Connect with us

POLÍCIA

No Juruá, MPAC e Polícia Militar cumprem mais de 40 mandados contra organização criminosa

Publicado

em

Por MPAC/ Foto: Reprodução

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por intermédio do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em conjunto com a Polícia Militar, deflagrou nas primeiras horas desta quarta-feira (2), a Operação Black List, com o objetivo de efetivar a prisão de lideranças de uma organização criminosa que gerenciavam o tráfico de drogas na região do Juruá.

Estão sendo cumpridos 41 mandados judiciais, sendo 15 de busca e apreensão, e 26 de prisão preventiva nas cidades de Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima e Tarauacá.

O efetivo empregado na Operação envolve cerca de 70 homens da Polícia Militar, além de promotores de Justiça do Gaeco e equipe técnica. O Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) também deu apoio ao trabalho.

Black List – A investigação que levou à deflagração Operação durou cerca de cinco meses e decorreu do aprofundamento dos elementos de prova colhidos em operações anteriores realizadas pelo Gaeco. 

O nome da Operação, significando “lista negra”, foi escolhido a partir do acesso do à lista contendo informações que possibilitaram a identificação dos criminosos, no caso, responsáveis pela gestão do tráfico de drogas em diversos bairros de Cruzeiro do Sul e região.

Ainda foi identificado durante a investigação, integrante que ocupa a função de “Conselheiro” da facção, responsável pela expedição de ordens visando a expansão da organização criminosa, ataques à facção rival, aplicação da “disciplina” com atos de punição.

A Operação marca a ampliação e consolidação da atuação do Gaeco, em conjunto com a PMAC, em todo o território do Acre, desta vez, com foco na segunda maior cidade do Estado.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

POLÍCIA

Policiais Militares do Acre realizam treinamento contra possíveis ataques violentos no ambiente escolar

Publicado

em

Por

Ascom/PMAC

Durante seis dias, os militares da Coordenadoria de Polícia Comunitária, da Polícia Militar do Acre (PMAC), trocaram de papel: deixaram de serem instrutores e viraram “alunos”. Os vinte e seis profissionais da unidade participaram da capacitação para atendimento a possíveis ataques violentos no ambiente escolar. As instruções foram realizadas nas depedencias Batalhão de Operações Especiais (BOPE), por militares da unidade especializada.

Com objetivo de preparar os militares que atuam diretamente no ambiente escolar, seja por meio do Programa Educacional de Resistência às Drogas e a Violência (PROERD) ou pelo Policiamento Escolar, a capacitação visa prepará-los para possíveis invasões ou ataques a alunos. Entre as instruções tiveram Primeira Intervenção em Crises; APH Tático em Combate; Sobrevivência Policial e Instrução Tática e Técnica de Menor Potencial Ofensivo (ITMPO).

Major Ana Cassia, comandante da coordenadoria, comenta a importância do treinamento para os militares da sua unidade. “Promover a segurança das pessoas é uma atividade muito complexa e se tratando de crianças e adolescentes mais ainda. Nessa perspectiva, a Polícia Militar promoveu um treinamento para os policiais, visando capacitá-los para combater ocorrências relacionadas à possíveis ataques a ambiente escolar”.

A major destacou, ainda, a oficina prática realizada durante as instruções. “Hoje foi realizado um exercício simulado de combate a atirador ativo, procurando tornar o exercício mais aproximado possível da realidade. O treinamento também deixa os policiais aptos a atuarem em qualquer circunstância necessária para garantir a segurança da comunidade escolar”, disse a oficial.

Antônio de Souza, 1° sargento da corporação, está no PROERD desde o ano de 2002. Para ele que possui especializações acadêmicas na área educacional, o treinamento é fundamental para quem atua diretamente na Segurança Pública, em um ambiente peculiar como as escolas. “Destaco a importância do trabalho de treinar com as novas técnicas policiais ofertadas e diante da demanda dos novos desafios que a Polícia Militar enfrenta, um deles é as atividades em ambiente confinado, principalmente como escola”, destacou.

Continue lendo

POLÍCIA

Investigadores da DCORE prendem acusado de praticar “saidinha de banco” em Rio Branco

Publicado

em

Por

Um trabalho de investigação de policiais da Delegacia de Combate à Roubos e Extorsões (DCORE) resultou na prisão do assaltante Bruno Almeida da Silva, de 24 anos. A ação policial ocorreu no início da tarde desta terça-feira, 16, em uma residência localizada no bairro Jorge Lavocat, em Rio Branco.

Bruno Almeida teve a prisão preventiva decretada pelo Juiz da Vara de Delitos de Roubo e Extorsão da Comarca de Rio Branco. Ele é acusado por executar assaltos nas proximidades de agências bancárias no centro da cidade, a chamada “saidinha de banco”.

Consta no inquérito da DCORE que no dia 6 de junho de 2022, Bruno Almeida, armado com uma pistola, roubou R$ 22 mil de um funcionário de uma empresa. A vítima faria um deposito quando foi abordada pelo criminoso. Sete dias depois, no mesmo local, Bruno Almeida rendeu gerente de uma cooperativa da cidade e levou um malote com R$ 13 mil.

O acusado foi reconhecido pelas duas vítimas. “Foi um brilhante trabalho de investigação dos agentes da DCORE, que localizaram o acusado, levantaram as provas e conseguiram prendê-lo”, disse o Delegado Leonardo Santa Bárbara.

Continue lendo

POLÍCIA

Ex-agente penitenciário acusado de assassinar e decapitar esposa será julgado nesta quarta-feira

Publicado

em

Por

Dois anos e seis meses depois do crime, o ex-agente penitenciário Ivanhoé de Oliveira Lima vai ser julgado pelo assassinato da esposa, Larissa Aurélia Costa Silva, de 17 anos. A sessão será realizada nesta quarta-feira, 17, no plenário da 2ª Vara do Tribunal do Júri e Auditória Militar. Ivanhoé de Oliveira vai responder por homicídio duplamente qualificado com o agravante de feminicídio.

Consta na denúncia apresentada pelo Ministério Público do Acre que na madrugada de 21 de fevereiro de 2020 o ex-agente de Segurança matou a esposa Larissa Aurélia e logo em seguida a decapitou com uma faca. O crime ocorreu na residência do casal localizada na Rua C, Vila Jorge Kalume, na Estrada do Barro Vermelho.

Após o assassinato, o réu pegou a cabeça da vítima, caminhou pela via e jogou no quintal da casa da mãe de Larissa, que ficava a poucos metros do local do crime.

Horas depois de matar a adolescente, o acusado foi preso na arquibancada de uma quadra de sintética localizada na Rua Isaura Parente, no bairro Tangará. Ivanhoé de Oliveira tomava cerveja tranquilamente quando foi abordado por policiais do Batalhão de Operações Especiais.

Em março deste ano, o júri chegou a ser marcado, mas a pedido do Ministério Público do Acre foi suspenso. Durante a sessão serão ouvidas sete testemunhas, entre elas, familiares da vítima e logo depois ocorre o interrogatório do réu.

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas