portfólio particular do início dos trabalhos, com as máquinas rompendo a mata e chegando as margens do rio Acre. Filho do ex-governador Orleir Cameli (in memoriam), Orleilson “Zico” lembrou do pai, que asfaltou a BR-317 quando governou o Acre de 1994 a 1998. “Muita emoção”, disse. Zico também filmou a condução das máquinas entre Cruzeiro do Sul e Brasileia, tudo sob forte emoção.

O empresário Zico não é o único entusiasmado com a obra. Além dele, tem uma lista de moradores, dos prefeitos e do próprio governador Gladson Cameli (Progressistas), cujo início da obra do anel viário pode ser considerado o ponta pé inicial da fase que marcará o Acre com grandes obras.

“São situações como essa que fazem valer a pena a gente ser político. O tempo e a burocracia às vezes nos atrapalham muito, mas não adianta colocar a carroça na frente dos bois. Obrigado ao presidente da República, por ter atendido todos os pedidos do Acre, além do Dnit, Deracre e Seinfra, mas, principalmente, àquele que está na ponta, o servidor debaixo do sol, direto na realização da obra. Ainda estamos vivendo um momento muito difícil com essa pandemia em todo o mundo, mas já estamos vencendo o jogo, com vacinação garantida, e vamos seguir mais do que nunca pelo desenvolvimento do Acre”, disse o governador.

Prefeitos empolgados com obra comemoram geração de emprego

Sérgio Lopes, prefeito de Epitaciolândia

“O anel viário, além de aquecer a economia com a obra em si, trará diversos benefícios, entre eles; diminuirá o trânsito de veículos pesados no centro das cidades; atrairá novas empresas para a região com a finalidade de exportar seus produtos; e proporcionará emprego e renda para muitas famílias”, disse o prefeito de Epitaciolândia, Sérgio Lopes (PSDB), ao AcreNews.

Fernanda Hassem, prefeita de Brasileia

O prefeito dos epitaciolandenses, assim como a de Brasileia, Fernanda Hassem (PT), reconhecem o esforço do Governo para a realização desse sonho de décadas. “Todo o nosso agradecimento ao Governador do Estado, Gladson Cameli, por esse investimento”, escreveu ao AcreNews Sérgio Lopes.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

INTERIOR

Oportunidade: Sesc abre inscrições para processo seletivo em Cruzeiro do Sul

Publicado

em

Por

O Serviço Social do Comércio – Sesc no Acre abriu inscrições para processo seletivo com a finalidade de preencher vagas efetivas e formação de cadastro de reserva em cargos de nível superior, médio e fundamental para a cidade de Cruzeiro do Sul. As inscrições vão até 4 de fevereiro de 2022 e devem ser realizadas exclusivamente por meio do endereço eletrônico www.sescacre.com.br.

No site, o candidato tem acesso ao edital completo do processo seletivo, e as vagas se destinam aos cargos de Analista de Esporte; Instrutor Esportivo; Nutricionista; Técnico de Contabilidade; Técnico de Manutenção – Hard/Software; Assistente Administrativo: Turismo, Recursos Humanos e Compras; Recepcionista-Caixa; Atendente de Reservas; Chefe de Governança; Recreador; Motorista; Cozinheiro; Garçom; Camareiro; Auxiliares: de Manutenção, Predial, de Restaurante e de Cozinha.

As taxas de inscrição custam R$ 10, R$ 20 e R$ 30, para os cargos de nível fundamental, médio e superior, respectivamente. As provas serão realizadas no dia 20 de fevereiro de 2022, na cidade de Cruzeiro do Sul, em local a ser divulgado no site do Sesc. [Ascom Fecomércio]

Continue lendo

INTERIOR

Tampinha Bittar, suplente de vereador no Quinari, conhecido por fazer campanha para ajudar pessoas, caiu doente e em um dia foi juntado R$ 18 mil em favor dele

Publicado

em

Por

O suplente de vereador no município de Senador Guiomard, Tampinha Bittar, do partido Solidariedade, sentiu na pele como é bom fazer o bem. Acostumado a puxar campanhas em sua cidade a favor de pessoas necessitadas, dessa vez o próprio Tampinha se viu obrigado a pedir ajuda. Diagnosticado com pancreatite e insuficiência renal, ele clamou por ajuda e foi respondido no mesmo dia. Empresários, fazendeiros e até pessoas assalariadas entraram na campanha em favor dele. Resultado: R$ 18 mil arrecadado, cirurgia realizada e hemodiálise em dia.

Tampinha Bittar é, na verdade, Antônio Leildo Oliveira da Silva, de 45 anos, filho do falecido agricultor Chico Abidom, também conhecido no município pelo belo sanfoneiro que era. Tampinha é um agitador cultural. Está sempre envolvido em eventos e, principalmente, quando diz respeito a atos de solidariedade. Não é à toa que mesmo sem dinheiro acabou sendo bem votado nas eleições de 2020, quando disputou para vereador. Chegou a ser declarado eleito, mas após apuração final ficou na suplência. “Onde o Tampinha chega é sinônimo de alegria”, diz o irmão Luciano.

O agitador Tampinha é um topa tudo pela sobrevivência, menos fazer coisa errada diante da lei. “Eu admiro ele pela humildade e por não ter vergonha de fazer qualquer coisa para sobreviver. Também é a alegria em pessoa onde ele chega”, testemunha o ex-deputado Zé Carlos, que há muitos anos é vizinho da família de Tampinha. Segundo os amigos, quando abriram a campanha para ajudar o Tampinha, a ação foi rápida. “Ele está em casa muito agradecido pelo que fizeram em favor dele. Já fez a cirurgia e vai fazer mais duas sessões de hemodiálise para voltar a ser uma pessoa saudável”, diz o irmão Luciano.

Continue lendo

INTERIOR

Símbolo da paisagem de Sena Madureira, carnaubeira pode vir abaixo por causa de erosão

“A carnaubeira conta nossa história e é de suma importância que todos nós zelemos por ela, inclusive os nossos representantes”, disse o historiador de Sena

Publicado

em

Por

A carnaubeira, o símbolo histórico mais famoso do município de Sena Madureira, visto da Praça 25 de Setembro e contemplado por moradores do Segundo Distrito da cidade, pode deixar de existir se o poder público não tomar providências sobre a forte erosão que atinge as margens do Rio Iaco.

O desbarrancamento está a menos de 3 metros do patrimônio público que está prestes a completar seu centenário – quase a idade de Sena, que tem 117 anos de existência.

Não existe um consenso sobre quando, exatamente, a carnaubeira foi plantada, mas o historiador José Arnoudo Nunes, que é senamadureirense de berço, explicou à reportagem do ContilNet que a muda da árvore chegou à cidade em meados da década de 40, trazida do Ceará pelo seringalista Raimundo Martins de Almeida – parente de uma das figuras mais tradicionais da cidade, o serralheiro já falecido José Ferreira da Silva, mais conhecido como Zé Pato – e entregue ao engenheiro e prefeito à época, Hermano Cavalcante.

“Outras mudas da carnaubeira foram plantadas em outras partes da cidade, mas a que conhecemos hoje ganhou destaque no centro da cidade e foi plantada pelo Hermano, que era o prefeito da época”, comentou o especialista.

Arnoudo lamenta que “parte da história de Sena possa se perder a qualquer momento” se nenhuma providência for tomada.

A erosão está a menos de 3 metros do local/Foto: ContilNet

“A carnaubeira conta nossa história e é de suma importância que todos nós zelemos por ela, inclusive os nossos representantes. Se ela é destruída, fica um buraco na nossa identidade”, acrescentou.

A jornalista e empresária Wania Pinheiro foi até o local mostrar o risco que sofre o símbolo da capital do Vale do Iaco.

“Inadmissível que a carnaubeira fique ameaçada dessa forma sem que os nossos gestores tomem as devidas providências”, explicou a empresária.

As autoridades precisam tomar alguma providência/Foto: ContilNet

[ContilNet]

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas