Connect with us

POLÍCIA

EXCLUSIVO Secretário de Segurança revela ao Acrenews: serviço de inteligência trabalha nos arredores de creches e escolas para se precaver de tragédias como a de Santa Catarina

Publicado

em

A tragédia do município de Saudade, em Santa Catarina, na última terça-feira, 4, onde um jovem de 18 anos, atuando como “lobo solitário”, ocasionou as mortes de pelo menos cinco pessoas, depois de invadir uma creche e golpear professores e crianças com uma arma branca semelhante a um facão, acendeu a luz vermelha no serviço de inteligência da polícia do Acre. Por orientação do governador Gladson Cameli (Progressistas) e do secretário de Segurança, coronel PM Paulo César, uma estratégia será colocada em prática a partir da volta às aulas, no sentido de garantir a segurança de escolas e creches.

Em entrevista exclusiva ao Acrenews, o secretário revelou uma pequena parte daquilo em que a inteligência já tem sobre esse assunto. “Nós recebemos ontem um expediente do Ministério da Justiça e de imediato compartilhamos com as agências locais de inteligência com a orientação de que as unidades regionais façam uma abordagem aquelas escolas que estiverem funcionando, grande maioria das escolas, principalmente as públicas, não estão funcionando, razão pela qual a orientação é que se faça abordagem no tocante a triagem de pessoas nos arredores e no ambiente escolar”, revelou o coronel Paulo César.

O secretário lamentou o episódio de Santa Catarina, admite que as ações desses “lobos” quase sempre pegam todos desprevenidos, mas adiantou que na medida do possível algumas atitudes defensivas podem salvar. Mas não deixa de ser “uma situação preocupante”, diz.

Paulo César contou que no Acre, em 2019, ocorreu algo similar. “Me recordo que em 2019 nós tivemos uma situação bem peculiar, similar na Uninorte. Fizemos uma reunião lá com a direção”, contou. Em relação a situação atual, após a tragédia de Saudade, o coronel afirmou que “de qualquer forma nós fizemos esse compartilhamento e orientação para que façam abordagens. É óbvio que a gente não tem como saber onde se dá, mas passamos a orientação no sentido de abrir os olhos de quem cuida de escolas e creches que estiverem funcionário para estabelecer um protocolo, mitigando a entrada de estranhos diante desse episódio”.

O comandante da segurança do Acre admite que há mais ações em andamento, mas que não cabem ser reveladas. O que está em prática, no momento, “foi a atitude adotada porque é como procurar uma agulha no palheiro. Nesse sentido cabe a Segurança Pública nesse primeiro momento orientar os estabelecimentos como se comportar diante de tal situação”.

LUTO EM SANTA CATARINA

O episódio de Saudade, em Santa Catarina, deixou em choque a cidade, que tem 9.810 habitantes, segundo estimativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), e nunca tinha testemunhado casos de violência parecidos. Entre os mortos estão uma professora, Keli Adriane Aniecevski, 30, uma agente de educação, Mirla da Costa Renner, 20, e três crianças menores de dois anos.

O jovem também se cortou com a arma, sendo encaminhado a um hospital com ferimentos no pescoço, abdômen e tórax, segundo as forças de segurança do estado.

PREFEITURA TEM PLANO PARA ABERTURA DAS CRECHES

A prefeitura de Rio Branco, que administra todas as creches da capital, além das escolas de iniciação escolar, onde está a comodidade mais vulnerável, está elaborando um plano para a retomada das aulas presenciais. A reboque desse documento um detalhado trabalho em relação a proteção a alunos, professores e servidores. Segundo a assessoria de comunicação, em breve tudo será apresentado à sociedade.

Ao todo Rio Branco tem 14 creches e 13 centros na modalidade creche e pré-escola. A própria prefeitura não tem o total de crianças beneficiadas devido aos rodízios, mas que haverá garantia de segurança para todos no retorno às aulas. Um encontro entre a Secretaria de Educação Municipal e a Secretaria de Segurança do Estado estabelecerá novas regras.

Continuar lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POLÍCIA

Polícia Militar de Manoel Urbano recupera objetos subtraídos de loja em Sena Madureira

Publicado

em

Por

Ascom/PMAC

A Polícia Militar do Acre, na cidade de Manoel Urbano, conseguiu recuperar, nesta sexta-feira, 18, por volta das 12h00, diversos objetos que foram subtraídos de uma loja localizada na cidade de Sena Madureira.

Na ocasião, a apreensão se deu no decorrer de bloqueio policial, ao longo da BR-364, sentido Manoel Urbano à cidade de Sena Madureira. Além disso, dois infratores menores de idade foram apreendidos em flagrante delito, pois estavam em posse dos objetos, bem como há informes que são também os possíveis autores do furto.

Após isso, os menores infratores foram levados à delegacia para os procedimentos de praxe.

Continuar lendo

POLÍCIA

Policia Civil prende dois por roubo em Rio Branco

Publicado

em

Por

Ascom PCAC

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Combate a Roubos e Extorsões (DCORE), prendeu na manhã sexta-feira, 18, em cumprimento de 02  (dois) mandados de Prisão Preventiva, expedidos pela Vara dos Delitos de Roubo e Extorsão da Comarca de Rio Branco, em desfavor dos denunciados J.M.N.A. e W.T.M.F, pela prática  de roubo de uma motocicleta HONDA TITAN 125, COR PRETA e 02(dois) capacetes,  ocorrido em 03/11/2020, em via pública, na rua Mário Quintana, Bairro Santa Helena,  a motocicleta foi recuperada e restituída para a vítima.

Os presos foram conduzidos a Delegacia Especializada de Flagrantes (DEFLA) para procedimentos de praxe e posteriormente conduzidos para a unidade prisional onde ficarão à disposição da justiça.

Continuar lendo

POLÍCIA

Denunciado pelo MPAC, líder de organização criminosa é condenado a 13 anos de prisão

Publicado

em

Por

Agência MPAC

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por intermédio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), obteve a condenação, perante a 4ª Vara Criminal da Comarca de Rio Branco, da principal liderança e um dos conselheiros fundadores da organização criminosa “Bonde dos Treze”, a um total de 13 anos de reclusão em regime inicial fechado.

Marcos da Cunha Lindoso, vulgo “Dragão”, foi condenado pelo crime de integrar organização criminosa, com agravamento da pena por exercer comando, uso de arma de fogo, envolvimento de adolescente e manter conexão com outra organização. Atuou na instrução criminal o promotor de Justiça Júlio César de Medeiros, membro do Gaeco.

Marcos havia sido preso em abril de 2016 durante a “Operação Fim da Linha”, realizada em conjunto pelo MPAC e Polícia Civil após investigações sobre ataques realizados pelo grupo criminoso que liderava, que teve como alvo o incêndio de coletivos e outros veículos, além da realização de disparos de arma de fogo contra instituições públicas.

O sentenciado foi resgatado no mês seguinte por dois homens armados que renderam o agente penitenciário que o acompanhava durante uma feira de artesanato no Mercado Velho, na região central de Rio Branco, após ter sido liberado pela Justiça junto a outros presos para participar do evento como expositor de produtos artesanais.

Ele ficou foragido até dezembro de 2018, quando foi capturado pela Polícia Civil em São Paulo na “Operação São Jorge”, realizada em conjunto com a Polícia Civil do Acre, após 7 meses de intensas investigações. Foram apreendidos com ele, na ocasião, três tijolos de cocaína, quatro celulares, um veículo Toyota Camry blindado, 50 bananas de dinamite (cordel) e seis RG’s.

Durante o tempo em que esteve foragido, o sentenciado adquiriu identidade falsa e vivia uma rotina de luxo em São Paulo com sua esposa, também presa em flagrante durante a operação.

Continuar lendo

Trending

www.acrenews.com.br é uma publicação da Acrenews Comunicação

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Endereço: Área rural, 204, Setor Barro Vermelho - CEP 69.923-899

Os artigos assinados não expressam a opinião deste site.

contato@acrenews.com.br

Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas