Connect with us

GOSPEL

Equipe 91, grupo de missionários formado por ex-traficantes conhecido no Acre por “resgatar” criminosos, vira notícia nos EUA

Avatar

Publicado

em

A história de um grupo de ex-traficantes convertidos ao evangelho no Acre e que se transformaram em canal de bênçãos para criminosos interessados em deixar suas atividades ilícitas, começa a ganhar o mundo. A mais recente publicação foi no jornal Word News, dos Estados Unidos. Um dos líderes do grupo conhecido por Ferreirinha, disse que a honra pelo sucesso do trabalho deles, conhecido como Equipe 91, “é toda do Senhor Jesus”.

VEJA A MATÉRIA PUBLICADA NO WORLD NEWS TRADUZIDA PARA O PORTUGUÊS

Por Mariana Simões

6 de abril de 2021, 8h

O TRAFICANTE QUE VIROU PASTOR, CARLOS EDUARDO GOMES OLIVEIRA, AGORA PREGA PARA SALVAR OUTRAS PESSOAS DO TRÁFICO DE DROGAS NAS FAVELAS DO BRASIL. CRÉDITO: MARIANA SIMÕES PARA VICE WORLD NEWS.

RIO DE JANEIRO – Bíblia na mão, o pastor William Souza postou-se atrás de uma estante de madeira e enfrentou dezenas de seus seguidores em uma noite de sábado. Era final de março no coração de Acari, uma favela, ou comunidade de baixa renda, que é um dos pontos mais violentos do tráfico de drogas no Rio de Janeiro. A igreja evangélica, chamada de “Comunidade para Restaurar Vidas”, havia transformado uma boate de bairro em sua nova casa e estava batizando o espaço com uma missa inaugural. 

“Como vamos conquistar uma favela como esta?” William, de 42 anos, perguntou enquanto apontava para as portas duplas da igreja, que permaneciam abertas para os vizinhos jogarem pingue-pongue ou beber cerveja em mesas de plástico do lado de fora. “Vemos o traficante de drogas na esquina e levamos a ele a palavra de Deus”. 


William fundou a igreja há nove anos e se tornou parte do crescimento surpreendente da fé evangélica no Brasil. Neste país tradicionalmente católico, um estudo do pesquisador brasileiro DataFolha descobriu que a porcentagem de evangélicos cresceu de 10 por cento em 1994 para 29 por cento em 2016. E desses 29 por cento, mais da metade vem de famílias de baixa renda que ganham até dois salários mínimos (aproximadamente US $ 40 por mês).


A religião só ficou mais forte com o presidente Jair Bolsonaro, um ex-capitão do exército ultraconservador que apóia abertamente os líderes evangélicos. 


Em comunidades onde há poucas oportunidades para uma vida melhor, os pastores evangélicos fornecem um sistema de apoio e uma alternativa ao crime. Um dos bairros mais pobres do Rio, Acari ficou em terceiro lugar no Índice de Desenvolvimento Humano da cidade , uma estatística usada pela ONU para medir o desenvolvimento socioeconômico. Os traficantes locais darão permissão aos traficantes para deixarem uma gangue se, em vez disso, escolherem abraçar a vida religiosa. Muitos que procuram a ajuda da igreja evangélica se transformam em crentes e acabam se tornando pastores.

LAÍS MARTINS

Um dos protegidos de William, o pastor Carlos Eduardo Gomes Oliveira, fez exatamente isso. O empregado do armazém de 38 anos começou no tráfico de drogas quando tinha apenas 12 anos. Ele também era o melhor amigo de Capilé, o ex-líder da poderosa gangue Terceiro Comando Puro de Acari até ser preso em 2018. 


Carlos ganhava um bom dinheiro embalando e distribuindo drogas, mas decidiu desistir há sete anos, quando a polícia abriu fogo contra ele e dois outros membros de gangue durante uma operação. “Meu amigo que estava conosco foi gravemente atingido. Enquanto arrastávamos seu corpo rua abaixo, sua mãe nos viu e correu. Ele morreu nos braços dela ”, disse ele.

Após a morte de seu amigo, o pastor William começou a fazer visitas domiciliares para ver Carlos, o que acabou convencendo-o a aderir à fé evangélica. E o chefe local não se interpôs em seu caminho. “O Capilé apenas me pediu para fazer uma coisa por ele em troca. Ele me pediu para orar por ele ”, lembra Carlos. Agora, Carlos está fazendo sua própria campanha de porta em porta para levar a fé a outros traficantes de drogas. 


Mas seus esforços ainda são em pequena escala em comparação com o sofisticado circuito de conversão que está em andamento a milhares de quilômetros de distância, no estado do Acre, no noroeste da Amazônia. Na capital Rio Branco, a Equipe 91, um grupo de 70 ex-criminosos que se tornaram pastores evangélicos, vem “resgatando” pessoas desde 2012. O grupo leva o nome do salmo 91 da Bíblia que promete que o Senhor proverá a salvação de “ pestilência mortal. ”


Um foco de atividades criminosas, o Acre faz fronteira com a Bolívia e o Peru, dois dos maiores produtores de cocaína do mundo. O território é muito disputado por gangues brasileiras por fornecer acesso estratégico ao comércio internacional de drogas. O Brasil também tem o maior consumidor de cocaína do mundo, depois dos Estados Unidos. Entre 2007 e 2017, o número de homicídios aumentou 276,6% no Acre devido às disputas do tráfico de drogas na região, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada do Brasil. 

Mas com a bênção da Equipe 91 , os líderes de gangue permitirão que um membro saia e, em troca, o grupo designará um pastor para manter o controle sobre os recém-convertidos e garantir que eles não se desviem da fé. “Nosso trabalho é salvar almas”, diz Francisco Ferreira da Conceição, um dos principais líderes da Equipe 91, conhecido na cidade como Ferreirinha. “Fazemos isso somente pela fé. Não somos pagos para fazer o que fazemos ”, acrescenta. 


O telefone da Ferreirinha não pára de tocar, às vezes até às 2 da manhã. As pessoas que desejam “ser salvas” ligam e fazem um pedido para uma cerimônia de conversão improvisada. Depois que uma missa é realizada, o novo convertido deve gravar um vídeo no celular atestando sua fé recém-descoberta. Eles especificam quem são, a que gangue pertencem e explicam que querem partir e abraçar Deus. Os vídeos são então enviados para líderes de gangues locais e um acordo informal é firmado solidificando sua saída de sua organização criminosa. Nos últimos quatro anos, Ferreirinha gravou mais de 2.500 vídeos de conversão, disse ele, que armazena em vários pen drives.

Os chefões locais aceitam esse arranjo porque o sistema também os beneficia, segundo Ferreirinha. A maioria das carreiras criminais termina em uma de duas maneiras: morte ou prisão. Mas, graças ao pacto que a Equipe 91 estabeleceu com os traficantes locais, foi criada uma terceira via, por meio da adesão à fé evangélica. “Os [barões do tráfico] sabem que eventualmente serão forçados a deixar o mundo do crime. Eles nos respeitam porque sabem que somos a única saída, caso um dia precisem ”, explica o pastor. 


Há quatro anos, Ferreirinha comandava o B13, gangue de destaque no Acre. Depois de passar 30 anos no negócio das drogas e entrar e sair da prisão 25 vezes, ele decidiu que já bastava. “Três semanas antes de eu aceitar Jesus, membros de gangues rivais tentaram me matar quatro vezes”, lembra Ferrerinha. Durante uma dessas tentativas, sua casa foi alvo de uma rajada de balas que o forçaram a sair correndo com dois de seus filhos debaixo do braço. “Meu filho virou-se para mim e disse: ‘papai, eles estão atirando em você’. Naquele momento, Deus entrou no meu coração e eu prometi a ele que se ele nos deixasse sair com vida, eu abandonaria esta vida para sempre e me concentraria em criar meus filhos ”, disse Ferreirinha ao World News.

Continuar lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GOSPEL

Ex-vaqueiro nascido em Feijó, no Acre, é um dos maiores pregadores do evangelho no mundo; já ministrou na maioria dos continentes

Avatar

Publicado

em

Por

Às vésperas de se mudar para Rio Branco, em 1987, o então vaqueiro Maycon Gomes, que morava na colônia Recreio, nos arredores da cidade de Feijó, município do Acre, nem imaginava morar na capital de seu Estado, imagine viajar pelo Brasil, muito menos pelo mundo. Menos de 34 anos depois, aconteceu o improvável. Ele não só saiu do Acre, mas virou cidadão do mundo. Já viajou a 22 países, entre Europa e os continentes americanos. Para isso, precisou pagar um preço, como ele chama ter aceitado Jesus como Salvador, renunciado muita coisa da vida material, orado de joelhos madrugadas intermináveis. Como prêmio do céu, virou um dos maiores pregadores do mundo. Chega a passar um mês fora de casa, viajando pelo mundo. Hoje mesmo, 12 de maio, está em São Paulo, onde ministrará a palavra à noite. Num bate papo pelo celular, ele contou um pouco sobre sua vida ao Acrenews. Vamos acompanhar o que ele disse mais:

Acrenews – Onde o senhor nasceu, pastor?

Maycon Gomes – Nasci no município de Feijó no dia 25 de julho de 1971.

Acrenews – Quem é sua família lá?

Maycon Gomes – Sou filho da irmã Fracisca Alves da Silva e do irmão Raimundo Vieira Gomes. Os dois já descansam com o Senhor.

Acrenews – Como começou sua relação com o evangelho?

Maycon Gomes – Quando Comecei a ter entendimento, minha mãe sempre com costumes cristãos, me levava para a igreja. O testemunho da dedicação dela com a obra fez com que eu chegasse a Cristo.

Acrenews – Como o senhor conseguiu se tornar um ministrador da palavra requisitado no mundo todo? Qualquer um pode conseguir?

Maycon Gomes – Sempre busquei muito, com jejum oração e muita leitura da palavra, no entanto, nunca me passou pela cabeça de fazer parte do ministério e ser pregador. Era igual Amós, nem era profeta e nem filho de profeta, apenas cuidava de boi. Como Deus me achou na brecha, em plena busca da presença Dele, fui chamado para ser pregador sem ao menos perceber. De repente já estava envolvido totalmente no ministério da pregação e não pude mais recuar porque senti que era chamado e escolhido para essa obra tão grandiosa. Quando me dei por conta já estava ministrando em todos os estados do Brasil e vários países.

Acrenews – Essa sua vida foi profetizada? Pergunto porque o senhor é um vaqueiro de profissão, então alguém chegou para dizer: olhe, rapaz, sua vida vai mudar e tal…Se aconteceu isso, o senhor acreditou?

Maycon Gomes – Deus usou vários profetas dizendo que iria me levantar para o Brasil e para mundo. Eu cri e recebi todas. Prova é tanta que até hoje as promessas se cumprem em minha vida.

Acrenews – Para pregar tão bem, como o senhor, é preciso ser inteligente, lê muito?

Maycon Gomes – Tudo foi Deus que fez pela sua infinita graça e misericórdia, pois não sou merecedor. Logo reconheço o ministério que Deus colocou em minha mão, um ministério de multidões onde tenho ganhado milhões de almas para Cristo no decorrer de 30 anos.

Acrenews – Tem muitos levantes contra a sua vida. Tem dificuldades?

Maycon Gomes – Com certeza…Temos que matar um leão, urso e gigantes todos os dias para se manter vivo igual Davi. São 30 anos de ministério, todos os tipos de levantes que vc imaginar em todas as áreas da minha vida. Porém me mantenho vivo pela graça de Deus.

Acrenews – Antes de ganhar o mundo pregando o evangelho, creio que teve um estágio, uma preparação. Como foi esse começo?

Maycon Gomes – Dirigi 5 congregações. Na última fiquei cinco anos. Mesmo assim, sempre viajei muito, pois tinha uma equipe de obreiros muito competente. Para tanto, ao decorrer do tempo, as agendas foram aumentando, então decidi me dedicar as cruzadas como itinerante e parar de pastorear.

Acrenews – O senhor vive de que? Falo do ponto de vista financeiro…

Maycon Gomes – Deus me deu uma estabilidade financeira, onde posso ficar no máximo uma semana atendendo as cruzadas. As vezes atendo somente aos finais de semana e já retorno para casa, porque não é fácil ficar longe da família.

Acrenews – O mais incrédulo dentre os seres humanos admite que o mundo está diferente nos últimos dois anos, pelo menos. Coisas inéditas acontecendo. E do ponto de vista de um homem que vive do evangelho, como o senhor, o que ocorre na terra nesse momento?

Maycon Gomes – Vejo que tudo isso são sinais da vinda de Cristo, pois tudo está escrito na palavra.

Acrenews – Pode ser o prenúncio do fim da jornada humana na terra?
Maycon Gomes – Sim. Eu acredito que seja o princípio das dores, pois estamos vivendo o que Jesus falou, “que nos últimos tempos aconteceriam pragas, mortandade, pestes, violência, mortes, desespero e o esfriamento do amor”.

Continuar lendo

GOSPEL

BOAS NOVAS Vem ai um dos maiores complexos de comunicação gospel do Acre

Avatar

Publicado

em

Por

A rádio Boas Novas, que funciona em uma pequena casa no centro de Rio Branco, está sendo transformada em um complexo de comunicação ainda não visto na história do Acre. A sede nova funcionará no prédio que está sendo erguido da avenida Ceará a Omar Sabino, onde funcionou antigamente a famosa pizzaria Tutti Frutti.

A Boas Novas deixará de ser apenas uma emissora de rádio. Além da televisão, na qual a direção investirá em vasta programação local, o complexo será também uma faculdade. Também serão aplicados cursos de sonoplastia e locução.

A rede Boas Novas é propriedade da família Câmara, cujo patriarca é o deputado federal pelo Amazonas, Silas Câmara, marido da ex-deputada federal pelo Acre, Antônia Lúcia. A gestão do novo complexo, no entanto, está sob o comando da filha caçula do casal, a Gabriela Câmara. Ela diariamente acompanha o andamento da obra.

Os Câmara não falam em valor, mas pela planta da obra os investimentos não são poucos. A previsão, segundo Gabriela, é que até o final do ano o complexo já esteja em funcionando. “Será o melhor complexo de comunicação que estará na mão do povo de Deus”, disse Gabriela ao Acrenews.

Projeto moderno

Continuar lendo

GOSPEL

Dissertação de mestrado demonstra o direito ao uso religioso da Hoasca na Alemanha

Avatar

Publicado

em

Por

Há alguns anos, a União do Vegetal vem trabalhando para fincar raízes fortes na Europa e comprovar perante as autoridades a seriedade no uso religioso do nosso sacramento: Chá Hoasca. Para cada país, a União do Vegetal tem feito um estudo cuidadoso da situação jurídica, política e social local, a fim de criar estratégias jurídicas sólidas para a regulamentação do nosso direito religioso. E nós, caianinhos, queremos contribuir para esse processo.

Nesse sentido, realizei na Universidade de Zurique (Suíça) a pesquisa de mestrado intitulada: A Relevância da Liberdade Religiosa na Análise do Direito ao Uso Sacramental da Hoasca por Minorias Religiosas na Alemanha”, tendo sido aprovada em janeiro de 2021. E por que a escolha da Alemanha? Além da minha ligação pessoal, este país representa atualmente a segunda maior nacionalidade de sócios da UDV entre os europeus (a primeira é a de espanhóis) e o número de sócios vem crescendo. Paralelo a isso, durante o mestrado, conheci o Dr. Andreas Thier, renomado jurista alemão, especializado em direito canônico e história jurídica. Ao conversar a respeito do uso da Hoasca pela UDV na Alemanha, ele se interessou de imediato pelo tema, aceitando ser meu orientador.

Sabe-se que as folhas da Psychotria viridis (Chacrona) contêm pequenas quantidades de DMT. Por conta disso, algumas autoridades internacionais questionam o risco à saúde pública na utilização do chá. O objetivo principal da dissertação foi então fazer uma ponderação de valores entre o potencial risco à saúde pública e a liberdade religiosa, no caso do uso sacramental do Chá Hoasca na Alemanha. Para isso, a dissertação baseou-se em três pontos principais.

Primeiramente, o foco foi entender por que o uso sacramental da Hoasca merece proteção jurídica da liberdade religiosa. Na Alemanha, a liberdade religiosa é garantida como um dos direitos fundamentais mais importantes. O Tribunal Federal Constitucional alemão tem enfatizado que a proteção legal do exercício religioso deve ser interpretada da forma mais abrangente possível, garantindo o direito de todos, em especial das minorias religiosas. Além disso, a Alemanha defende a liberdade religiosa como uma forma especial de expressão ou concretização da dignidade humana. A dignidade se baseia na visão do homem como um ser espiritual-moral, destinado a determinar-se e desenvolver-se em liberdade.

E nesse sentido, cabe a reflexão: por que bebemos o Chá Hoasca? Para buscar o desenvolvimento do ser humano no sentido moral, intelectual e espiritual, além da conexão com a Força Superior. Portanto, a profunda experiência dos sócios com a Hoasca os motiva para o desenvolvimento pessoal e para uma vida ética, o que é inseparável da visão que o ser humano tem de sua própria dignidade. Somado a isso, os sócios bebem o chá dentro de cultos religiosos, os quais oferecem objetivos concretos, ensinamentos e orientações, garantindo a segurança no uso da Hoasca.

Em segundo lugar, a dissertação investigou se existe um critério para definir uma prática como perigo para a saúde pública. Isso porque, no âmbito jurídico, qualquer possível risco deve ser colocado em perspectiva, para saber se uma interferência estatal se justifica ou não. Observou-se, entretanto, que na Alemanha não existe uma definição ou critérios legais para determinar quando a saúde pública estaria em perigo. Em contraste, existem diversos estudos científicos concretos que comprovam não só a inofensividade da Hoasca à saúde, como também os seus inúmeros benefícios e a inexistência de dependência física ou psicológica.

Em terceiro lugar, através do sistema jurídico chamado “controle de proporcionalidade”, observou-se a primazia do direito à liberdade religiosa. Isso porque, a Hoasca em si não é proibida na lei de narcóticos alemã, as quantidades de DMT no Vegetal são muito pequenas, bem como a religião é um caso de interesse público (exceção na Lei de narcóticos, Art. 3, §2). Além disso, a dissertação se valeu da experiência de países como os Estados Unidos e o Canadá para esclarecer que é possível encontrar soluções legais efetivas para importação e uso religioso da Hoasca, e assim, garantir na prática um equilíbrio entre o interesse público e a liberdade religiosa.

Concluiu-se que, com a comprovação do ambiente social-religioso seguro e da inofensividade do Chá Hoasca à saúde, a UDV e outras religiões hoasqueiras sérias e responsáveis podem ter o direito à sua prática religiosa na Alemanha. Os resultados encontrados na dissertação trouxeram-me uma grande esperança de ver a UDV ser vitoriosa legalmente na Alemanha e assim poder clarear o caminho de mais pessoas. O Mestre Gabriel disse que a União do Vegetal iria transpor as fronteiras do nosso país e estamos vendo na prática isso acontecer! Com confiança nesse Mestre que nos guia, vamos juntos encontrando maneiras de vencer os desafios e fortalecer o trabalho da União do Vegetal na construção da paz no mundo.

*Íris Steiner Corso é integrante do Corpo Instrutivo e monitora do Departamento Jurídico no Núcleo Sagrado Poder (Genebra, Suíça).

Continuar lendo

Trending

www.acrenews.com.br é uma publicação da Acrenews Comunicação

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Endereço: Área rural, 204, Setor Barro Vermelho - CEP 69.923-899

Os artigos assinados não expressam a opinião deste site.

contato@acrenews.com.br

Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas