Connect with us

EVANDRO CORDEIRO

COLUNA DO EVANDRO | Vanda Milani está 90% decidida a disputar o Senado pela chapa de Petecão, garante guru que cerca o senador

Publicado

em

A deputada federal Vanda Milani (PROS) deverá mesmo disputar o Senado na chapa do senador Sérgio Petecão (PDT), candidato a governador. O negócio estaria cerca de 90% fechado, segundo revelou à Coluna o guru Carlos Coelho, eminência parda de Petecão há anos. Detalhes pequenos restam para que o anúncio seja feito de forma oficial.

Conversa com Jenilson

Outra informação trazida pelo professor Carlos Coelho são as boas conversas entre Petecão e Jenilson Leite (PSB). Para Coelho, a possibilidade de aliança existe. Jenilson seria o vice.

Qualidade do adversário

É indiscutível que a vereadora Michelle Melo (PDT) veio para a política com muita chance de ficar. Ela só precisa ser trabalhada um pouco para reconhecer uma qualidade que seja do seu adversário.

Assunto encerrado

Quer chatear o pastor Agostinho Gonçalves, líder da IBB, vá atrás dele para falar sobre política. Fala sobre o assunto com um ou outro membro a porta fechada e não autoriza ninguém a falar no nome dele.

Apoio no Juruá

Pastor da IBB, o ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, conseguiu adesão das principais lideranças de sua igreja no Vale do Juruá em torno da candidatura de sua esposa, Keiliane Cordeiro. Ela disputará para federal pelo Republicanos.

Indefinição prejudicial

Essa indefinição sobre o futuro da senadora Mailza Gomes está prejudicando a ela mesma. Da mesma forma como está prejudicando o ex-senador Jorge Viana (PT), que também não se decide.

Quem terá mais aliados

Quem conhece o poder sabe como terminará, mais ou menos, as composições políticas no limite das convenções. Primeiro que as pesquisas, inclusive uma de horas atrás, mostram o governador Gladson Cameli com a reeleição cada vez mais palpável. Isso já é um atrativo. Ainda mais o poder. Então não dá nem para discutir quem terá mais aliados.

Telhado de vidro

Pessoas ligadas aos governos anteriores deveriam escalar terceiros para fazer críticas em relação a BR-364, por exemplo. O ex-senador Jorge Viana (PT) cometeu o equívoco e pagou o preço nas redes sociais. Apanhou como cachorro de índio. Aí vem o Cesário Braga falar de ramais em Brasileia, apanhou também.

Nem lembra do apoio

Segundo o vereador de Rio Branco, Adailton Cruz, seu partido, o PSB, não tem nenhum compromisso com o governador Gladson Cameli, mesmo diante do apoio que ele deu a candidata do partido a prefeita de Rio Branco, Socorro Neri, em 2020. “Vamos seguir com a candidatura do Jenilson”, disse.

Coisa da esquerda

Quem é esquerda dificilmente se converterá a direita. Conheço apenas um caso famoso, o de Márcio Bittar, que começou a militar no partidão, como era chamado o PCB e hoje é ícone da direita conservadora e sempre que lhe dão oportunidade ele explica. Digo para lembrar que o PSB é esquerda e nunca apoiaria a reeleição de Cameli.

Não vão com ela

Tem ao menos umas três lideranças ligadas a deputada federal Vanda Milani que não vão segui-la nem a pau nessa possível aventura dela com Petecão. Já estaria inclusive procurando a Casa Civil para declarar apoio a reeleição de Cameli.

Poder da caneta

“Foi o jeito eu usar as prerrogativas de presidente e assinar um ato”. Do presidente da Câmara Municipal de Rio Branco, N. Lima (PP), explicando que grande maioria dos vereadores não queriam fazer as três sessões por semana. Ele usou o regimento interno e determinou.

“Não quiseram ir no acordo, foi no ato. O que não justifica mais é não trabalhar na quarta por causa de pandemia”, disse à Coluna.

Cabo eleitoral

O ex-deputado Zé Carlos (camisa verde) e uma de suas ocupações preferidas no momento, a pescaria

Lula tem um cabo eleitoral entusiasmado no Acre, o ex-deputado e ex-presidente de uma das maiores empresas de ônibus da capital, o sanfoneiro Zé Carlos.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

EVANDRO CORDEIRO

COLUNA DO EVANDRO | PT deve indicar Jorge Viana senador na chapa de Jenilson Leite e ser coadjuvante pela primeira vez desde a criação da Frente Popular

Publicado

em

O Partido dos Trabalhadores deverá indicar Jorge Viana como candidato a senador na chapa de governador encabeçada pelo deputado estadual Jenilson Leite, do PSB. Já tem preparativo para o ato. Vai ser a primeira vez que a sigla entrará numa campanha como coadjuvante desde que disputou o Governo a primeira vez em 1982, com Hélio Pimenta. Na verdade, os petistas do Acre parecem muito mais empolgados com a possibilidade de eleição de Lula. A retomada do poder no Acre passa por aí, dizem alguns.

Lógica

Na chapa de federal da federação PT-PCdoB-PV a lógica é a reeleição de Perpétua Almeida e Léo de Brito. A lógica. Como os nomes deles já são bem cansados, pode acontecer o inesperado.

Na mira dos inimigos

Gladson Cameli nunca viu tanto cano de arma apontado para ele desde que entrou para a política. Quando não fazem ataques diretos, os adversários patrocinam. Tem que engrossar o couro porque até eleição tem mais. Quem não teve espaço no Governo fará o que puder para derrubá-lo.

Vale repetir

“Não tenho mulher para me vigiar, mas tenho a oposição incomodada com quem eu devo jantar. Vão a…”. Frase do Senador Márcio Bittar (UB) em resposta as manifestações nas redes sociais por ele ter jantado com a cúpula do MDB no sábado à noite.

Sem vaga

Flaviano Melo confirma que, se não for com Gladson, Márcio Bittar é bem-vindo ao MDB, mas sem vaga de Senado ou vice na chapa do partido em cuja cabeça está a deputada federal Mara Rocha.

Sonho do MDB

A rigor, o MDB sonha com um vice do agronegócio para Mara Rocha. Já levou um não do pecuarista Fernando Zamora e de um outro empreendedor rural.

Padrinhos fortes

Novo secretário de Turismo, Márcio Pereira, tem dois padrinhos fortíssimos: Nicolau Júnior (PP), presidente da Assembleia Legislativa, e Nei Amorim, ex-presidente da casa e atual dirigente do Podemos.

Volta na Baixada

Raimundinho da Saúde se danou a fazer campanha na Baixada da Sobral, na aposta que faz para voltar a Assembleia Legislativa, como fez na primeira vez. Diz ele que a recepção é boa.

Alto Acre

Chega a agenda do governador Gladson Cameli para a quinta, sexta, sábado e domingo. Será toda no Alto Acre. Tem muita inauguração e lançamento de serviços.

Prefeitos contra

De todos os prefeitos do Acre o único declarado politicamente contra o governador Gladson Cameli é o de Epitaciolândia, Sérgio Lopes (PSDB). É ligado aos irmãos Rocha. O de Xapuri, Bira Vasconcelos, diz de público que só não votaria no Gladson.

Chamaram o “Severino”

Primeiro diretor do Into no auge da Pandemia, o Keko Monte terminou o combate ao coronavírus como um dos soldados bravos do atual governo. De lá foi mandado pra Segov. Agora chamaram de volta para a saúde, cuidar da nefrologia da Fundação Hospitalar. É o bom “Severino” servindo a gestão.

Continue lendo

EVANDRO CORDEIRO

COLUNA DO EVANDRO | Agora vamos ver quem tem votos: TSE libera mais de um candidato ao Senado na mesma coligação e Gladson se livra de um problema

Publicado

em

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta terça-feira, por unanimidade, que partidos de uma mesma coligação podem lançar mais de um candidato ao Senado. A nova norma tira das costas do governador do Acre, Gladson Cameli (PP), um peso equivalente a uma motoniveladora. No palanque dele podem estar, legalmente, além de Mailza Gomes, do mesmo partido dele, o Alan Rick, do União Brasil, e a Márcia Bittar, do PL. Só não se sabe se estes vão aceitar. Alan já teria declarado que isso não daria certo e beneficiaria o candidato da esquerda, Jorge Viana (PT), dono da maior rejeição nessas eleições. Agora, sim, o governador poderá dizer aos aliados: vocês se entendam. Quanto a quem garante que tem votos, essa é a oportunidade de provar.

Andando

“As coisas estão se resolvendo”. Do Alysson Bestene, em Brasília, sobre as seguidas reuniões em andamento desde a última segunda-feira.

Fator jabuti

Conselho de um aliado do governador Gladson Cameli sobre os últimos acontecimentos no Acre: “Ele deve fazer igual ao jabuti, quando o pau cai em suas costas. O bicho espera a árvore apodrecer para poder sair”.

Falta de um grito

Na opinião do deputado Luiz Tchê (PDT), ao retornar de Brasília, o governador Gladson Cameli deveria sentar numa mesa, dar umas duas pancadas e chamar para si toda a responsabilidade. Senão corre riscos de perder a boiada por falta de um grito.

Gratidão

Conversei muito com o prefeito de Plácido de Castro, professor Camilo (PSD). Na maior parte ele é só gratidão ao governador Gladson Cameli pela forma como trata os prefeitos. “Não posso ser ingrato”, conclui.

Luz para a oposição

Com a crise na Saúde, adversários do governador Gladson Cameli têm comemorado o desgaste. Inclusive, a informação é que todos estão fazendo pesquisas. É uma luz no fim do túnel para quem não via saída nenhuma até aqui sobre como vencer Cameli.

Iguais

A esquerda está em festa no Brasil todo com a prisão do ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro. Já conseguem equivaler o governo Bolsonaro ao de Lula no quesito corrupção, por causa de alguns elementos que atuavam como lobistas em Brasília vestidos de paletó e gravata dizendo serem pastores.

Galinha piroca

Enquanto isso, no Acre, tem deputado da cor de pescoço de galinha piroca se colocando como negro para o TSE.

Eleitoreiro

Tentaram um golpe eleitoreiro na Assembleia Legislativa com a turma do ISE. Não entra ninguém no serviço público sem concurso. E sabe porque os agentes acreditaram? Porque quem quer um emprego acredita em tudo. 

Cobiça

Nunca na história do Acre uma cadeira de governador foi tão cobiçada como a atual. Com sede, a antiga oposição chegou ao poder todo mundo querendo a mesma cadeira ao mesmo tempo, impedidos apenas pela física.

Volta sem dinheiro

Quem está de volta a política esse ano é o ex-deputado federal Sérgio Barros. Ainda no PSDB, ele pretende voltar outra vez a Brasília, mas dessa vez, dizem, não estaria disposto a gastar o que gastou da primeira vez, em 1998, para se eleger.

Milícia

Candidato a governador, Petecão (PSD) chamou de ação da “milícia digital” tentar envolver ele na manhã desta quarta-feira ao ministro Milton Ribeiro, preso pela PF, porque este disse no Acre, em evento realizado esse ano, que, se não fosse de outro domicílio eleitoral, viria aqui nas eleições só votar nele.

Continue lendo

EVANDRO CORDEIRO

COLUNA DO EVANDRO | Lula admite ter pedido FHC para soltar sequestradores de Abílio Diniz e faz justiça ao ex-deputado Narciso Mendes

Publicado

em

O empresário e ex-deputado Narciso Mendes não foi um algoz qualquer do PT no Acre. Muito antes de se tornar um bastião contra o petismo local, durante os dois governos de Jorge Viana, Narciso já era um velho conhecido da esquerda nacional. Esse empresário potiguar que escolheu o Acre para viver desde 1974, entra para a política em 1982 como deputado estadual e em 1986, se elege deputado federal. Na Câmara, compunha o bloco da direita, é parlamentar constituinte, e jamais será taxado de deputado do baixo clero. Em 1988 compra o Jornal O Rio Branco dos Diários Associados. Um ano depois faz polêmica nacional ao publicar na capa do histórico diário que o “PT sequestrou Abílio Diniz”. Era véspera do segundo turno entre Lula e Fernando Collor e o empresário Abílio Diniz, então presidente do Grupo Pão de Açúcar, havia sido sequestrado por um grupo onde havia brasileiros e gringos. O crime estava acima da crônica policial, embora a polícia na época tenha dado status de delito comum, no que pese o modus operandi ter os traços de atividades da esquerda em décadas anteriores. Por isso mesmo Narciso Mendes pagou um preço pela manchete. Virou um alvo nato. Anos depois Narciso se elege legitimamente deputado federal, quando o PT mandava no país com Lula sendo o “cavalheiro da esperança” e, sem nenhuma cerimônia, seu mandato foi tomado, numa sessão na Câmara Federal onde estavam apenas o presidente João Paulo Cunha e o vigia da casa, só para citar uma entre outras tantas perseguições. Certo dia Lula se referiu a Narciso como “aquele bandido lá do Acre”.

Na última sexta-feira, 17, em um evento realizado em Maceió, Lula admitiu que no governo FHC pediu a libertação dos sequestradores, entre os quais um canadense, no que foi prontamente atendido em uma operação coordenada pelo então ministro da Justiça, Renan Calheiros. Isso mesmo. Renan Calheiros foi ministro da Justiça de Fernando Henrique Cardoso. A revelação de Lula não admite a participação do seu partido no sequestro, mas cria um ambiente favorável para quem só podia desconfiar, uma vez que boa parte dos dez sequestradores foram apanhados vestindo camisas do partido. A fala do líder da esquerda, que quer outra vez governar o Brasil, numa Maceió onde mora seu capanga Renan, traz, também, justiça a Narciso, cujo jornal que comprara nos anos 1980, o mais antigo do Acre, O Rio Branco, produziu a manchete mais corajosa na véspera da eleição, contra uma impressa nacional que era o retrato da atual, esquerda até o tutano, rendida.

Em Brasília

“Só volto com tudo resolvido”. Foi a frase mais curta que ouvi do governador Gladson Cameli, que está em Brasília para resolver duas coisas importantes, a direção do PP e a aresta com Márcio Bittar (UB).

Neném das peladas

O deputado estadual Neném Almeida sempre lembra que foi ‘salvo’ da pobreza e da bandidagem através do esporte. Por isso, diz ele, sempre que estiver ao seu alcance, ele vai ajudar nas práticas. Semana passada ele virou padrinho da pelada mais antiga do Acre, a VASP, no ramal do Canil, dona da Arena Palheira. Na foto com um assessor e o peladeiro José Matos.

Continue lendo

Trending

O Portal AcreNews é uma publicação de AcreNews Comunicação e Publicidade

Editor-chefe: Evandro Cordeiro

Contato: siteacrenews@gmail.com

Área rural 204, Barro Vermelho - Rio Branco

CNPJ: 40.304.331/0001-30

Os artigos assinados não traduzem, necessariamente, a opinião deste jornal



Copyright © 2021 Acre News. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por STECON Soluções Tecnológicas