Connect with us

POLÍCIA

Justiça condena 13 integrantes de facções criminosas a penas que somam mais de 128 anos de reclusão

Publicado

em

Foto: TJAC

As penas dos acusados foram agravadas por três condições, mas o emprego de arma de fogo foi fixado no patamar máximo, devido ao crescimento da violência com execuções e homicídios cometidos por membros de organizações criminosas no Acre

O Juízo da Vara de Delitos de Organizações Criminosas, da Comarca de Rio Branco, condenou 13 integrantes de três facções criminosas que atuavam no Estado a penas que somam mais de 128 anos de reclusão.

Os réus cometeram o crime de integrar organização criminosa, com agravamento da pena por: uso de arma de fogo, envolvimento de adolescente e manter conexão com outra organização. Além disso, dois dos acusados ainda tiveram como aumento da pena o fato de serem lideranças da organização.

As penas dos denunciados foram estipuladas conforme o envolvimento dos réus e também se confessaram a participação nos crimes, assim como foram ponderados os antecedentes e a reincidência.

Com isso, foram estabelecidas as seguintes condenações:

  • Uma das lideranças – 14 anos, noves meses, 10 dias de reclusão e o pagamento de 360 dias multa;
  • A outra liderança – 11 anos, dois meses, 22 dias de reclusão e o pagamento de 360 dias multa;
  • Dois integrantes, cada um deve cumprir – 12 anos, 11 meses, cinco dias de reclusão, e o pagamento de 360 dias multa;
  • Dois integrantes, cada um a – 11 anos, um mês de reclusão e o pagamento de 360 dias multa;
  • Três integrantes, cada um a – 9 anos, sete meses, 15 dias de reclusão e o pagamento de 322 dias multa;
  • Dois integrantes, cada um a – oito anos, sete dias de reclusão e o pagamento de 269 dias multa;
  • E o último réu – seis anos, cinco meses de reclusão e o pagamento de 217 dias

O cumprimento da pena de 11 réus é em regime fechado, somente o integrante que foi condenado a seis anos e cinco meses de reclusão que deve iniciar no semiaberto.

Operação

O Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) apresentou denúncia contra os réus, apontando que eram pertencentes a três facções criminosas. A denúncia foi recebida no início de julho de 2020 e as audiências de instrução e julgamento foram realizadas por videoconferência.

Durante as operações que culminaram com as prisões dos réus, foram apreendidos equipamentos eletrônicos onde foram encontrados dados sobre membros das facções, vídeos dos integrantes e mensagens sobre as movimentações dos grupos.

Causas de aumento da pena

Na sentença, publicada na edição nº 6.831 do Diário da Justiça Eletrônico, da sexta-feira, 14, está expresso que foi demonstrado a associação dos réus para cometerem crimes. “Houve, pois, de forma patente e fartamente narrada e demonstrada, uma associação de pessoas com a finalidade específica de cometimento de infrações penais, não havendo qualquer dúvida quanto ao caráter permanente dessa conjugação de esforços e vontades (…).”

Dessa forma, ao realizar a análise do caso, o juiz de Direito Robson Aleixo, verificou que estavam presentes três causas de aumento para todos os réus: emprego de arma de fogo, participação de adolescentes e estabelecimento de conexão com outras organizações criminosas independentes.

A agravante pelo uso de arma de fogo foi reconhecida pelo juiz em seu patamar máximo, pois, como enfatizou o magistrado, o emprego de arma de fogo por integrantes de facções criminosas gera aumento dos homicídios e execuções no Estado.

“Além do mais, o uso da causa de aumento da arma de fogo é justificada, no patamar máximo, pelo aumento de homicídios e execuções, inclusive com requintes de crueldade, ocorridos após as organizações se estabelecerem no Estado, também noticiados pela mídia”.

Continuar lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POLÍCIA

Acrelândia: Batalhão Ambiental resgata filhote de Jaguatirica e prende 3 pessoas durante fiscalização

Publicado

em

Por

Ascom/PMAC

Durante uma missão de fiscalização ao desmatamento, no município de Acrelândia, os militares do Batalhão Ambiental foram abordados por um morador que queria lhes entregar um filhote de Jaguatirica (𝘓𝘦𝘰𝘱𝘢𝘳𝘥𝘶𝘴 𝘱𝘢𝘳𝘥𝘢𝘭𝘪𝘴).

O homem afirmou que o felino apareceu em sua propriedade dias atrás e desde lá o estaria alimentando, e que por isso o animal resolveu ficar na localidade. Sem saber o que fazer e temendo que crescesse e se tornasse perigoso, o morador aproveitou a presença da guarnição no local e entregou o animal aos policiais.

O pequeno felino da fauna amazônica foi trazido ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS), localizado no Parque Chico Mendes, em Rio Branco, e entregue aos cuidados especializados.

A ocorrência de desmatamento culminou na prisão de 03 pessoas e apreensão de 02 motosserras, correntes dentadas, galões de combustível, além de uma série de ferramentas. O material e os autores do delito foram apresentados na Delegacia de Polícia do município.

Continuar lendo

POLÍCIA

Detento monitorado que executou açougueiro é condenado a mais de 20 anos de prisão

Publicado

em

Por

Deivesson Souza Rodrigues foi condenado a 21 anos de prisão pelo assassinato de Vando Cunha de Oliveira. A decisão foi do conselho de sentença da 2ª Vara do Tribunal do Júri, em sessão realizada nesta quinta-feira, 17. Durante o interrogatório ao Juíz Alesson Braz, o réu confessou a autoria do crime.

Deivesson, que era detento monitorado, executou a tiros o açougueiro Vando Cunha de Oliveira. O crime, que foi registrado pelas câmeras de monitoramento, ocorreu no dia 29 de maio de 2020. Após executar a vítima com três tiros, ele depois fugiu, mas pouco tempo depois o acusado foi preso por investigadores da DHPP. Ele ainda portava a arma do crime.

Na mesma decisão que condenou Deivesson Rodrigues, o juiz da segunda vara do tribunal decretou a prisão preventiva do réu.

Continuar lendo

POLÍCIA

Polícia Militar apreende nove quilos de drogas na Rodovia BR-317

Publicado

em

Por

Ascom PMAC

Durante o serviço operacional da tarde desta quarta-feira, 16 de junho, uma equipe da 2ª Companhia, do 5º Batalhão de Polícia Militar (5º BPM), localizada em Xapuri, apreendeu 9kg de drogas, na Rodovia BR-317. Na ação, um homem de 21 anos foi preso.

Os militares estavam em deslocamento do município de Epitaciolândia para Xapuri, quando avistaram um cidadão em fundada suspeita em motocicleta. A guarnição realizou a abordagem e durante as buscas foram localizados 9 kg, sendo 6kg de oxidado de cocaína e 3kg de cocaína, além de 07 litros de gasolina, um aparelho celular, que seria usado para manter contato com a pessoa que lhe entregou o entorpecente, e outros objetos.

Segundo relatos do homem preso, ele havia pego a droga no município de Epitaciolândia e estaria levando para Rio Branco. Ele foi encaminhado à Delegacia da Cidade.

Continuar lendo

Trending

www.acrenews.com.br é uma publicação da Acrenews Comunicação

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Endereço: Área rural, 204, Setor Barro Vermelho - CEP 69.923-899

Os artigos assinados não expressam a opinião deste site.

contato@acrenews.com.br

Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas