Connect with us

ACRE

Com fim de contrato, 130 garis perdem emprego em Rio Branco

Publicado

em

Iryá Rodrigues

Após o fim do contrato com empresa terceirizada no último dia 30 de março, cerca de 130 garis que faziam o serviço de varrição em Rio Branco perderam seus empregos. Mas, segundo a Secretaria Municipal de Zeladoria, a limpeza da cidade não foi comprometida e a assinatura do contrato com nova empresa deve ser feita na próxima segunda-feira (5).

Até lá, o trabalho deve ser realizado pelos profissionais das outras três empresas terceirizadas que prestam serviço para a secretaria. A informação foi confirmada ao G1 pelo secretário Joabe Lira. Segundo ele, a nova empresa que vai ser contratada na segunda deve entrar, inicialmente, com 105 garis, podendo aumentar até 130 profissionais, a depender da demanda.

Com fim de contrato, 130 garis perdem emprego em Rio Branco e Zeladoria diz que nova empresa já vai ser contratada — Foto: Aline Vieira/Rede Amazônica

O secretário informou que nesta sexta (2), devido ao feriado, não está tendo serviço de limpeza na capital, por conta do decreto estadual que determina medidas mais restritivas aos finais de semana, feriados e pontos facultativos.

No entanto, segundo ele, neste sábado (3), vai ser feita a limpeza de varrição somente no Centro da cidade por uma equipe. O trabalho de coleta de lixo nos bairros segue cronograma normal.

O governo adotou o fechamento emergencial do comércio e outros serviços nos fins de semanas e feriados para tentar reduzir os casos de Covid-19 e a alta demanda nos hospitais. Nas últimas semanas, a taxa de ocupação dos leitos de UTI na rede pública se manteve acima dos 90% e por vários dias ficou em 100%.

“Temos quatro empresas na prefeitura, sendo duas de roçagem, outra de capina, e a que saiu foi uma que fazia a varrição. Ela saiu no dia 31 e as outras continuam. Hoje não estão trabalhando, devido ao lockdown, mas entramos em contato para ter autorização e amanhã vai ter limpeza no Centro, para não acumular. Na segunda [5], já estamos com contrato pronto e será assinado para o chamamento mais de 100 trabalhadores, podendo chegar até 130. Então, vamos suprir a necessidade desses que saíram”, afirmou o secretário.

Lira informou ainda que o processo de licitação para contratação da nova empresa foi iniciado ainda no ano passado, pela gestão anterior, e que passou por análise para ser finalizado.

Clima ficou tenso em protesto de garis contra salários atrasados — Foto: Arquivo

Clima ficou tenso em protesto de garis contra salários atrasados — Foto: Arquivo

Protestos e confronto com polícia

Com salários atrasados, um grupo de garis fez vários dias de protesto em frente à Secretaria Municipal de Zeladoria de Rio Branco, inclusive bloqueando a saída de maquinários e de outros trabalhadores que não participavam do ato.

Após dias de negociações, paralisações e até confusão com intervenção do Batalhão de Choque da Polícia Militar (Bope), os garis voltaram a trabalhar no último dia 17 depois de receberem os salários que estavam atrasados.

Os atrasos se deram porque as empresas terceirizadas diziam que tinham que receber um valor e a prefeitura, após calcular o serviço prestado, dizia que o valor teria que ser bem abaixo. Mesmo com o impasse, as empresas acabaram recebendo o repasse, umas até 50% menos do que esperavam, e fizeram o pagamento dos trabalhadores, que voltaram ao trabalho.

O clima ficou tenso, no último dia 15, quando os trabalhadores bloquearam a entrada da Zeladoria e uma equipe do Bope foi acionada e chegou a usar gás de pimenta.

A situação causou repercussão e o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, em entrevista a outra emissora, falou que a ação da polícia foi preciso para “restabelecer a ordem” e que não foi feito “nada demais”. Segundo ele, no dia em que a polícia precisou agir, mais de 300 trabalhadores tentavam sair da garagem da secretaria com 40 máquinas, mas estavam sendo impedidos pelo grupo.

O Ministério Público do Estado do Acre (MP-AC) chegou a instaurar uma notícia de fato para apurar a conduta dos policiais militares envolvidos na repressão ao protesto dos garis.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ACRE

Em setembro, INPE disparou sete alertas de desmatamento em Manoel Urbano

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) através de consulta ao Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (DETER) aponta crescente ação de desmatamento no município acreano de Manoel Urbano, distante 228 km da capital, Rio Branco.

A autarquia disparou, somente neste mês de setembro, sete alertas totalizando 5,30km2 de desmatamento. Segundo o instituto, a principal causa do alerta diário para Manoel Urbano é o desmatamento com solo exposto, que deixa a terra sem vegetação e altera a cobertura florestal na Amazônia.

Não é de hoje que o órgão manifesta preocupação quanto à situação da degradação da floresta nesta cidade acreana. No mês passado, em agosto, por exemplo, o INPE promoveu alerta no dia 19, onde apontou 0,61 km2 de retirada de floresta naquela cidade.

TARAUACÁ TAMBÉM DESMATA

A poucos quilômetros de Manoel Urbano, já na cidade de Tarauacá, o instituto também alertou no mês passado (dia16), o desmate de 1,38 km2. Neste mês, em setembro, o município que compõe a região do Envira já teve cinco advertências de desmatamento, totalizando 4,37km2 de desflorestamento.

Continue lendo

ACRE

No interior do Acre já choveu 16% acima da média para o mês de setembro

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Wanglézio Braga

Levantamento do portal O Tempo Aqui, publicado hoje (17), revela que já choveu acima da média em boa parte do Acre. O acúmulo de chuva muda um cenário totalmente diferente do que vimos nos meses de agosto e parte de setembro.

“As chuvas intensas que têm ocorrido no Acre já superaram a média climatológica de setembro em vários municípios do estado, entre eles, Tarauacá, Xapuri, Brasileia, Epitaciolândia, Assis Brasil, Feijó e Marechal Thaumaturgo”, comentou o pesquisador Davi Friale.

Citando Tarauacá, ele ressalta que já choveu, nos primeiros 16 dias de setembro, 130,2mm, conforme os registros da estação meteorológica do Instituto Nacional de Meteorologia, sendo que a média histórica do mês é 112,0mm”. “Portanto, nesta cidade acreana, as chuvas já estão 16,2% acima da média de setembro”, completa.

Usando dados da Agência Nacional de Águas e do Instituto Nacional de Meteorologia, é possível ver a quantidade de chuva que caiu nas cidades de Feijó (42,8mm), Tarauacá (41,2mm), Marechal Thaumaturgo (38,4mm), Jordão (33,8mm) e Sena Madureira (26,4mm).

Por conta das chuvas, os níveis dos principais rios aumentaram consideravelmente. Hoje, na capital acreana, Rio Branco, “o rio Acre marcou 1,60m e continuava subindo, devendo permanecer em elevação, tendo em vista as chuvas torrenciais ocorridas no seu alto curso”.

CHUVAS VÃO CONTINUAR

Um prognóstico feito por Friale prevê que na próxima semana, a primeira da primavera de 2021, que começa no dia 22 de setembro, chegará com “chuvas fortes, com possibilidade de temporais, e voltarão a ocorrer devido a mais uma frente fria fraca que chegará ao Acre e às áreas vizinhas, cujo encontro com pulsos úmidos do Atlântico Norte deixa o tempo bastante instável”. “Assim, é muito provável que o mês de setembro de 2021 será com chuvas acima da média na maior parte do Acre”, concluiu.

Continue lendo

ACRE

Acre segue vendendo o litro do Diesel mais caro do país, aponta levantamento

Publicado

em

Por

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

Novo levantamento feito pela plataforma Ticket Log em postos de combustíveis, aponta que o Acre segue com o litro do diesel (comum e S-10) mais caro do país. Segundo a plataforma, na primeira quinzena de setembro, os postos acreanos comercializaram o litro entre R$ 5,721 e R$ 5,737.

Os valores do Acre estão a cima da média para a região norte: diesel a R$ 5,097, e o diesel S-10, a R$ 5,181. O estado do Paraná, tem o preço médio mais baixo registrado pelos postos, a R$ 4,484, o tipo comum e R$ 4,518 o S-10.

A plataforma apurou que em todas as regiões brasileiras, tanto o diesel comum quanto o tipo S-10 apresentaram aumentos no preço médio no início de setembro. Um aumento de 1,54% em relação ao mês anterior, em agosto.

Douglas Pina, Head de Mercado Urbano da Edenred Brasil explica o motivo. “Mesmo sem reajustes nas refinarias desde julho, o preço do diesel segue de forma consecutiva avançando em todo o território nacional. Entre os fatores que contribuem para esse comportamento de alta do combustível, está o reflexo do aumento da mistura de biodiesel de 10% para 12%, como também o aumento no biodiesel de 3,6%”, explica.

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Engenharia e Tecnologia